Retrospectiva Literária 2014

Iai pessoal, tudo bem? O ano praticamente acabou e com ele muitas memórias se vão. Foram muitas histórias boas e também algumas ruins, né? Agora é a hora de lembrar tudo de bom e ruim que eu e a Mari lemos, baseado em algumas categorias. Vamos lá:

Lado esquerdo - Gabriel


Lado direito - Mariana



As melhores e piores músicas de 2014

Iai leitores, como vão? Na onda das "retrospectivas" e das recordações eu decidi nomear as melhores e as piores músicas de 2014. A lista não é tão grande, mas foi bem pensada. Vamos lá!

Vale lembrar que a lista foi feita seguindo os critérios: minha opinião. Nada aqui é comprovado ou estudado. É apenas minha singela opinião.


As Melhores:

3° Lugar - Dark Horse



O maior hit do ano e também o maior hit da carreira de Katy Perry não poderiam estar de fora. Dark Horse foi um fenômeno midiático de proporções inimagináveis. A música tem o formato em um sub-gênero quase não explorado pelos artistas pops, porém parece que a combinação deu certo com Dark Horse. Batida contagiante + clipe irreverente = sucesso. Sem dúvida nenhuma essa música merece estar entre as melhores do ano.

2° Lugar - Summer



Summer consagrou ainda mais a carreira de Calvin Harris. Durante muito tempo a música dominou o topo das paradas musicais e chegou a se igualar a seu antigo sucesso "Feel so Close". Típico de um "dj" Summer possui batidas pegajosas e uso de instrumentais distorcidos. Partes remixadas também não ficam de fora da música. Mas, vai me dizer que você não gosta?

1° Lugar - Blank Space



Quem não decorou Blank Space? Taylor Swift nunca esteve tão madura e agradável. Confesso que até ano passado eu tinha antipatia por ela e não escutava suas músicas nem por tortura, mas o seu novo álbum ficou tão perfeito que até levou um elogio de John Green (é mole?). A música é incrível e o clipe tem uma proporção cinematográfica desconhecida. Espero que façam mais clipes nesse estilo. Melhor música do ano com certeza!

As Piores:

3° Lugar - Wiggle



Dá até dor nos rins quando eu falo dessa música. Que porcaria é essa? Ok, a batida é viciante (assim como a maioria das músicas pop), mas a letra é tão culta quanto "Cinquenta Tons de Cinza". Não é atoa que fez sucesso. Bundas + rappers = sucesso (infelizmente). É a vida... Triste!

2° Lugar - Serpente


O que a Pitty tinha na cabeça quando lançou essa música como "single"? Além de um clipe extremamente medonho a letra não tem noção nenhuma. Tudo bem, você pode falar que tudo está nas entrelinhas, mas convenhamos que filosofar tanto em uma música não atrai tanto público. Talvez Pitty só lançou por lançar, sem pensar nos charts, porque se estiver pensando, lamento... Se a música pegar #100 é muito.

1° Lugar - Anaconda



Falar de vulgaridade sem falar de Nicki Minaj não é a mesma coisa. Anaconda foi (infelizmente) a música que quebrou o recorde de visualizações no Youtube. Além de te chegado em #1 em vários países ao redor do mundo. A letra consegue ganhar de "Wiggle" no quesito porcaria e o clipe (apesar de muito bonito, kkkkk) é uma putaria que só. O que salva? Como sempre, a batida.


Essa foi à lista das melhores e piores músicas do ano (pra mim). Concorda? Discorda? Deixe seu comentário!

6 Livros Para 2015

Oi gente, tudo beleza? Finalmente o ano está acabando! Este ano foi bom para alguns, ruins para outros e mediano (pra mim). Tive várias leituras excelentes e também algumas bastante decepcionantes, mas faz parte, né?


O post de hoje é diferente, porém tenho certeza de que vocês irão adorar. Eu e a Mari iremos contar para vocês quais são os seis livros que mais queremos ler no ano que se aproxima. Bora lá?



