Resenha: Meu Inverno em Zerolândia - Paola Predicatori

Hey Pessoal. Como estão? A resenha de hoje é sobre um livro que é um pouco diferente dos YA convencionais. O livro é introspectivo e profundo, porém, falha na hora de aplicar isso aos personagens. Olha só:

Título: Meu Inverno em Zerolândia
Título Original: Il Mio Inverno a Zerolândia
Páginas: 184
Autor(a): Paola Predicatori
Editora: Suma de Letras
Ano de Publicação: 2014

Avaliação:

Capa: 5/5
Diagramação: 4/5
Obra Completa: 3/5



Romance de estreia da italiana Paola Predicatori, Meu inverno em Zerolândia é a história de uma perda, da vida escolar conturbada e dos caminhos desajeitados e incertos que o amor pode tomar. Alessandra tem 17 anos quando sua mãe morre. Sua dor é como uma redoma e quando retorna à escola, se afasta dos amigos e vai sentar junto a Gabriel, conhecido como Zero, a nulidade da turma. Deseja apenas ser ignorada, como acontece com ele. Zero, porém, é mais interessante do que parece. Em sua falsa indiferença, é atento e sensível. É ele quem socorre Alessandra, aparecendo inesperadamente ao seu lado quando ela precisa de ajuda. Viram um par: Zero e Zeta. Aos poucos, um sentimento indefinível ganha forma entre as paredes da classe e a praia de inverno, surgindo uma história delicada e forte que mudará para sempre a vida desse casal de adolescentes. De maneira realista, Meu inverno em Zerolândia mostra a juventude italiana e seu cotidiano, em uma história dura e envolvente, capaz de mostrar que a soma de dois zeros não é zero, mas sim dois.


RESUMO
Alessandra tem 17 anos e como toda adolescente dessa idade, a jovem exala curiosidade e confusão com a vida. Uma tragédia acontece em sua família: sua mãe morre. A jovem fica devastada emocionalmente e passa a perder toda a esperança na vida. Na escola, ela tenta se isolar de tudo e de todos, mas acaba esbarrando com Zero (Gabriel), o menino mais estranho da escola. Estranho, mas interessante.

Alessandra passa a se aproximar de Zero aos poucos e ve nele alguém em que pode confiar. O jovem é introspectivo e deveras apático, e de acordo com a própria jovem, os dois dão super certo, pois são iguais. Ambos vivem em Zerolândia! Zeta e Zero. O casal.

Ao longo do tempo a relação entre eles vai ficando mais forte, assim como as fofocas e piadas de mau gosto envolvendo os dois. O sentimento está crescendo e, com ele, a confusão. Será que ficarão juntos? Conseguirão vencer os obstáculos que os aguardam? Como Alessandra continuára lidando com a morte de sua mãe?
OPINIÃO
Ultimamente venho procurando livros YA que fogem um pouco da fórmula convencional desse tipo de gênero. Vi em "Meu inverno em Zerolândia" a aparente quebra dessa fórmula, por isso, solicitei-o com a editora. Realmente, o livro é diferente, mas não tanto quanto eu pensava.

O livro se inicia já com as lamúrias da personagem principal. Ela perdeu sua mãe e essa saudade da mesma é narrada de maneira delicada e poética. Me encantei logo de início e minhas expectativas com o restante do livro aumentaram, porém, depois da introdução de Alessandra, a história começou a se perder. Motivo? Gabriel!

“Eu o invejo por aquela coisa que ele sabe fazer tão bem e que no entanto não exibe nunca, não explora nunca, por aquele seu talento que esconde nas mãos fechadas e metidas nos bolsos do casaco de 15 euros”.

O livro, quase todo, gira em torno do romance entre os dois - o título faz alusão a esse romance- e confesso que achei o mesmo um pouco fraco e até fresco. Gabriel é chato e egoísta e suas motivações e rancores não são bem expostas ao longo do livro e Alessandra muda totalmente sua personalidade quando está de frente para o jovem. Ela fica submissa e isso não soou bem. O romance entre os dois até tinha potencial, mas acabou perdendo-se no meio do caminho. O que é grave, já que a história, quase toda, gira em torno do mesmo.

O desenvolvimento dos personagens não ficou ruim, mas senti falta de conhecer mais a avó de Alessandra. Ela está no livro apenas para complementar a família da jovem e, infelizmente, mal lemos um diálogo entre as duas. É uma personagem, que se não estivesse no livro, não faria falta. Isso me incomodou bastante!

“Sofrer é também um modo de amar você, e eu agora sei quanto te amei, e só o sei quando me sinto assim. Talvez seja uma estupidez pensar desse jeito, mas às vezes acho que com a felicidade não se aprende nada”.

Por mais que o livro seja cheio de defeitos, não posso deixar de elogiar a escrita de Paola. Ela tem um jeito poético e lírico de escrever que me fez mergulhar na história, mesmo que ela não estivesse tão interessante assim. O modo como ela narra os ambientes e os sentimento dos personagens é extremamente verossímil e conseguiu arrancar suspiros de mim. Excelente narrativa!

"Morre-se também assim, acho: não se usam mais certos objetos, não se entra mais em certos aposentos. Aprisionamos o passado para que ele não nos alcance mais com o peso das lembranças."

Alessandra quase ganhou minha simpatia, mas não conseguiu. Ela é muito sonsa! Sei que é rude falar dessa maneira, mas não há outra explicação para as atitudes e decisões da personagem. Algumas são tão clichês, que fiquei com vontade de esmurrá-la e mandá-la acordar. É inacreditável, também, a conveniência forçada dos fatos. A autora poderia ter feito com que tudo soasse mais natural.

Suma de Letras arrasou na edição! Não poderia existir uma capa melhor para esse livro, sem contar na diagramação muito bem estruturada. Encontrei alguns erros bobos no decorrer do livro que em desanimaram um pouco, mas nada incrivelmente apelador. Em suma (*ba dum ts*) é uma edição muito bela.

“Não se pode decidir quando parar de amar alguém, nem por quem se apaixonar.”

Meu Inverno em Zerolândia é profundo, mas confuso. O romance central foi mal desenvolvido e a falta de carisma dos personagens esfriou tudo ainda mais. A conveniência dos fatos deixou a história mais clichê e, também, desinteressante e aumentou minha antipatia por Gabriel; Alguns momentos do livro são impagáveis e a narrativa da autora é linda. Esse é um livro 8 ou 80. Recomendo que leia e tira sua conclusão sobre.

Beijo e Abraço!

4 comentários:

  1. Oi Gabriel, tudo bom?
    Não conhecia o livro, e realmente essa capa é um amor <3
    Quem sabe leio ele um dia desses né? Pena que agora realmente estou sem muito tempo :/
    Beijos!
    http://www.garotadolivro.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu achei o enredo bem interessante e a capa lindíssima. Sendo, assim eu daria uma chance para essa leitura.
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Biel, tudo bem? O livro me chamou atenção e parece bem legal. A capa é linda!!! Romance mal desenvolvido e confuso? Estou evitando livros assim. Hehe! Sua resenha está ótima, sincera e completa. Gostei muito.
    Abraço, www.likelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Ola! Tudo bem?
    Unha capa bem fermosa. Mais esse livro non me parece interesante.
    Gustei muito da sua resenha.
    Estamonos a ler! =)
    Beijinhoss da Espanha.
    http://abracalibro.blogspot.com.es

    ResponderExcluir

Heey!

Agradecemos pela visita. O que achou do post? Compartilha sua opinião conosco. Obrigado :)

Eu vivo lendo. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design