Primeiras Impressões: A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff

29 de abril de 2015

Iai pessoal! Como vão? A linda da Novo Conceito me enviou a prova de um livro super legal e hoje vim aqui contar pra vocês quais foram minhas primeiras impressões a respeito de uma parte do livro: A Playlist de Hayden. Vem comigo:

Resenha em breve!


Sam sempre foi um garoto introspectivo e desde sempre sofreu bullying, mas ele tinha um amigo especial. Hayden! Seu amigo, assim como ele, dividia a dor de sofrer ofensas e as alegrias de ser “quieto”. Um dia, Sam encontra seu melhor amigo morto em sua cama e, ao seu lado, estão alguns comprimidos e bebidas alcoólicas. Hayden, aparentemente, suicidou-se através da ingestão desses analgésicos com álcool.

Depois do choque e dá confirmação da morte de seu melhor amigo, Sam está inconsolável, mas resta algo. Ao lado do corpo de Hayden, Sam encontrou um pequeno papel, junto de um CD, com as instruções: “Escute, você vai entender”. Uma playlist recheada de músicas e significados diferentes é apresentada a Sam. O que será que Hayden quis dizer com isso? Qual foi o verdadeiro motivo que ocasionou seu suicídio?

   O que eu achei até agora:

A Playlist de Hayden foi um livro que desejei desde o primeiro momento. Motivo? É aparentemente triste e tem playlist no título (hehehe). Brincadeirinha! Fiquei interessado no livro pela premissa chamativa e também pela capa que, apesar de bastante simples, é bem chamativa. Pois bem... Estou gostando, mas não tanto.

O livro começou bem e a autora se preocupou de, logo no início, já inserir um acontecimento abrupto. A morte de Hayden! Confesso que fiquei triste por Sam e, ao mesmo tempo, curioso para saber como a autora trabalharia isso ao longo dos capítulos já fornecidos a mim. 

A esquematização dos capítulos está legal, pois no começo de cada um existe o nome de uma música que Sam está escutando (música da playlist de Hayden) e que o leitor, caso queira, pode escutar também. Estou lendo os capítulos, juntamente com as músicas indicadas. Uma experiência muito legal!

Michelle soube/sabe manter a tensão e o mistério é algo que está muito bem anexado a história. Acontecimentos mirabolantes se desenvolveram e minha curiosidade está 100% aguçada. Porém, o modo como Sam passa seu luto e sua "frieza" em relação a morte do MELHOR amigo está me incomodando. Ele não demonstra estar sofrendo tanto, além disso, acontecimentos deliberadamente clichês e previsíveis estão empobrecendo o livro, que carece de detalhes. Espero que isso mude daqui pra frente.

Basicamente, A Playlist de Hayden está parcialmente interessante, porém clichê e apresenta uma dose preocupante do famoso "mais do mesmo". Espero que as coisas mudem ao decorrer do livro.

    Sobre as músicas da Playlist de Hayden:

Confesso a vocês que, possivelmente, a melhor parte do livro está sendo as indicações de músicas que estou recebendo da autora. Algumas eu já conhecia, mas outras descobri por agora e são INCRÍVEIS! Sério gente, recomendo que escutem, quando estiverem lendo o livro. Principalmente: Invisible de Skylar Grey.

    Irei continuar?

Com certeza irei continuar o livro! Até o momento, posso dizer que classifico-o com três estrelas, mas espero que as coisas melhorem e que minha nota possa elevar-se ao longo da narrativa. Também estou curioso para saber o que vai acontecer (hihihi).

Beijos e Abraços!

Tag: Meus livros, ninguém sai!

27 de abril de 2015

Heey pessoal! Beleza? Hoje eu e a Mari iremos fazer uma tag super legal - que foi derivada de um vídeo não tão bom -. Espero que curtam!

Tag criada pelo blog De Cara Nas Letras.

Gabriel: AZUL
Mariana: LILÁS

  Vídeo que inspirou a tag.

Meus livros, ninguém sai!

1. "Ei coisinha, vá devagar": Sabe aquele livro que você devorou rapidamente? Qual foi ele?


O lado bom da vida foi um livro que me marcou bastante e também me prendeu de uma maneira incrível. Li o livro em apenas um dia e não fiz mais nada no dia em questão. Incrível <3

Eu li em horas. Sabe quando você começa a ler e não consegue mais parar de tão magnífica que a estória é? Então, Maze Runner define isso.

2. "Eu vou me segurar aqui": Qual livro te prendeu?


Não preciso nem explicar o motivo, né? Harry Potter é fantástico e, não só me mudou, mas também foi o ápice do entretenimento que já presenciei. O 3º livro é meu favorito, pois foi o que eu mais me afeiçoei.

