Resenha: Da Ordem ao Caos - Elizabeth Laban

6 de maio de 2015

Oi leitores, tudo bem? Hoje trago a resenha de um livro YA que gostei BASTANTE. E quando digo bastante, realmente foi uma super leitura. Venha conferir:

Título: Da ordem ao caos
Título Original:  The tragedy paper
Páginas: 317
Autor: Elizabeth Laban
Editora: Farol literário
Gênero: YA
Ano de Publicação: 2015

Avaliação:

Capa: 5/5
Diagramação: 
5/5
Obra Completa: 
4.5/5





Duncan é o aluno terceiranista do Colégio Irving que ficou justo no quarto do ex-aluno albino da escola, Tim - o garoto que se envolveu em um episódio obscuro para o qual havia muitas perguntas e poucas respostas -. Ao entrar em seu novo quarto, Duncan encontra uma pilha de CDs que o ex-aluno lhe deixou com revelações do passado nebuloso e que o levará para uma jornada em seus próprios conflitos, fazendo diversas relações com o tradicional trabalho de conclusão do ensino médio do colégio, o ensaio sobre a tragédia







RESUMO
O colégio Irving possui uma tradição: Os novos “terceiranistas” ficam com um quarto só para eles mesmos e o último usuário do quarto deve deixar um “tesouro” para o novo ocupante achar.

Ducan é um garoto nada popular. Quando chegou ao colégio, precisou encontrar seu quarto, e quando o encontrou descobriu que era do antigo aluno albino da Irving, o Tim – garoto misterioso que mudou a história do colégio tragicamente-. Além disto, o quarto era pequeno e ficava no fim do corredor, longe de qualquer pessoa ou lugar.

Tim deixara um CD como “tesouro” para Ducan. Mas as perguntas foram: Quem, em pelo século XXI, ainda escuta CD? E qual o motivo disso? Ao ler a carta que estava ao lado dos CDS, Ducan descobriu que precisava ouvi-los para entender o que realmente ocorreu no pior dia do colégio Irving. 
OPINIÃO
Da ordem ao caos é o primeiro livro da autora Elizabeth, e garanto: ela leva jeito. Ao ler a premissa do livro, pensei que seria do estilo “Os 13 porquês” ou “A playlist de Hayden” por se tratar de assuntos parecidos que, no caso, seria contar a estória através de playlist’s ou CD’s. Porém, enganei-me totalmente. A autora conseguiu construir um enredo único, com personagens e ambientes únicos.

 “Hoje vejo que, em muitos aspectos, o lugar onde minha história começa é, na verdade, o final de tantas outras coisas.”

Laban retomou algumas de suas experiências da época do colegial, então foi algo totalmente natural. Ela viveu o que escreveu e conseguiu que vivêssemos também. Uma incógnita fica no ar: A ordem leva ao caos? O Caos leva a ordem? Leiam e tirem suas próprias conclusões.

Ducan é um personagem que me apaixonei a partir da primeira fala. Além de ser quieto, é super prestativo e atencioso. É leal com seus amigos e apesar de ter se afastado de sua ex-namorada por uns meses, ainda a ama de um jeito totalmente fofo. Apeguei-me demais a ele. Ele começou sendo o “coitadinho” da estória, onde ficou com o pior quarto, mas terminou sendo o herói.

Tim, literalmente é o coitadinho. Ele autodenomina-se como um monstro pelo fato de ser albino. Apesar de transparecer ser um personagem bobo, Tim apresenta características fortes e carrega a culpa da tragédia que ocorreu no colégio Irving.

“O que você pensou da primeira vez que me viu? Já tinha visto outros albinos? Voltou correndo para seu quarto, como imagino que as pessoas façam, para dar uma pesquisada rápida e descobrir qual era a causa e se era ou não contagioso?”

Elizabeth apresenta-nos uma escrita breve, fácil e gostosa. Apesar do início maçante e alguns momentos monótonos, ela sabe muito bem como despertar sentimentos nos leitores.

No decorrer da estória, senti que a autora fez uma crítica a todos que agem por opressão na sociedade, ou seja, aqueles que querem ser o que a sociedade impõe. Um exemplo: as “patricinhas”, que julgam meninas que não são do mesmo estilo, e os “bad boys” que julgam outros meninos que aderem ao próprio estilo. Ao lê-lo, tirei várias experiências para mim, e no final fiquei pensando se não sou vítima dessa opressão.

