Resenha: Perdão, Leonardo Peacock - Matthew Quick

Olá, queridos leitores, como vão? Acho que deu para perceber que eu fiquei um tempo sumida, né? Aconteceu um acidente, porém estou de volta, e trago a resenha de um livro - O LIVRO – que aborda o suicídio. Vamos lá: 

Título: Perdão, Leonard Peacock
Título Original: Forgive me, Leonard Peacock
Páginas: 223
Autor(a): Matthew Quick
Editora: Intrínseca 
Gênero: YA
Ano de Publicação: 2013

Avaliação:

Capa: 5/5
Diagramação: 5/5
Obra Completa: 5/5 (favorito)




Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto.





RESUMO
Se existe uma pessoa que nasceu com azar, este é Leonard Peacock. Sem família - não literalmente, apenas presença - sem amigos, sem nada. Leo mora sozinho em uma casa, um lugar triste e solitário. Seu único ''amigo'', é seu vizinho Walt. Cansado de tudo, resolve matar seu melhor amigo e depois se matar. Léo tem um presente guardado de despedida para as 4 pessoas mais importantes da sua vida, e cada uma tem um significado. E então, entra o 5° presente. De quem será? 
OPINIÃO

Matthew Quick é bem conhecido por causa da sua obra de sucesso: O lado bom da vida. Então, quando comecei a ler PLP, fui com a maior expectativa da vida e não me arrependi. O livro fala sobre suicido, e não são todos os escritores que dominam este tema. É muito arriscado falar de algo muito ocorrido nos dias de hoje, principalmente dar motivo a isso. Porém, Matthew conseguiu ser delicado com suas palavras, e ao mesmo tempo inspirador.

Poucos personagens compõem a história, e quem nos conta sobre eles é o protagonista – o livro é narrado em 1° pessoa-. Os personagens não têm tanto destaque, porque a história gira em torno dos sentimentos de Léo. Não pude ver o amadurecimento de cada um, ou a construção exata. Não havia características, muito menos personalidades. Não que isso tenha sido algo ruim, ao contrário, deixou a obra ainda mais intrigante. 

"Por algum motivo, preciso comer panquecas de banana com gotas de chocolate para que tudo fique bem. Agora. É a unica coisa que pode me ajudar. Eu não sei por quê. Isso é como é. Digo a mim mesmo que, se Linda me fizer panquecas de banana com gotas de chocolate, serei capaz de perdoá-la por ter se esquecido do meu aniversário."

Leonard Peacock, foi um personagem bem construído do começo ao fim. Apesar de esperar o pior de todas as pessoas, ele é bem amável. Sabe aqueles meninos solitários que você tem vontade de abraçar? É ele! O que mais gostei no enredo, foi à facilidade de Quick em deixar os sentimentos de Leonard da maneira mais transparente possível. Eu consegui entende-lo. E os motivos que o levou a se suicidar, foram chocantes!

Outro ponto positivo da história foi à mensagem que Matthew tentou passar. Uma relação de mãe e filho! Uma parte da personalidade de Leo se deve a mãe ausente e sua falta de comunicação e carinho com o filho. Não deve ser fácil morar em um local que sua mãe não vai te visitar, e cuida das partes financeiras sem nem olhar na sua cara. Eu entendi a dor dele. Chamar a mãe pelo nome porque não consegue sentir afeto deve ser horrível. Então todos, TODOS precisamos de carinho materno. 

Mexer com a cabeça de um suicida não é fácil, eles são como uma bomba relógio e podem explodir a qualquer momento. E quando o professor de Léo conseguiu mostrar a ele que a vida ainda tinha muitas coisas boas para mostrar - por experiência própria - um personagem X vai lá e estraga isso. 

"Que aniversário é esse? Que vida é essa? Ergo a P-38 e volto a pressionar o cano em minha têmpora."

Os mistérios que Quick criou eram filosóficos. Sabe quando você descobre algo e não para de pensar, fica criando respostas e mais respostas? Então... E um dos melhores mistérios desvendados foi o motivo de Herr Silverman - professor de Leo - usar apenas camisa de manga longa. Foi uma descoberta tão tocante. Não sei definir se foi triste ou curioso. Perdão, Leonard Peacock me levou a: risos, lágrimas, raiva, e todos os tipos de sentimentos existentes. Não é atoa que é um dos meus livros favoritos.

A ideia de dar quatro presentes para as pessoas mais importantes da sua vida foi genial. É como se fosse uma despedida. Mas é ai que entra o quinto presente, tão... Assustador! Pior ainda é o destinatário deste presente. Quick conseguiu deixar-me boquiaberta.

"Quero dar para cada um algo que os faça se lembrar de mim. Para que saibam que eu realmente me preocupo com eles e que lamento não ter sido mais do que fui - não poder ter continuado por perto -, e que o que acontecerá hoje não é culpa deles."

QUE DESFECHO PERFEITO! Amo quando você pode escolher o final para a história e foi isso que Matthew fez. Ele deixou em aberto, você decide o que vai acontecer. E eu decidi. Minha resposta foi NÃO! Quando vocês lerem, vão entender. 

A escrita de Matthew é tão suave e inteligente. Ele conseguiu mais uma vez se superar! Sucinto, realista e inspirador, são as palavras que o definem. Como o livro é narrado em primeira pessoa, o único ponto de vista que temos é do Leo, e isso basta.  Eu recomendo a leitura, garanto que explosão de sentimentos não irá faltar. 

"Ela não deixa o escritório - nem mesmo quando eu saio e bato a porta atrás de mim fazendo a casa estremecer."

Os rodapés que tem no livro são sensacionais. É algo que dá gosto de ler e não deixa a leitura chata, e sim mais interessante. A edição está maravilhosa. A capa é tão simples, porém tão encantadora. Fonte, folhas e diagramação estão impecáveis. 

Beijos e até a próxima <3

3 comentários:

  1. Minha amiga já me indicou esse livro uma vez, mas eu esqueci de anotá-lo na minha wishlist.
    Acho que seu post, foi um ótimo lembrete, e também um impulso para eu lê-lo o mais rápido possível. Mas acho melhor eu ler primeiro, O labo bom da vida, não sei... rs
    Enfim, adorei a resenha.
    Bjs
    http://myself-here1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Biel, gostei muito da resenha. Já li várias críticas positivas deste livro. E o que me chama atenção é a história bem maluca, rs :)
    Abraço, http://likelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Gente... parece bastante intenso! rs. Mas fiquei curiosa... quem sabe não entra na minha lista de leitura de 2015? ;) Parabéns pela resenha, beijos!
    http://interessantedeler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Heey!

Agradecemos pela visita. O que achou do post? Compartilha sua opinião conosco. Obrigado :)

Eu vivo lendo. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design