After é gigante, possui 500 e poucas páginas, mas isso não foi problema pra mim. O maior problema foi conseguir fechar o livro para ir dormir. Gente, não da, sem condições. Enquanto não terminava pelo menos quatro capítulos eu não largava. Prendeu-me do começo ao fim.

3. "Se eu cair eu quebro a minha clavícula": Qual obra te desestabilizou emocionalmente?


Minha Metade Silenciosa é um YA diferente, que me conquistou desde as primeiras páginas. O livro é cru e vai direto ao ponto. Seus personagens são verossímeis e encantadores. Meu livro favorito do ano passado e um dos favoritos da vida.

Eu demorei muito pra ler porque não queria terminá-lo. Desestabilizei-me MUITO. Tanto pela vida do protagonista, quanto pelo desfecho. David acabou comigo.

4. "MEU ÓCULOS, ninguém sai!": Qual livro você não empresta ou tem muito ciúmes?


Já sou mão fechada quando o assunto é emprestar livros e se tratando de um livro (caro) do mestre do terror, não empresto MESMO. 

Como sabem, eu amo Tolkien e jamais emprestaria qualquer coisa dele, pois são meus xodós.

5. "Juliana tá DES-MAI-ADA!!!": Qual livro te deixou com ressaca literária, sem poder ler outros livros?


Pequena Abelha me destruiu de todas as maneiras. O livro é marcante! Abriu meus olhos para o mundo em que vivo e me fez repensar alguns atos. Um dos melhores que já li!


Quando terminei este livro fiquei meses sem conseguir ler qualquer outro. Destruiu-me emocional e psicologicamente. Não sei se a culpa foi do final devastador ou o fato de ser o último livro da série. Só sei que me deu uma ressaca gigante.

7. "Shamuchamochamu chama o SAMU!": Que livro te deixou louco pela continuação?


After é aquele tipo de livro que, de tão ruim, é bom. Estou super curioso pela continuação, mas ainda não consegui lê-la.

Eu terminei de ler “os sete” – primeiro livro – e fiquei ansiando pela continuação. Eu fui comprar Sétimo meses depois, resultado: NÃO LI ATÉ HOJE. 


8."Eu errei, viu?": Escreva aqui um pouco sobre aquele livro que você achou se seria uma coisa e é outra!



A Lista Negra é sim um livro bom, mas não chega nem perto do que as pessoas falavam sobre ele. Decepcionei-me bastante, infelizmente.

Ao terminá-lo fui conferir se o MESMO David Levithan de: garoto encontra garoto; Todo dia e Will&Will tinha escrito invisível. Que final foi esse? O enredo estava perfeito, chega ao final e toma outro rumo. AHHHHHH! 

Foi isso! Espero que tenham gostado. Beijo e Abraço.

Pipoca de Sexta #51 - Os Vingadores 2

24 de abril de 2015

Heey pessoal! Beleza? Estou aqui hoje pra contar para vocês o que eu achei de um dos filmes mais aguardados do ano. The Avengers 2! Confiram:

Título: Os Vingadores 2
Gênero: Ação
Distribuidora: Disney
Ano de Lançamento: 2015
Nacionalidade: EUA
Direção: Joss Whedon

Avaliação:

Trilha Sonora: 5/5
Personagens: 4/5
Obra Completa: 4/5





Tentanto proteger o planeta de ameaças como as vistas no primeiro Os Vingadores, Tony Stark busca construir um sistema de inteligência artifical que cuidaria da paz mundial. O projeto acaba dando errado e gera o nascimento do Ultron. Capitão América, Homem de Ferro, Thor, Hulk, Viúva Negra e Gavião Arqueiro terão que se unir para mais uma vez salvar o dia.







RESUMO
Logo após a guerra com os seres alienígenas Os Vingadores encontram-se cansados e, por isso, Tony Stark juntamente com Bruce Banner desenvolvem um projeto de inteligência artificial, o projeto Ultron, para reorganizar a paz mundial e dar as merecidas férias para a equipe de heróis. O problema é que o projeto de Stark dá errado e Ultron surge com mente já formada e pronto para destruir tudo.

Os Vingadores se juntam para tentar salvar o mundo da ameaça de Ultron, mas não esperavam pelos irmãos Wanda e Pietro Maximoff. Agora, além de derrotar Ultron eles terão que vencer uma feiticeira poderosa e seu irmão com super velocidade. Ou será que não? 
OPINIÃO
Minhas expectativas a respeito de Vingadores 2 não poderiam ser maiores. Confesso que fui assistir ao filme com dor na barriga (ansiedade) e o medo de uma decepção me deixava assustado. Porém, o filme se mostrou merecedor do meu ingresso, além de ser empolgante ao extremo. Perfeito? Não!

