Wishlist - Cosac Naify

Como todos sabem, para tristeza coletiva, a Cosac Naify fechou as portas. E, como já se era esperado, o catálogo da editora está cada vez ficando menor, já que as edições estão se esgotando. Fiz uma lista de livros da editora a qual quero MUITO e pretendo comprar rapidamente, antes que elas se esgotem.


Confira abaixo a lista dos livros que mais quero comprar da Cosac Naify:

Anna Kariênina de Liev Tolstói



Estruturado em paralelismos, o livro se articula por meio de contrastes - a cidade e o campo; as 'duas capitais' da Rússia (Moscou e São Petersburgo); a alta sociedade e a vida dos mujiques; o intelectual e o homem prático etc. Os dois principais personagens, Liévin, um rico proprietário de terras, e Anna, uma aristocrata casada, só se encontram uma vez, em toda a longa narrativa. Mas nem por isso estão menos ligados, pois a situação de um permanece constantemente referida a situação do outro. Nesta tradução, a frequente repetição das palavras e as frases longas foram mantidas em sua integridade. Além das notas de rodapé, elaboradas pelo tradutor, este volume conta com uma árvore genealógica dos principais núcleos familiares e uma lista completa de personagens, que facilitarão a leitura da obra.






Moby Dick de Melville



O livro traz o relato de um marinheiro letrado, Ishmael, sobre a última viagem de um navio baleeiro de Nantucket, o Pequod, que parte da costa leste dos Estados Unidos rumo ao Pacífico Sul, onde encontra o imenso cachalote branco que, no passado, arrancara a perna do vingativo capitão Ahab. Ao longo de 135 capítulos, Herman Melville explora diversos gêneros literários para compor sua história, da narrativa de viagens ao teatro shakespeareano, do sermão à poesia popular, passando pela descrição científica e a meditação filosófica. 










Box Contos Completos Tolstói de Liev Tolstói


Escritos entre a década de 1850 e o início do século XX, os contos têm como pano de fundo uma época de intensa transformação da Rússia, marcada pelo início das relações capitalistas, pelas guerras imperialistas sobre o Cáucaso e pelo constante ideal de modernização, que também permeou a literatura. Tolstói, que sempre dedicou sua atenção aos camponeses, às classes baixas ou àqueles que estavam em conflito com a ordem dominante, orienta sua escrita para um questionamento do modelo literário europeu vigente. Povos do Cáucaso, cossacos, ciganos, mujiques, integrantes de seitas religiosas, todos eles são retratados num projeto com forte sensibilidade etnográfica. Na intenção de salientar a verdadeira força cultural russa, além de personagens, essas figuras contaminam a forma narrativa de Tolstói. Em seus contos transparecem os modelos das formas literárias arcaicas e orais, tradicionais e inovadoras numa Rússia em profunda transformação.






Pinóquio de Carlo Collodi



A Cosac Naify propõe uma redescoberta da famosa história do boneco de madeira, publicada originalmente de forma seriada num jornal italiano. A editora preparou uma edição especial, limitada a 3500 exemplares que vêm em uma luva e cujo miolo foi impresso com uma cor especial no papel importado GardaPat Kiara, capa dura e impressão em hot stamping. Esqueça as adaptações em livro ou filme, que pasteurizam uma das histórias mais ricas e bem narradas da literatura. A tradução do texto integral de Ivo Barroso mantém o delicioso ritmo de folhetim associado a uma linguagem refinada e límpida do original. As ilustrações exclusivas de Alex Cerveny são uma atração à parte e o resultado traz belíssimas imagens oníricas de um Pinóquio nunca antes imaginado



Bambi de Felix Salten


Um dos personagens mais amados por crianças e adultos do mundo todo, Bambi chega às prateleiras das livrarias pela primeira vez em português. Escrito pelo austríaco Felix Salten e publicado originalmente em 1923, o romance Bambi – Uma história de vida na floresta popularizou-se pela versão cinematográfica feita pelos estúdios Disney, em 1942. A narrativa doce – mas em certos momentos também sombria e dolorosa –, nos apresenta Bambi, o cervo que pouco a pouco vai desvendando os mistérios da floresta e, na batalha pela sobrevivência, entende que o homem, a quem chama apenas de Ele, é o seu principal inimigo. Escrito sob a ótica dos animais, o livro tem como marca registrada os profundos diálogos entre os moradores da floresta, nos quais cabem assuntos dos mais variados, além de questionamentos acerca da vida. As delicadas ilustrações ficaram a cargo do premiado artista Nino Cais, que trabalhou com colagens de silhuetas dos bichos sobre recortes de livros de botânica, entre outros. Uma parábola atemporal sobre a vida e a morte que finalmente poderá ser redescoberta pelo leitor brasileiro.

Um comentário:

  1. Que legal essas obras. Os dois primeiros foi o que mais me interessei :D

    Você gosta de fotografia ou textos? Tem dois posts novos no blog cheio de coisas legais desse tipo,vem ver?
    http://www.espacoteenblog.com/2016/04/liafotos-fitografano-por-ai.html
    http://www.espacoteenblog.com/2016/04/a-poesia-e-propria-vida.html
    Beijooos :*

    ResponderExcluir

Heey!

Agradecemos pela visita. O que achou do post? Compartilha sua opinião conosco. Obrigado :)

Eu vivo lendo. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design