Resenha (dupla): After - Anna Todd

Páginas: 616 

Autor(a): Anna Todd

Editora: Paralela

Ano de Publicação: 2014

Avaliação:

Capa: 4 estrelas

Diagramação: 4 estrelas

Obra Completa: 3,5 estrelas


GABRIEL: VERMELHO
MARIANA: AZUL

Acho que todos vocês sabem que eu não sou muito chegado em New-Adults. Mas, como eu sempre digo: um bom leitor sempre está aberto a novos gêneros! A editora Companhia das Letras me mandou um e-mail perguntando se eu gostaria de receber o livro, mesmo receoso, decidi aceitar. Ok! Confesso que no início ele estava clichê e chato, assim como qualquer outro livro do gênero. Se melhorou? Continuou clichê, mas nunca mais foi chato.

Conheci o livro através do Gabs. Ele leu, disse que gostou e eu fiquei interessada. Ao ler a sinopse, pensei que ia ser um romance clichê, daqueles que a garota certinha se apaixonada pelo bad-boy e etc. Foi mais ou menos isso, mas de uma forma diferente. Ao lê-lo tirei várias experiências para mim, e uma delas foi apreciar a escrita um pouco mais adulta (hot). O livro me proporcionou vários sentimentos de uma vez: raiva, ódio, tristeza e alegria. Ele atendeu todas as minhas expectativas, principalmente no final.

"Não sei por que Hardin me deixa tão emotiva, em todos os sentidos possíveis. A ideia de que ele pode estar me usando me deixa mais magoada do que deveria. Meus sentimentos são confusos. Em um momento eu o odeio, e no instante seguinte quero beijá-lo. Ele me faz sentir coisas que eu nem sabia que sabia ser capaz de sentir, e não só em matéria de sexo. Hardin me faz rir e chorar, gritar e surtar, mas acima de tudo faz com que eu me sentia viva."

Tess não é uma protagonista memorável. Ela tem toda a “sonseira” das protagonistas desse tipo de livro. O típico jeito da mocinha que não sabe se defender e vai amadurecendo ao longo da trama. Hardin é o bad-boy mais horrível da história dos bad-boys. Eu odiei aquela cara! Mas confesso, a autora ganhou pontos comigo em sua criação. Hardin é memorável (não especificamente de um jeito bom). Os personagens secundários foram bem desenvolvidos e tenho certeza de que serão mais ainda no 2° livro. Porém, houve um personagem totalmente desnecessário para a trama. Eu realmente não sei qual foi à motivação da autora na hora de cria-lo.

Os personagens secundários tiveram mais desenvolvimento do que os protagonistas. Hardin e Tessa ficaram em uma situação totalmente monótona. Confesso que isso deixou à narrativa um pouco cansativa. Capítulos e mais capítulos e o relacionamento deles era a mesma coisa. Sexo, amor e briga. As atitudes eram sempre iguais. Houve um personagem totalmente desnecessário no enredo, ele só estava lá para 'atrapalhar'. Os secundários apareciam em momentos de ação, ou momentos que deixavam a trama envolvente. Mas ao todo, ela soube construir cada um, diferenciando-os com características únicas.

" -Desculpa interromper, mas fiz sobremesas também, e pensei que vocês podiam querer.
- Sim, eu adoraria.
- Ótimo! A gente se vê lá embaixo.
- Eu já comi a minha, Hardin diz em um tom malicioso, e dou um tapa em seu braço."

After – como qualquer New-Adult – é um livro bem picante. As cenas de sexo criadas pela autora se mostraram originais, mas o machismo escancarado nesses momentos e em tantos outros me irritou muito. Tess é virgem, ok! Mas será que Hardin precisava agir como o seu professor sexual na hora do, “rala e rola”? Ela soltava cada pérola para ele que eu não sabia se ria ou morria de vergonha. Faltou um pouco mais de pulso firme por parte da Tess. Em alguns momentos Bella Swan perdia feio pra ela. E cadê o amor próprio filha?

Apesar de ter lido alguns comentários negativos sobre o enredo por causa de algumas cenas 'picantes', como por exemplo, nos momentos sexuais da Tessa com o Hardin, achei a leitura ótima. A autora criou uma estória totalmente voltada para adolescentes. Foi bem típico: Nerd se apaixonada pelo bad-boy. Entretanto, ela soube usar uma escrita bem explicativa em todas as ações, então não faltou nenhuma informação para o leitor. Foram 528 páginas de: festas, bebidas, brigas, sexo, amor e ciúmes que valeram a pena. Apaixone-me pelo Hardin de uma forma inexplicável. Como o Gabs disse, ele é um personagem memorável. O desfecho foi sensacional, deixou aquele ar de "quero mais", e eu ainda não recuperei meus sentimentos ao terminá-lo. Espero que no 2° livro a autora saiba aperfeiçoar os personagens e não coloque tantos momentos insignificantes que deixam a leitura cansativa.