O filme começa já com um plano sequência muito bem feito e que explora magistralmente a câmera e mostra como Joss Whedon está presente no filme. Logo após, obviamente, a fórmula: "ação"; “tensão”; “calmaria”, é repetida. Todo filme com cenas impactantes precisa de momentos calmos para o público “respirar” e, é claro, entender as motivações e razões dos personagens e, consequentemente, entender o enredo. Achei o processo meio lento e defeituoso. Algumas cenas ficaram longas demais e outras relativamente curtas. Adoraria conhecer mais sobre o passado de alguns personagens e também ser convencido pelo clima entre Hulk e Viúva.
TOOOOP!
Ultron aparece rapidamente e já causa impacto no espectador deveras atônito com o clima de tensão que já acompanha o filme. O vilão é misterioso e perturbador e a cena na qual o mesmo “nasce” foi feita brilhantemente. É de encher os olhos! (literalmente). O problema, é que o vilão perde seu brilhantismo ao longo do filme e seus diálogos começam a ficar clichês, cansativos e altruístas demais. No final, o espectador já sabe o final do vilão. Não que isso seja ruim, mas o modo como Ultron se mostra bobo durante todo o desenvolvimento do filme já adianta a previsibilidade natural de um filme dessa tipologia. O espectador acaba não sentindo remorso, ou qualquer sensação de perda. Ultron não deixa nenhuma marca, chega a ser apenas uma desculpa para as motivações dos personagens e de toda a guerra.

As cenas de ação do filme são espetaculares e empolgam até os não conhecedores e admiradores do universo MARVEL. Os efeitos especiais estão perfeitos. Fiquei até emocionado ao ver o modo como o cinema avançou e tudo o que se é possível fazer com nossas novas tecnologias. Tudo é executado com um carinho incrível; O 3-D está impecável, é possível enxergar as feições de Mark Ruffalo no rosto de Hulk. ISTO É CINEMA!
Ultron </3
A ironia e o sarcasmo estão presentes no filme (logicamente) e são um aliado poderoso para descontrair e acalmar o público – eles sabem que nos gritamos que nem loucos – já cansado (mas feliz). Frases de efeitos cafonas e piadas sexualmente provocantes dão um tom de originalidade impagável a obra e mostra ao espectador que o dinheiro dele não foi gasto atoa. A mesma fórmula de Vingadores 1, porém aprimorada. Eu adorei!
HULKBUSTER
Os irmãos Maximoff foram super aguardados por todos nós. Feiticeira Escarlate não me decepcionou em nenhum momento (Wanda), mas o desenvolvimento de seu irmão, Mercúrio (Pietro) me deixou bem chateado. Wanda é enigmática e poderosa ao extremo. Seu poder vai sendo mostrado aos poucos e, no final, a amostra máxima de sua força é vislumbrada pelo espectador. Um excelente e empolgante gancho para o próximo filme! O desenvolvimento de Mercúrio é superficial. Tive a sensação que o personagem estava ali apenas para complementar o grupo dos Vingadores e, que logo após, seria descartado. E realmente, não foi diferente do que eu imaginei...

Entretanto, adorei o que o diretor e o roteiro fizeram, que foi proporcionar um maior desenvolvimento da história de personagens que, até então, não tinham sido tão bem explorados na trama.  Viúva Negra e Gavião Arqueiro possuem uma importância inigualável para o filme e pode-se dizer que o real protagonista dessa segunda parte é Gavião Arqueiro. Hulk é deixado de lado, porém, seu desenvolvimento é concluído com êxito. 
Dama fatal!
Algo que me chateou um pouco foram alguns furos na história e o modo como algumas coisas são mal explicadas (ou nem são). Acontecimentos frenéticos são a marca da franquia, mas aqui, alguns se perderam e tornaram a confusão uma desgostosa constante durante a sessão. Espero que eles tentem explicar os furos nos próximos filmes da franquia.
Mercúrio e Feiticeira Escarlate.
Vingadores é um filme empolgante ao extremo, bem desenvolvido, crível emocionalmente e que não tem medo de explorar a fraqueza de seus heróis “invencíveis”. O desenvolvimento de alguns personagens decepciona e o ritmo cai deliberadamente em alguns momentos, mas nada que apague por completo o brilho do filme. Gritei, (quase chorei), gritei mais um pouco e fiquei com cara de tacho. Se recomendo? AGORAAAAA!

