Crítica: O Vilarejo de Raphael Montes

7 de dezembro de 2015

Páginas: 92


Autor(a): Raphael Montes


Editora: Suma de Letras


Ano de Publicação: 2015 


Avaliação: 

Capa - 5 estrelas 

Diagramação - 5 estrelas 

Obra Completa - 5 estrelas



Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome. As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.
Oi leitores, tudo bem? Fiquei um boooooom tempo sem postar e sem dar nenhuma noticia, mas isso tem explicação: Eu tinha começado a trabalhar e ainda estava estudando. E, com isso, estava sem tempo para nada. N A D A! Porém, tomei uma decisão na minha vida e como passei em uma faculdade, irei dedicar-me apenas a isso. Sem emprego, nem nada. Apenas faculdade. Agora, organizei-me melhor e vocês vão ver minhas publicações com frequência.

Hoje trago a vocês a crítica de um dos meus autores preferidos. E sim, ele é brasileiro. Recentemente a Suma de Letra publicou a mais nova obra do autor Raphael Montes, “O Vilarejo”. Raphael é autor de “Dias perfeitos” e “Suicidas”. Como o enredo é dividido por contos (sete, no total) resolvi falar um pouco dos que eu mais gostei. Devo dizer que este livro foi lacrador!




Opinião:

Belzebu – Banquete para Anatole:

Cada capítulo é representado por nomes de diferentes demônios. O primeiro é Belzebu, que diante de alguns relatos significa “Gula”. Neste conto, Raphael apresenta-nos a protagonista Felika, a única mulher do Vilarejo que ainda tem comida no estoque após o ataque que todos sofreram.

Três itens destacados neste conto: gula, egoísmo e psicopatia. O egoísmo é bem evidente. Felika possuía uma grande quantia de comida que dava para alimentar boa parte do Vilarejo. Porém, escondeu tudo. Enquanto ela saciava sua fome, os outros morriam desnutridos. A gula é outro fator bem explícito pelo fato de: quanto mais comida ela tinha, mais feliz ficava. Independente se comia ou não, ela precisava ter muitos alimentos. E mesmo tendo o suficiente, mandou seu marido ir caçar, arriscando sua vida.

Psicopatia... Bom, vocês vão ter que ler para descobrir. Mas, sim, é algo muito forte. Eu dei cinco estrelas para este conto porque Raphael conseguiu transformar algo “fofinho” em horror puro. No começo transparece que tudo que Felika faz, mesmo com todos os defeitos, é para o bem dos filhos, até chegar o final e...

O melhor de tudo foi que o personagem secundário (uma velha) parecia ser o anti-herói. Porém, enganei-me totalmente. Raphael soube usar tudo relacionado a terror: drama, thriller e suspense. Foi um conto rápido, com uma escrita muito suave e o desfecho casou com o inicio e o meio.


Leviathan – As irmãs Vália, Velma e Vonda:


Diante de relatos, Leviathan significa: Inveja. É exatamente isso que este conto traz do inicio ao fim. Eu comecei lendo com uma visão de que a história iria abordar três irmãs e um homem que vencem o vilarejo e etc. Enganei-me totalmente! Raphael começou dosando as personagens com muito amor, muito valor familiar e muita fofice. Logo em seguida, veio o choque de: terror, psicopatia e inveja.

Uma das irmãs comete algo totalmente desumano que mexe com a cabeça do leitor. E você fica pensando: “A inveja é capaz disso?”. Esse foi um dos meus contos preferidos porque a personagem menos formada foi a principal. Gostei dessa idéia de: “Quem não fala com a boca, fala com a mente.”


Mammon – O porquinho de porcelana da Sra. Branka:

Em minha opinião, metade do universo deve ler este conto. Ele aborda o assunto: DINHEIRO! Sim, fala sobre a ambição de uma pessoa com a quantidade de dinheiro. A protagonista Sra. Branka desde o inicio mostra ser uma pessoa horrível de coração.

Com o falecimento de sua filha e de seu genro, passa a cuidar de sua netinha. Os moradores do vilarejo tentam ajudar doando leite, porém ela recusa. Ela menospreza todos. Ou seja, além de ambiciosa, é ostensiva.

A principal alerta foi: Dinheiro não é tudo. Sabemos que hoje em dia, tudo. Tudo! É conquistado ou feito a base de dinheiro. Portanto, há algumas coisas que não tem como comprar: amor, respeito, lealdade e humildade. E Raphael deixa bem claro no conto que, quanto mais dinheiro você tem, menos feliz você pode ser. Eu amei o desfecho porque o assassino foi um objeto feito de papel.


Os outros contos:

Eu dei ênfase nesses três contos porque foram os que me chamaram mais atenção. Tanto pelo enredo, quanto pelo alerta que eles passam. Porém, os outros foram sensacionais também. Todos abordam as mesmas temáticas: inveja, gula, ira, preguiça, ganância e soberba. Portanto, cada um tem sua estória e uma escrita diferente. Em alguns contos Raphael foi super breve, em outros detalhou mais. Ao todo, o livro merece cinco estrelas.

O autor conseguiu dosar cada capitulo com aquilo que realmente precisava. Não ficou enchendo de coisas que deixam o leitor entediado, mas também não deixou faltar informações. A ideia de colocar um demônio em cada capitulo que coincide com a estória foi muito genial. É assustador e ao mesmo tempo interessante.


O vilarejo é um livro curto, que prende atenção do inicio ao fim, e que em uma lida já acaba. É aquele tipo de enredo que não dá medo a ponto de dormir com a luz acesa, mas deixa o leitor bem instigado a ponto de ficar pensando a noite inteira. Raphael lembra bastante o Tio Stephen King pela escrita forte. Eu super recomendo!


PS: Edição

A edição está impecável. A capa chama atenção de qualquer um: as folhas são pretas e outras são brancas. As ilustrações são demais. São tão bem feitas que parecem reais. Suma acertou ao unir  a história com a edição. Os dois estão perfeitos.


Beijos e até a próxima! <3

2 comentários:

  1. Nunca tinha ouvido falar no Raphael Montes e, de repente, todo mundo não para de falar nele! To muito curiosa para ler O Vilarejo, Suicidas e Dias Perfeitos! Sua resenha me deixou ainda mais curiosa.
    Adorei o post! Beijos,
    Vitoria | www.vitoriadozzo.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é um ótimo autor, garanto! Comece por "Dias Perfeitos".
      Beijos! <3

      Excluir

Heey!

Agradecemos pela visita. O que achou do post? Compartilha sua opinião conosco. Obrigado :)
















EU VIVO LENDO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
DESIGN E DESENVOLVIDO POR SOFISTICADO DESIGN