"Agora entendo que o amor faz as pessoas tomarem atitudes que geralmente não tomariam, tornando-se obsessivas e até meio loucas."

Anna Todd possui um jeito bem simples de narrar sua história, mas é inegável o seu talento de envolver o leitor na trama. Os clichês aqui, por mais que sejam muitos, foram bem aplicados. Achei incrível (de verdade) o modo como ela explorou a relação do Hardin com a sua família. Torço muito para que no próximo livro isso seja ainda mais desenvolvido. E também é bem legal o modo como ela admite o que está fazendo. Praticamente é esfregado na cara do leitor que Hardin é: um personagem para as MENINAS se apaixonarem (a não ser que você tenha outras opções). E é o que aconteceu (né dona Mari?).

A edição ficou linda. Amei a capa, a cor é bem chamativa e o título continuou o original. As folhas são amareladas e a diagramação está perfeita. Os espaços entre os parágrafos estão bons e não confunde na hora de dividi-los. O que não me agradou muito foi o formato das falas, são colocadas entre aspas ("), mas em geral é uma edição caprichada.

"... Quando estou com você me sinto... diferente de mim mesmo. Não sei como lidar com esse tipo de sentimento, Tessa, então faço a única coisa que sei fazer..." Ele faz uma pausa e solta um suspiro. "Que é ser babaca."

Entre tropeços e acertos After se mostrou um livro não tão inovador, porém incrivelmente gostoso de ler. Com uma narrativa gostosa e previsível ela vai conquistando o leitor. Os personagens fizeram sua parte e o livro cumpriu com o seu papel. Anna Todd tem talento, isso é inegável. Não vejo a hora de colocar as mãos no próximo volume e descobrir o que irá acontecer com esse casal maluco. One Direction que se cuide, pois Tessa e Hardin vêm com tudo!

Eu recomendo a leitura! A narrativa é fluída. Depois das primeiras páginas, me acostumei com a forma da escrita de Todd. Apesar de alguns momentos monótonos, o enredo não perdeu sua essência. Porém, o final foi totalmente inesperado. Anna demonstrou ser uma autora totalmente cuidadosa com os leitores, ela não deixou faltar nada, a maioria das expectativas foram atendidas e ela conseguiu ser detalhista sem ser chata. Espero que ela saiba usar esse talento no próximo livro e nos traga outra trama com a trilha sonora de The Fray.

[Mês Top 5] #8 - Livros Para Presentear No Natal

Heey pessoal, como vão? O natal está praticamente conosco, não é mesmo? Com ele vem: amigo secreto e troca de presentes. Por isso, eu decidi fazer um post, dando dicas de livros para presentar no natal. Mas, esse post será um pouco diferente. Vou dar as dicas, baseado nos tópicos. Ok? Vamos lá!

PS: Os posts serão divididos entre mim e a Mari. Fiquem de olho no final do post para ver o nome de quem escreveu. Let's go!

PARA LER A RESENHA DO LIVRO, BASTA CLICAR EM SUA CAPA.



Livros para presentar para:

1: Mãe ou Pai

Jardim de Inverno é o livro perfeito para presentear para uma mãe ou um pai. O livro bate diversas vezes na tecla do amor com esses entes tão queridos. Em diversos momentos do livro é colocada em foco a maneira como o amor que sentimos por nossos pais é grande e o quanto é importante. Tenho certeza que esse livro irá emocioná-los.

2: Vó ou Vô

Logo de cara já é perceptível que pessoas de maior idade irão gostar ou se identificar mais com o livro e com a personagem principal. Durante toda a leitura eu pude perceber um clima mais "antigo" e também uma ambientação mais puxada para as coisas simples da vida. Aqui são narradas receitas de biscoitos e até um simples carinho em um gato. Seus avós vão gostar! E seus avôs admirar. 