Resenha: A Ilha de Bowen - Céjar Mallorquí

20 de abril de 2015

Oi pessoal, tudo bem? Hoje trago uma resenha de um livro que surpreendeu-me muito e quase se tornou meu favorito! Confira os motivos na resenha, vamos lá:

Título: A ilha de Bowen
Título Original: La isla de Bowen
Páginas: 524
Autor: Céjar Mallorquí
Editora: Biruta
Gênero: Fantasia
Ano de Publicação: 2015

Avaliação:

Capa: 5/5
Diagramação: 5/5
Obra Completa: 4/5






A Ilha de Bowen - Tudo começou com o assassinato do marinheiro Jeremiah Perkins, em um pequeno porto norueguês, e com um pequeno pacote, que ele enviou para Lady Elisabeth Faraday. Mas talvez a história tenha começado quando estranhas relíquias foram descobertas em uma antiga cripta medieval. Foi por causa disso que o mal‑humorado professor Ulisses Zarco resolveu embarcar em uma aventura a bordo do Saint Michel, enfrentando inúmeros perigos e o terrível mistério que envolvia a Ilha de Bowen.






RESUMO:
Samuel Durango é um fotografo que não sabe o que fazer da vida. Tem medo de começar um novo serviço e retomar a rotina de sempre: casa, trabalho, casa e trabalho. Entretanto, resolveu ir para a SEDE DA SIGMA levar suas produções para o professor Zarco conferir.

Contente com sua ocupação na empresa SIGMA, Durango não imaginava que viveria uma aventura. Lady Elisabeth – Lisa – solicitou ao professor Zarco para ir procurar seu – talvez - falecido marido, John, um tripulante que sumiu misteriosamente à procura de relíquias.

O que Zarco não esperava, é que John deixou um artefato muito raro nas mãos de Lisa, com interesse em descobrir o que é a coisa, resolveu viajar para Santander e encarar qualquer coisa para encontrar John.
OPINIÃO
A ilha de Bowen foi o primeiro livro que recebi da editora Biruta e confesso: FOI UMA GRANDE ENTRADA! Apesar de ser infanto-juvenil, o autor traz um enredo forte com frases intrigantes. Além disto, faz referência à obra: A viagem ao centro da Terra. A trama ocorre no início do século passado.

Os personagens – que são muitos – foram muito bem construídos. Foi a partir daí que percebi a criatividade do autor. Apeguei-me demais ao Samuel – fotografo -. Ele é observador, inteligente, talentoso e uma pessoa imprevisível. No decorrer do enredo ele foi amadurecendo e de “menininho” passou a ser primata.

“- Meu nome é Samuel Durango Muñoz – disse, finalmente -, e nasci em Malpica de Tajo, uma cidade de Toledo, em dezoito de novembro de 1896. Meus pais morreram de tifo quando eu tinha seis anos.”

Professor Ulisses Zarco além de ser machista é: arrogante, grosseiro e mal humorado. Claro que há suas qualidades: sábio, calculista e corajoso. Pude perceber que a forma como o autor o descreveu servia para nutrir uma pequena raiva do personagem, mas não deu certo. Conforme os acontecimentos iam passando, ele foi se tornando uma pessoa melhor. No fim, tornou-se aquele professor que todos querem ter.

“– Grosseiro, mal-humorado e arrogante. É homem de muito caráter, geralmente mau, mas é pura fachada. Se lhe disser coisas inconvenientes, não leve a sério.”

Lady Elisabeth é uma mulher dedicada, disposta e independente. Enfrenta o que for necessário para ter o que quer. Inteligente e hábil. E há sua filha Katherine, aquele personagem que começa super desnecessário, mas no decorrer torna-se um dos personagens mais importantes da estória.

As aventuras são muito bem amarradas e as situações são divertidas e instigantes. Os vilões são interessantes, mas bem alapardados. Algumas partes aconteceram de forma premeditada e célere – primeiros capítulos – não sei o que Mallorquí pretendida com isso, mas foi um grande passo para prender-me a trama.

“– Sequestraram a gente... para jogar XADREZ?”

A narrativa de César é cheia de descrições e brilhantes ideias. É um livro fluído, apenas algumas partes ficam monotomas, mas nada que o deixe cansativo. O autor é bem detalhista, os diálogos são bem construídos. O desfecho foi incrível. Mallorquí soube criar um clímax impecável e claro, os personagens magníficos contribuíram com isso.

A ilha de Bowen nos traz um enredo repleto de aventuras, enigmas e mistério. O autor conversa com o leitor pela forma da escrita que tem. É uma obra trabalhosa. E quando chega ao fim, da vontade de ler novamente.

“Nunca me arrependi tanto de alguma coisa como da decisão de fazer esta viagem – disse Garcia, muito sério. – Uma única vez que saí da Espanha e encontro armadilhas magnéticas, monstros metálicos, bandidos armados, erupções vulcânicas, maremotos e todo tipo de fenômenos perigosos.”

A edição está impecável. Diagramação é rica e perfeita para quem gosta de fontes médias. Há ilustrações – informações – junto ás páginas e a capa está muito chamativa. O tom de azul com preto atrai qualquer um. Meus Parabéns a editora Biruta!

Eu, com certeza, recomendo a leitura do livro. Vocês não irão se arrepender.

