Pipoca de Sexta #50 - Birdman

3 de abril de 2015

Heey povo. Beleza? Primeiramente peço desculpas a vocês por não ter tido post Quarta, mas a situação está um pouco complicada e nós estamos trabalhando para que isso não volte a acontecer. Ok? Hoje farei resenha de um FILMAÇO que levou o Oscar de Filme do Ano. Let’s go

Título: Birdman
Gênero: Drama
Distribuidora: FOX FILMES
Ano de Lançamento: 2014
Nacionalidade: EUA
Direção: Alejandro Iñarritu

Avaliação:

Trilha Sonora: 5/5
Personagens: 5/5
Obra Completa: 4,5/5





No passado, Riggan Thomson fez muito sucesso interpretando o Birdman, um super-herói que se tornou um ícone cultural. Entretanto, desde que se recusou a estrelar o quarto filme com a personagem sua carreira começou a decair. Em busca da fama perdida e também do reconhecimento como ator, ele decide dirigir, roteirizar e estrelar a adaptação de um texto consagrado para a Broadway. Entretanto, em meio aos ensaios com o elenco formado por Mike Shiner, Lesley e Laura, Riggan precisa lidar com seu agente Brandon e seu relacionamento conturbado com sua ex-esposa e com sua filha. No meio dessa tensão da pré-estreia, ele começa a ser atormentado por uma estranha voz que insiste em permanecer em sua mente.







Resumo: 
Riggan Thomson era um ator de cinema famoso e respeitado em seu meio. Seu papel? Ele interpretava um homem passáro! Seu herói era tão famoso quanto o homem aranha, mas assim como ele, tudo tem seu tempo; Riggan, agora, está esquecido e abandonado. Considera-se depressivo e sem perspectivas para sua dolorosa vida, porém, se sua peça da broadway der certo, as coisas irão melhorar para ele.

Em meio aos ensaios de sua tão aguardada e decisiva peça, Riggan tem de lidar com obstáculos difíceis de quebrar. Sua filha problemática, sua ex-mulher louca e um agente pra lá de insistente (e prestativo). Com toda a confusão instalada ele começa a sofrer surtos e almejar um novo rumo para sua vída. Birdman está se manifestando e quer voltar a fazer sucesso. Junte isso com a pressão para agradar uma crítica super exigente e toda a coisa vai para o espaço.
Opinião:
É... Obviamente vocês já perceberam, pela nota que dei ao filme, que o adorei. Birdman é diferente de tudo o que eu já tinha visto no cinema. O filme é ousado e se compromete a causar um impacto de grandes proporções no espectador, porém, não foi um filme feito para agradar a gregos e troianos. Dificilmente irá agradar a maioria. Eu, como admirador da 7° arte, apaixonei-me pelo filme e irei explicar o porquê.

Riggan é um protagonista fora do comum. Ele não é carismático e muito menos apreciador de um bom vinho. Gãla? Sua aparência beira a de Mick Jagger! Com esse personagem desfuncional Birdman começa já mostrando uma crítica ao telespectador. O filme brinca com as grandes produções do cinema! Com direito a piadinha com Robert Downey Junior. Viu que a coisa é tensa? Com esse anti-paradoxo de realidade, Birdman mostra sua face ao espectador, que logo entende que aquele filme se propõe a te confundir e, caso dê, fazê-lo interpretar aquilo que não se vê.


A ambientação do filme não poderia ter sido melhor escolhida. O teatro da broadway! Aqui, somos apresentados a diferentes tipos de personagens e, consequentemente, personalidades. A torrencial chuva dessas personalidades apresenta ao público a verdadeira - e bastante hipócrita - face de Hollywood e de grandes cidades produtoras de entretenimento. A crítica social aqui, é feita atrás das cortinas e é necessário a atenção do espectador para captá-la. Tudo é muito amplo e rico. Os atores são fenomenais e dão forma a essa aparente camada de subversão. Temos desde Naomi Watts até Edward Norton. Um show!

O filme segue uma linearidade subversiva. Não chega a ser confuso, mas é necessário atenção para dar conta de acompanhar a tudo e a todos. Não somos polpados de detalhes e desenvolvimento - realizado com maestria - de personagens. O maior exemplo disso é o uso da câmera. Os planos são ricos e bem planejados, em determinados momentos, chegam a surpreender. Vemos a constante dualidade da personalidade de Riggan, aplicada a movimentação das câmeras. Isto, meus amigos, é cinema!


A trilha sonora de Birdman é um espetáculo. Somos agraciados com sinfonias peculiares e propositalmente colocadas em determinadas cenas, o que intensifica as emoções e dá um tom maleável a tudo aquilo. Trilha essa, que é necessária, para acompanhar a todos os ciclos de Birdman. A linha tênue entre a tristeza e a alegria é deixada de lado aqui e emoções são misturadas como uma vitima de frutas. Por que não um beijo lésbico após um ataque de choro? Ousadia e alegria, esse é o lema de Birdman.

O único defeito do filme - que passa despercebido em meio ao roteiro espetacular - é a apresentação do 3° ato. Achei confuso e deverás monótono e acredito que um maior cuidado com tudo aquilo resolveria o problema. A inconstância de momentos é comum em filmes, e Birdman quase venceu essa barreira... Quase!


Birdman é um espetáculo (literal) aos olhos. O filme beira a perfeição, e justifica o Oscar de melhor filme. Com cenas simples, porém geniais. Não é, de maneira alguma, um filme para todos e deve ser assistido e apreciado com moderação.

Um comentário:

  1. Oi Gab!
    Adorei a indicação.
    Confesso que nem estava com tanta vontade de assistir, mas fiquei depois dessa resenha incrível!
    Gosto de trilha sonoras legais!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir

Heey!

Agradecemos pela visita. O que achou do post? Compartilha sua opinião conosco. Obrigado :)
















EU VIVO LENDO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
DESIGN E DESENVOLVIDO POR SOFISTICADO DESIGN