3: Filha ou Filho (adolescente de preferência)


Todo Dia é perfeito para qualquer pessoa, mas acho que adolescentes irão se identificar mais com a história. O protagonista é totalmente diferente de tudo o que você pode ter visto. Porém, esse é o ponto mais alto do livro. Ele entra em corpos totalmente diferentes e explora cada um dos sentimentos e limitações humanas. Acredito que a adolescência seja a fase mais crucial para um ser humano e esse livro pode ensinar bastante.

4: Tia ou Tio

Às vezes não somos tão próximos ou não vemos tanto nossos tios, né? Mesmo sendo parentes queridos, eles geralmente ficam mais distantes de nós ao decorrer do ano (nem sempre, mas geralmente). Por isso, creio que O Presente seja o livro ideal para se presentear. Cecelia consegue nos mostrar os sentimentos de uma maneira pura e delicada nesse livro. O protagonista passa por muitos problemas, mas a maneira com que cada um deles é superado é incrível. Além disso, a mensagem de natal que o livro carrega é excelente.

5: Os baixinhos (as crianças da festa)



Nunca li um livro tão gostoso como Muncle Trogg. Eu comprei o livro já sabendo que iria adorar, mas não fazia ideia de que seria tanto (hehehe). A autora escreve magistralmente para crianças. O modo como ela descreve tudo, é muito incrível. Além disso, o livro possui imagens super legais e engraçadas. O melhor de tudo é que pode ser lido e apreciado tanto por meninas quanto meninos. Dê de presente pra criançada, eles vão gostar!

Então, foi isso! Espero que vocês tenham gostado de post.


PS: Chega ao fim o mês de TOPS 5 aqui no blog. Agora teremos uma programação de natal e logo depois tudo voltará ao normal. Agradeço a todos pelo imenso sucesso desse projeto e, ano que vem, tem mais. Beijo e Abraço.

[Mês Top 5] #7 - Livros Assustadores

Oi pessoal, tudo bem? Hoje o top 5 vai ser sobre um tema que eu amo: TERROR! Vou deixar aqui alguns livros que, em minha opinião, mexem com o psicológico. No final tem uma enquete para vocês escolherem qual livro preferem que eu resenhe. Beleza?

PS: Os posts serão divididos entre mim e o Gabs. Fiquem de olho no final do post para ver o nome de quem escreveu. Let's go!



1: It - A Coisa - Stephen King


Todo mundo sabe que Stephen King é o Rei (com R maiúsculo) do terror. Como já não bastasse, ele sabe muito bem alterar o psicológico. Imagina um palhaço normal, imaginou? Agora o imagine sendo um assassino DE CRIANÇAS. Exatamente, é isso que vamos encontrar em IT. A coisa, ou o palhaço, chame-o como quiser. Esse monstro chama-se Pennyise, sua forma se altera com os medos mais profundos de suas vítimas, entretanto, prefere aparecer como um palhaço. E, no final, ainda fica aquela duvida: Ele era um serial killer, ou, estava possuído por um demônio? É assustador!

2: O Exorcista - William Peter Blatty


Acho que a maioria conhece o exorcista. Sim, aquele exorcista do link que vocês abriam e a mulher gritava. O livro conta a estória de Regam, uma garota de onze anos que é possuída pelo demônio. Bom, tanto o livro, quanto o filme, são super aclamados até nos dias de hoje. É horripilante, assustador, tudo de ruim que você possa imaginar. Sem contar que é BASEADO EM FATOS REAIS. 

3: O Livro de São Cipriano - Vários Autores


Livro de terror já é atormentador, quando se trata de ocultismo então... Garanto que esse livro é um dos piores em termos de psicologia. Para lê-lo, precisa-se ter uma mente muito aberta. O livro nos traz assunto de bruxas, adivinhação, invocação, fórmulas e orações ciprianas. Reza à lenda que Cipriano conseguia angariar a perdição de muitas belas e jovens mulheres, o que muito agradava aos demônios, que em troca lhe concediam grandes poderes sobrenaturais. Boatos de que depois de terminá-lo, coisas ruins acontecem. Eai. Vai encarar?

4: A Profecia - David Seltzer

Damien Thorn é apenas uma criança. Ele é o grande protagonista da estória. Ao mesmo tempo em que Damien é assustador, é incrível e atraente. Na verdade, uma seita o ajudou a vir ao mundo. Ele é filho do demônio. A leitura proporciona um grande desconforto ao ler porque você fica pensando: "ele é filho do demônio, como pode agir tão naturalmente aos acidentes que causa?". O livro aborda bastante a religião e mostra o que uma simples criança, nascida de uma seita, pode fazer... Ou não fazer.