Beijos e até a próxima <3

Resenha: Anexos - Rainbow Rowell

17 de abril de 2015

Heey peoples! Hoje apresento a vocês a resenha de um livro que me surpreendeu muito e que, apesar do começo lento, conseguiu me conquista. Let's go!

Título: Anexos
Título Original: Attachments
Páginas: 368
Autor: Rainbow Rowell
Editora: Novo Século
Gênero: Chick-Lit
Ano de Publicação: 2014

Avaliação:

Capa: 5/5
Diagramação: 4,5/5
Obra Completa: 4/5



Anexos - Beth Fremont e Jennifer Scribner-Snyder sabem que alguém está monitorando seus e-mails de trabalho. (Todo mundo na redação sabe. É política da empresa.) Mas elas não conseguem levar isso tão a sério, e continuam trocando e-mails intermináveis e infinitamente hilariantes, discutindo cada aspecto de suas vidas.

Enquanto isso, Lincoln O'Neill não consegue acreditar que este é agora o seu trabalho ler os e-mails de outras pessoas. Quando ele se candidatou para ser agente de segurança da internet, se imaginou construindo firewalls e desmascarando hackers e não escrevendo um relatório toda vez que uma mensagem esportiva vinha acompanhada de uma piada suja. Quando Lincoln se depara com as mensagens de Beth e Jennifer, ele sabe que deveria denunciá-las. Mas ele não consegue deixar de se divertir e se cativar por suas histórias. No momento em que Lincoln percebe que está se apaixonando por Beth, é tarde demais para se apresentar. Afinal, o que ele diria...?


Resumo:
Lincoln é jovem, porém sem perspectivas. Finalmente conseguiu arrumar o emprego dos sonhos em um famoso jornal. Ele é "agente de segurança da internet", mas as coisas não ficaram assim tão reluzentes para ele. Lincoln lê o email de todos e checa se os mesmos não estão com palavras "exageradas" ou até mesmo fugindo das normas da empresa. O emprego é chato! Lincoln está cansado! Até que se depara com Jennifer e Beth.

Alopradas e sem papas na língua, as duas garotas contam tudo em seus emails constragedores (para Lincoln). É errado, mas ele não tem coragem de denunciá-las. Afinal... É a única coisa divertida que existe naquele "emprego" e, sendo assim, ele não se sente culpado em ler os emails e não fazer sua parte.

Tudo corre monótona e, ao mesmo tempo, divertidamente, mas uma revelação que deixa Lincoln mexido pode abalar tudo. Beth está afim dele! Pois é... Isso mesmo! O jovem que não beija na boca a um bom tempo, logicamente, fica alucinado, porém sabe que não pode corresponder a esse amor e, muito menos, contar tudo o que está acontecendo para alguém. E AGORA?
Opinião:
Anexos possui uma premissa relativamente simples e personagens que, aos olhos de muitos, não passam de americanos mimados, mas Rainbow Rowell mostra que nem tudo o que não reluz não é ouro. Confuso? Não para ela! Anexos é uma aula de bom humor e, obviamente, de amor.

Lincoln demorou a me conquistar. O personagem é tímido e deveras seco em seus monólogos clichês. Rowell mostrou sua habilidade já na construção do personagem. Não há um amadurecimento pretensioso, porém a evolução do personagem é dada de maneira suave e acompanha o desenvolvimento do enredo como ficção em si. Isso suprimi a falta de informações que temos de Jennifer e Beth, justamente porque a única informação que temos das mesmas são as mensagens trocadas por elas. Mensagens cruas e ironicamente altruístas.

"Quando Killey me mostrou o anel dela - platina, 1,4 quilates -, eu tive muita vontade de dizer alguma maldade sobre ele. Quem precisa de um anel tão grande, eu te pergunto? Foram anéis daquele tamanho que fizeram nossas avós pensarem que Elizabeth Taylor era uma puta."

A história possui seus momentos de clímax, mas nenhum deles chega ao ápice de empolgação vistos em outros livros da autora, como Eleanor e Park. Anexos é tão bom, justamente por isto. O livro é simples! Os emails recheados de humor negro trocados por Jennifer e Beth divertem e fazem o leitor refletir sobre diversos assuntos. Ao mesmo tempo, ficamos torcendo por Lincoln e loucos para saber qual será o rumo que a vida do personagem irá tomar. Um enredo perfeitamente organizado, divertido e amarrado.

O drama é um aliado poderoso a qualquer enredo. Com a identificação do leitor com a história triste ou desesperada de algum personagem, as chances do livro dar certo são maiores. Rowell mescla drama e humor na dose perfeita e não deixa nada ficar desconfortável ou forçado. Os personagens fazem parte de um núcleo divertido, mas que é verossímil. O real não é ignorado por ela. Como na vida, há: dor, paixão, risos, lágrimas, ignorância e etc., Fatores como estes, tornam seus personagens tão humanos e queridos pelos leitores. Sua dedicação - alá talento - é admirável.