A construção dos anti-heróis foi muito bem feita. Eles apareceram mais em momentos de ação do que de bolar um plano para acabar com Ducan. O que achei mais instigante foi que, apesar de Tim não estar fisicamente presente na estória - e sim através dos CDS’s - consegui sentir a presença dele.

O clímax criado por Elizabeth foi sensacional. Ela deixou um mistério enorme, prendeu o leitor até o fim do livro para descobrir o que realmente aconteceu entre Tim e Ducan. O motivo que levou o colégio a ter um dia catastrófico, e o destino de cada um foi algo muito bem pensado.

“Olhou para sua escrivaninha, onde repousava a pilha de CD’s. Não tinha comido nada, não solucionara nenhum mistério.”

O desfecho casou com o início e deu vontade de ler mais e mais. Eu ainda não recuperei meus sentimentos ao terminá-lo. Espero que a autora faça mais livros sobre o mesmo assunto e aperfeiçoe o talento que tem.

A edição está demasiadamente linda! A capa é preta com uns detalhes cinza. Há um menino usando fone de ouvido – tudo a ver com a estória -. A diagramação e fonte estão na medida certa. Todo leitor precisa desse livro e dessa edição.

Da ordem ao caos é emocionante, denso e sensível. Dêem uma chance ao inicio maçante, parece que o livro vai apenas abordar um item, mas ele acaba surpreendendo do nada. Eu super recomendo a leitura.

5 comentários:

  1. Eu não daria nada pela capa até ler a resenha. E confesso que também associei com a "Playlist de Hayden. Gostei muito da tua resenha.
    Abraço!
    www.likelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Apesar da capa ser bem condizente, eu dificilmente o compraria sem ler uma resenha. Bem, agora que li posso comprar! rsrsrs
    Não li A Playlist de Hayden e nem Os 13 porquês então não tenho como compará-lo, mas ao contrário desses dois Da ordem ao caos se mostrou bem mais atrativo para mim, mesmo não sendo uma leitura que geralmente me agrade tanto. Espero poder ler para conferir.

    Abraços,
    Duda - www.mylittlewonderland.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi...

    Não conhecia o livro, fiquei super curiosa. Adorei a resenha, marquei aqui no skoob pra procurar ele depois.

    Beijos!

    Cintia
    http://www.theniceage.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Adoro livros profundos e reflexivos. Aqueles que quando terminamos nos fazem aprender algo.
    Fiquei curiosa para conhecer colégio Irving.
    Li em uma resenha no Skoob que a autora tratou com uma grande delicadeza temas que abordam a todos: o amor, a felicidades, as inseguranças e as tragédias.
    A história demonstra que a maneira como lidamos com as tragédias definem nosso caráter. Ser um bom amigo, filho, conhecido. Ter esperança de que tudo irá melhorar. E continuar amando, não importa o resultado.
    Dizem que é impactante por ser real e que os protagonistas estão ao nosso redor: um amigo, um irmão, uma mãe.
    Depois disso e da sua resenha é impossível não colocar o livro na longa lista de leituras.

    Beijos e parabéns pela resenha!
    Viviane Gonçalves
    vsg_caue@hotmail.com

    ResponderExcluir
  5. Adoro livros profundos e reflexivos. Aqueles que quando terminamos nos fazem aprender algo.
    Fiquei curiosa para conhecer colégio Irving.
    Li em uma resenha no Skoob que a autora tratou com uma grande delicadeza temas que abordam a todos: o amor, a felicidades, as inseguranças e as tragédias.
    A história demonstra que a maneira como lidamos com as tragédias definem nosso caráter. Ser um bom amigo, filho, conhecido. Ter esperança de que tudo irá melhorar. E continuar amando, não importa o resultado.
    Dizem que é impactante por ser real e que os protagonistas estão ao nosso redor: um amigo, um irmão, uma mãe.
    Depois disso e da sua resenha é impossível não colocar o livro na longa lista de leituras.

    Beijos e parabéns pela resenha!
    Viviane Gonçalves
    vsg_caue@hotmail.com

    ResponderExcluir

Heey!

Agradecemos pela visita. O que achou do post? Compartilha sua opinião conosco. Obrigado :)
















EU VIVO LENDO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
DESIGN E DESENVOLVIDO POR SOFISTICADO DESIGN