5: O Pacto - Joe Hill

Não podia faltar Joe Hill, filho do nosso Rei Stephen King. Nesta obra, Joe nos traz Ignatius Perrish, um jovem acusado pela morte de sua namorada. A vida dele vira um inferno, e do nada nasce chifres em suas têmporas. Os chifres fazem as pessoas ficarem vulneráveis a Ig, não sai nada da boca deles além da verdade. Ele escuta palavras obscuras de seus familiares, pensamentos de amigos e etc. O autor consegue jogar com nós de uma forma magnífica, ele abre nosso pensamento o livro inteiro com a dúvida: "Será que se eu estivesse no lugar dele, usaria o poder para o bem, ou para vingar a morte de sua namorada?". Para lê-lo precisa-se de mente aberta, pois o assunto principal é a religião, de uma forma diferente.
E então, tem coragem de ler alguns dos livros selecionados? Não se esqueçam de comentar no post!
Beijos e abraços.

[Mês Top 5] #6 - Livros Com Leitura Lenta

Iai pessoal, beleza? O 6° TOP 5 de hoje vai falar sobre algo que os leitores tentam fugir, mas que nem sempre é possível. Livros demorados para se ler. Vamos lá:

PS: Os posts serão divididos entre mim e a Mari. Fiquem de olho no final do post para ver o nome de quem escreveu. Let's go!

CLIQUE NA CAPA E LEIA A RESENHA DO LIVRO (CASO HAJA).


1: A Hospedeira - Stephenie Meyer


Más línguas sujam a imagem desse livro constantemente, mas eu acho que ele passa longe de ser um livro ruim. A Hospedeira foi escrito por Stephenie Meyer, autora do fenômeno Crepúsculo. Creio que as pessoas esperavam algo parecido com a saga e não encontraram no livro, porém, sua grandiosidade e seu mérito se fazem sozinhos. A hospedeira é um livro grande e bastante lento. Demorei cerca de três semanas para conclui-lo, pois no começo, a coisa realmente não anda. Mas calma, não se desespere! Tudo melhora depois da página 300 e posso te garantir que ele se tornará um de seus favoritos.

2: Cidade das Cinzas - Cassandra Clare


Cidade dos Ossos já não tinha me conquistado daí veio Cidade das Cinzas pra completar a merda toda. O livro é tão chato, que eu me peguei dormindo várias vezes durante a leitura. A história não flui bem e tantas coisas vão acontecendo que confundem completamente a cabeça do leitor - parecendo Insurgente -. Cidade das Cinzas é devagar, quase parando.

3: A Última Carta de Amor - Jojo Moyes



Eu adorei Como Eu Era Antes de Você. Achei a história linda e os personagens incríveis, porém, tudo isso foi diferente com esse livro. A última carta de amor não cativa o leitor, entendem? Passam-se páginas e mais páginas, sem que a autora consiga prender a atenção. O livro não me agradou nenhum pouco e sua falta de ritmo só me fez desgostar ainda mais dele.

4: Guerra dos Tronos - George R.R.Martin



Guerra dos Tronos é o primeiro livro da tão consagrada série de Martin. O livro é espetacular. Eu me encantei com a maneira que Martin narra os fatos e o livro possui tantos personagens que faz com que o leitor fique maluco. Mas, o mais legal de tudo, é que todos os personagens são marcantes de alguma maneira (mesmo que morram duas páginas depois de terem sido apresentados). A leitura desse livro é bastante lenta, justamente por ele ser tão complexo e cheio de informações. Porém, é magnífico!

5: A Corrida de Escorpião - Maggie Stiefvater


Talvez, dessa lista, esse seja o livro mais incrível. A Corrida de Escorpião exala beleza e poesia. Maggie tem uma maneira peculiar e única de narrar uma história. Seus personagens são dotados de personalidade e, assim como a gente, erram e aprendem com os seus erros constantemente. A leitura é lenta, pois é difícil para o leitor apreciar tudo isso em um curto prazo de tempo. Mas, há livros (como este) que valem o nosso tempo.