"Não. Não podia ser. Ela não poderia estar querendo dizer.. Ele se levantou de sua mesa, andou pela sala vazia de Tecnologia da Informação. Tornou a se sentar. Releu o e-mail. "Fofo", ela havia dito. "Forte", ela tinha dito. "Ah meu Deus, ela havia dito. "Lindo"."

Por mais que o desenvolvimento de Anexos seja feito de maneira magistral, não a como negar que Rowell se atrapalhou no início. O livro demora pegar ritmo e apresenta-se clichê e massante até a página 80. Eu entendo que o tempo que ela gastou para desenvolver tudo aquilo foi grande, mas algumas partes poderiam ter ficado de fora e outras poderiam ter sido melhor trabalhadas.

Como sempre, a editora Novo Século arrasou na edição. Tudo está harmônico e condizente com o que foi proposto pela autora. Adorei a capa (minha preferida dos livros da autora) e me apaixonei pela diagramação e tradução bem feitas. Vislumbrar uma futura dedicação com os outros livros da autora nem é preciso, pois a qualidade sempre se repete.

"Quando Lincoln percebeu que não tinha enviado um alerta a Beth Fremont e a Jennifer Scribner-Snyder - depois de quantas ofensas? Três? Uma dúzia? -, não conseguiu se lembrar por que não enviara. Talvez porque ele nem sempre conseguia descobrir que regra elas estavam quebrando. Talvez porque parecessem completamente inofensivas. E legais."

Anexos é introspectivo e eloquente. Uma antítese bem aplicada e, aliada da ironia. O livro é um tapa na cara dos ignorantes conservadores e é descolado ao extremo. Com personagens carismáticos e um enredo simples vai conquistar você de pouco a pouco. Dê uma chance ao início massante e trabalhoso. Você será recompensado! RECOMENDO.

Vivendo e Atualizando #22

15 de abril de 2015

Heey pessoal! Que tal ficar por dentro de tudo o que tem rolado no mundo do entretenimento? Tem muita coisa legal pra conferir. Bora!
Suma de Letras lança livro de contos de Stephen King. Ed Motta se desculpa com brasileiros e vazam 4 episódios de Game Of Thrones.
Incêndio destrói prédio da editora Galera Record.

Dia 27 de Março, um trágico incêndio atingiu o prédio da editora Record. As chamas se alastraram rapidamente e cerca de 2 horas e meia foram gastas para controlar as chamas. Ainda não se sabe as causas do incêndio, mas se investiga. A editora informou que houve sim prejuízos, mas a maior parte do trabalho foi conservada e, ainda bem, não houveram feridos. 
Suma de Letras lança livro de contos de Stephen King.


Suma de Letras (linda como sempre) já lançou “Escuridão Total Sem Estrelas” novo livro do mestre do terror. De acordo com a própria editor: “É uma coletânea da qual fazem parte 4 contos/novelas  que contém um clima mais denso e centrado basicamente na temática da vingança: “1922” e “Big Driver”. Vale lembrar que o livrou ganhou diversos prêmios e se destaca entre as obras do King. SIM! Terá resenha.

MÚSICA
Ed Motta se desculpa por declaração polêmica.

Ed Motta se desculpou com todos os brasileiros por sua indelicada declaração sobre o comportamento de seus fãs em seus shows fora do país. Em uma entrevista ele declarou: “Ninguém erra? Sim todo mundo erra, e em diferentes escalas, a pessoa pública não é Deus, está no mundo para errar assim como todos. Depois que se erra, existe um preço a pagar e eu sou completamente ciente disso”. E ai? Acha mesmo que ele se arrependeu?
Clipe de "Pretty Girls" está quase finalizado.

“Pretty Girls” nova música de Iggy Azalea em parceria com Britney Spears está quase finalizado. Recentemente foi divulgado um vídeo 9 segundos com um pequeno trecho da música, porém o vídeo já foi retirado da internet. Será que hita?

CINEMA e TV
Vazam 4 episódios da nova temporada de Game Of Thrones.

A estreia de Game Of Thrones bombou, mas infelizmente a HBO teve de lidar com uma triste notícia. Foram vazados os quatro primeiros episódios da série na INTERNET o que causou um alvoroço entre os fãs. Cerca de 800.000 downloads foram realizados. Muito, né?
Revenge poderá ser cancelada.

Revenge está surpreendendo a AMC (não positivamente). A série que foi um fenômeno em 2012 e chegou a alcançar a liderança em seu horário de exibição, agora amarga péssimos índices de audiência e está preocupando a emissora. Pistas do cancelamento estão assustando os fãs, justamente por ter sido dadas pela emissora regente. Será que o cancelamento irá acontecer?