Esse foi o TOP 5 de hoje. Gostaram? Vale lembrar que se um livro é lento, não necessariamente ele é ruim. Vocês já leram algum livro da lista? Concorda ou discorda comigo? Deixe seu comentário!

[Mês Top 5] #5 - Livros Brasileiros Famosos

Olá, tudo bem? Hoje vou fazer o top 5 de livros brasileiros famosos. Foi difícil escolher porque são MUITOS livros, autores e contos que agradam a todos e são famoso. Vamos lá:

PS: Os posts serão divididos entre mim e o Gabs. Fiquem de olho no final do post para ver o nome de quem escreveu. Let's go!


1: Dom Casmurro - Machado de Assis


Bom, Dom Casmurro é uma obra muito aclamada até nos dias de hoje. Escrito pelo grande autor: Machado de Assis. Conheço muita gente que leu por obrigação e mesmo assim amou. Trata de assuntos como adultério, criticas sobre traição e o posicionamento da mulher na sociedade, e principalmente, sobre a grande Burguesia. É um dos meus livros preferidos.

2: Grande Sertão: Veredas - João Guimarães Rosa


Grande Sertão foi escrito por um dos melhores autores do Brasil (em minha opinião) João Guimarães Rosa. O legal dessa obra é que o sertão é mostrado e visto de uma maneira subjetiva. A linguagem é o "artefato" de maior atenção, pois o autor usou o idioma próprio do sertão. E retrata vários sentimentos de uma vez: o amor, a morte, o sofrimento, a alegria, a tristeza e o ódio.

3: Macunaíma - Mário de Andrade


Eu escuto tanto sobre este livro que já estou até farta. Mario Andrade usou o que tem de melhor no Brasil: folclore, mitos e lendas. Macunaíma simboliza o 'povo' que ainda não descobriu sua identidade, é o herói sem caráter. A linguagem e narrativa moderna do autor deixou a obra sensacional. É um dos livros mais pedidos nas listas escolares.

4: Morangos Mofados - Caio Fernando Abreu


Quem conhece o Caio Fernando Abreu sabe muito bem que ele agrada à todos com suas frases de motivação. Não é diferente com este livro. São vários contos que se entrelaçam como se fosse um romance, uma estória. O autor traz o amor, a dor, o fracasso e a esperança. É uma obra e tanto!

5: O Crime do Padre Amaro - Eça de Queirós


Eça de Queirós soube usar amor, sexo e adultério de uma forma magnifica. Ele usou um "padre" como uma base. O conhecimento que temos é que um padre, sendo um servo de Deus, não pode ter relacionamentos e nem filhos. Tem que se dedicar e fazer de tudo pela igreja. Custe o que custar. Entretanto, Eça nos traz o Amaro, um padre que comete um crime terrível, e então começa os julgamentos. Este livro é bom para abrirmos a mente, questionar e criticar assuntos religiosos e os direitos que devemos ter, mas não temos. 

E então, já leram algum desses livros? Se sim, o que acharam? Se não, leriam?

Beijos e abraços. 

[Mês Top 5] #4 - Livros Que Não Recomendo

Iai pessoal, tranquilo? Hoje o TOP 5 é um pouco diferente. Dessa vez não irei dar dicas para vocês, mas sim, falarei quais os livros que vocês devem passar longe (em minha opinião). Lembrem-se que isso é o que eu acho, ok? Vamos lá:

PS: Os posts serão divididos entre mim e a Mari. Fiquem de olho no final do post para ver o nome de quem escreveu. Let's go!

Clique na capa e leia a resenha do livro.



1: Cidade dos Ossos - Cassandra Clare



Cidade dos Ossos foi um livro que eu gostaria MUITO de ter curtido. A maioria dos leitores que eu tenho contato amou a série e elogiam muito esse livro, mas ele não deu certo pra mim. Achei a história bem fraquinha e os personagens clichês. A escrita da autora é boa, mas não é maravilhosa. Já li o 2° e também não gostei muito. Por isso, é melhor ficar longe dessa série.

2: Se Eu Ficar - Gayle Forman



Se Eu Ficar foi o livro mais comentado do ano, mas passou longe de ser o mais elogiado. Li várias resenhas negativas do livro, por isso, abaixaram logo minhas expectativas (ainda bem). Peguei o livro para ler em uma tarde e acabei dormindo... Achei a história chata e que a autora não foi logo para o que interessava, ela ficou enrolando. O final é bonito, mas não compensa o restante. Não recomendo!