Foi isso pessoal. Espero que tenham curtido o post. Beijo e Abraço!

Resenha: Neil Patrick Harris - A autobiografia interativa

13 de abril de 2015

Oi pessoal, como vão? Quem é fã de How I meet your mother vai amar a resenha de hoje, apesar de tratar-se apenas de um personagem: Barney. Mas epaaaa, na verdade vou falar sobre o ator que interpreta Barney: Neil Patrick Harris. Há pouco tempo ele lançou uma autobiografia interativa sobre sua vida pessoal e profissional e agora vocês vão conferir o que achei. Vamos lá:

Título: Neil Patrick Harris - A autobiografia interativa
Título Original: 
Neil Patrick Harris – Choose your own autobiography
Páginas: 
308
Autor (a): 
Neil Patrick Harris
Editora: 
Paralela
Gênero: 
Biografia; Comédia
Ano de Publicação: 
2015

Avaliação:

Capa: 
5/5
Diagramação: 
5/5
Obra Completa: 
5/5 (favorito) 




Neil Patrick Harris conquistou a todos graças ao impagável Barney Stinson, do seriado HOW I MEET YOUR MOTHER, sucesso no Brasil e no resto do mundo. Para o personagem, a vida é sempre divertida e, como adora repetir, LENDÁRIA. Este primeiro livro do premiado e querido ator americano também é.









Resumo:
Neil agradou a todos com seu personagem totalmente amado: Barney Stinson, do seriado How I meet your mother. Apesar de não ser o protagonista, ele roubou o papel do mesmo. É estranho vê-lo como um personagem heterossexual, pegador e com manhas de homem, sendo que ele é SUPERGAY, como ele mesmo diz. Neste livro é apresentado história de sua vida e sua carreira com um toque de humor e ficção. Vamos entender como ele consegue interpretar os personagens, gravar as falas e viver momentos com seu companheiro: David.  
Opinião:
Como toda autobiografia interativa é óbvio que há um toque de diversão na coisa. Ao invés de contar sua trajetória de maneira tradicional, Neil misturou ficção, humor e mágica – algo que ele gosta de fazer no tempo livre -. E o mais legal de tudo é: quem escolhe o rumo que a história vai tomar é o leitor.

No fim de cada página, possui as coordenadas que você deve seguir. Ou você segue a sua própria vontade lendo do jeito tradicional, uma página de cada vez, ou, você segue as páginas que o Patrick sugere. Você escolhe. Caso escolha corretamente, Neil Patrick encontrará fama, dinheiro, amor verdadeiro e How I meet your mother. Se o leitor optar errado, o resultado será miséria, sofrimento e uma morte horrível. 

"Intuitivamente o processo: a memorização das falas, os ensaios, a marcação dos atores, as discussões a respeito do ângulo da câmera, a coisa toda. É novo, é diferente, é excitante, mas não é algo com o qual você não saiba lidar. Você é daqui.”

O livro é narrado em primeira pessoa. Você é o Neil Patrick Harris, tudo que acontece é você quem está vivendo. Por isso Neil deixou a opção das coordenadas. Há também bastantes imagens sobre sua infância, adolescência e sobre sua carreira no teatro.

Além disso, Neil fala sobre o começo da sua carreira, suas primeiras audições e o que ele acha de alguns atores de Hollyood. Ele tem antipatia por alguns – mas garanto que foi merecido-. Ele deixa bem explicito seu relacionamento com o ator David Burtka e conta sobre seus dois filhos. Ele se autodenomina como SUPERGAY. Primeira vez que li um autobiografia interativa e AMEI! É legal conhecer a vida de um ídolo de uma forma diferente. Uma forma bem cômica. Até os “podres” de sua vida ele contou em forma de piada.

“Você é gay. Você sabe disso; aceita isso; gosta de ser quem é; tem orgulho de ser assim. Você é supergay. E agora é supergay e está superapaixonado, e isso é maravilhoso.”

Ainda tem mais: Neil ensina truques de mágica e receitas de drinks.

A edição está impecável. A capa super criativa com cores fortes. A folha, a diagramação e o tamanho da letra estão excelentes e as imagens selecionadas estão engraçadas. Eu super recomendo, principalmente para quem ama o Barney, mas não conhece o verdadeiro NEIL PATRICK HARRIS.

“Vocês dois também concordam que o corpo humano é mais resistente a uma queda de seis metros até as guardas de uma ferrovia quando esse corpo já perdeu a cabeça de tão bêbado e drogado.”


Beijos e até a próxima <3

Music Life #10 - See You Again, Smile e Hey Jude

11 de abril de 2015

Oi leitores, tudo bem? Fiquei sabendo que o primeiro Music Life que eu fiz foi sucesso – yeaaah -. Isso me deixou muito feliz. E claro, tenho que agradecer a vocês. Obrigada! E enfim, eu fiquei um pouco afastada do blog, assim como o Gabs, mas estamos de volta com resenhas e tags super legais.

Hoje selecionei 3 músicas que eu amei totalmente. Tanto pelo clipe, quanto pela letra. Acredito vão gostar também e não se esqueçam de deixar a opinião de vocês. Vamos lá:

Músicas citadas na coluna de hoje: See you again, Smile, Hey Jude (Across the universe version).


See you again: Wiz Khalifa ft. Charlie Puth


Como vocês devem saber, há pouco tempo foi lançado o filme Velozes e Furiosos 7 sem a participação do Paul Walker – pois o mesmo faleceu em um acidente de carro -. E como ele também era um dos personagens principais, foi uma tristeza tanto para seus amigos de trabalhos, quanto para os fãs (eu). A trilha sonora do filme foi feita pelo Wiz Khalifa e confesso que me arrepiei ao ouvir a música. Achei as cenas selecionadas para o clipe tão melancólicas e sensíveis. É algo que te faz chorar. E na letra diz: “Tem sido um longo dia sem você meu amigo. E lhe direi tudo quando te ver de novo...” – Até quem é coração de pedra fica emocionado!


Smile: Mikky Ekko


Eu sei que os fãs de John Green estão ansiando pelo filme Papers Town (cidades de papel) e nada melhor do que uma bela trilha sonora, não? Smile já está tocando no trailer do filme e assim que eu ouvi já amei. É uma música tranqüila, nada romântica – não se enganem – pois a tradução é bem trágica. É aquela música gostosa de ouvir, ou boa para escutar enquanto lê. Eu não conhecia Mikky Ekko, mas depois de Smile comecei a procurar mais sobre ele. Em minha opinião, foi uma ótima escolha para Cidades de papel. Não sei por que, mas combinou com os personagens. Escutem, não vão se arrepender.



Hey Jude: Beatles (Across the universe version)



Eu assisti a um filme chamado: Across the universe e o mesmo é baseado – inteirinho – nas músicas dos Beatles. E uma grande coincidência: o protagonista é Britânico, hm. E claro que, ao ouvir todas as musicas, bateu a maior nostalgia. Eu escuto Beatles desde pequena, então é uma banda que fez parte da minha infância, faz parte da minha adolescência e irá fazer parte da minha vida. A música que mais me chamou atenção – no filme – foi Hey Jude. Além de recomendar a música, eu recomendo o filme. É lindo, e a música dos Beatles o deixou ainda mais perfeito. 


Espero que tenham gostado do post e deixem nos comentários se já ouviram alguma das musicas citadas. Beijos <3 

Leituras de Março

9 de abril de 2015

Heey pessoal! Primeiramente quero pedir desculpas a todos vocês pelo atraso ENORME dos posts e a bagunça do blog. Fiquei sem computador por quase uma semana e isso desorganizou toda minha vida, mas já estou com meu Notebook em mãos, por isso garanto. Tudo voltará ao normal! Agora, confiram tudo o que eu li no mês de Março.



Lidos em Abril:

A Vida do Livreiro A.J.Fikry - Gabrielle Zevin


A Vida do Livreiro foi um bom livro, porém, admito que esperava bem mais da obra. Achei super interessante a maneira como a autora desenvolveu Fikry e sua filha, mas também achei a premissa demasiadamente fraca e até clichê. Em suma, é um livro mediano.

Cure Meu Coração - Melissa Walker



Apesar de não estar esperando maravilhas do livro, eu esperava sim gostar bastante de Cure Meu Coração, mas infelizmente isso não aconteceu. O livro é clichê, monótono e enrolado ao extremo. Não recomendo!

A Lista de Brett - Lori Nelson Spielman


Uma bela surpresa! Tenho TANTOS elogios a fazer para esse livro maravilhoso, que pode até soar forçado, mas é sério... AMEI! Só leiam a resenha e vejam que tenho motivos de sobra para isto.

A Mais Pura Verdade - Dan Gemeinhart


A Mais Pura Verdade foi uma boa surpresa para mim, porém, achei o livro simples demais. O autor não se preocupou em desenvolver os personagens e tudo passou rápido demais. Contarei mais na resenha.

GO - Nick Farewell

GO é um livro que tem fama de ter mudado a vida de muitas pessoas e, apesar de não ter mudado a minh, o livro me surpreendeu muito. Adorei a construção dos personagens e o modo como o autor aplica as metáforas. Também terá resenha.

Foi isso o que eu li em Março. E vocês? O que leram? Beijo e Abraço!















EU VIVO LENDO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
DESIGN E DESENVOLVIDO POR SOFISTICADO DESIGN