3: Cinquenta Tons de Cinza - E.L.James



Sei que vou ser apedrejado, mas me recuso a mentir! Cinquenta Tons de Cinza, pra mim, é horrível. As pessoas falam que quando se tira a parte erótica o restante da história é boa. Mas eu acho que se tirar a parte erótica, o livro ficará sem páginas! A escrita da autora não me convenceu nenhum pouco. Já adianto que não tenho preconceito com livros eróticos, mas existem livros desse gênero BEM melhores.

4: Claros Sinais de Loucura - Karen Harrington


Elogios constantes da blogosfera me fizeram procurar esse livro. Claros Sinais de Loucura é um livro bem louco (AVÁ) e até bobo. A protagonista é totalmente sem noção e a história é parada, não acontece nada em 80% do livro. A autora colocou umas referências legais a algumas obras de época, mas nem isso salvou o livro. Um dos piores do ano!

5: Anna e o Beijo Francês - Stephanie Perkins


Esse livro é o queridinho de muita gente. Ele foi o primeiro livro que li no ano de 2013 (sim, faz tempo), mas até hoje me lembro de boa parte da história, pois terminar esse livro foi difícil. A leitura ficou tão maçante que eu cogitei abandoná-lo umas três vezes. Nada me convenceu nesse livro. Os personagens são antipáticos e o mocinho da história... Credo! Se quiser ler algo melhor da autora, leia Lola e o Garoto da Casa ao Lado, eu gostei dele.


Bom pessoal, essa foi a minha lista de livros que eu não recomendo que você leia. Concorda comigo? Discorda? O que você não recomenda? Deixe seu comentário. Beijo e Abraço!

[Mês Top 5] #3 - Melhores Livros de Tolkien

Olá povo, tudo bem? Hoje é minha vez de fazer o top 5. Vou colocar aqui os melhores livros do Tolkien (em minha opinião). Pelo fato de ser super fã dele queria colocar todos, mas... Enfim, vamos lá:

PS: Os posts serão divididos entre mim e o Gabs. Fiquem de olho no final do post para ver o nome de quem escreveu. Let's go!



1: A Sociedade do Anel




A sociedade do anel é a primeira parte de uma grande obra fictícia do Tolkien: O senhor dos anéis, lançado em 1954. O livro possui tantas qualidades que é impossível passar todas para o leitor só através das palavras. A narrativa será desenvolvida em vários cenários. Há tantos personagens que, depois de oito anos, eu ainda não decorei o nome de todos. Ficou em primeiro lugar porque, em minha opinião, foi o livro que abriu minha cabeça para a fantasia e me fez amar uma nova trilogia. 

2: O Hobbit


O Hobbit narra à estória antes do Senhor dos anéis, lançado em 1937. Vai englobar bastantes mitos sobre dragões e garanto que, mesmo sendo uma estória totalmente fantasiosa, Tolkien consegue passar uma lição de vida. Neste livro, J.R.R ainda não perdeu sua essência de um mundo totalmente fictício. Foi o primeiro livro que eu li.

3: O Silmarillion


Bom, Silmarillion merece o primeiro lugar, mas, por alguns motivos, decidi deixa-lo em terceiro mesmo. O livro parece que não tem fim. Quanto mais você lê, mais complicado fica. Ele foi lançado em 1997. Quando eu li, tinha apenas 10 anos, e foi um quebra cabeça pra mim. O Silmarillion na verdade, é uma coletânea de obras literárias de mito-poesias do Tolkien. Relata acontecimentos de uma época muito anterior ao final da Terceira Era, quando ocorreu "O Senhor dos Anéis.". E o melhor é que, neste livro há as reflexões mais profundas de Tolkien.

4: Os Filhos de Húrin



Esse foi outro livro complicado. Eu li quando tinha 12 anos e não foi totalmente um quebra cabeça. Vai retratar uma estória antes da era do "Senhor dos anéis" explicando sobre um poderoso espírito dominado pelo Senhor do Escuro que ameaça a vida dos Filhos de Húrin.


5: Contos Inacabados



Por último, mas não menos importante. Para quem ama a terra média e quer saber mais sobre a mesma, Contos Inacabados é o livro perfeito. É uma é coletânea de histórias em forma de notas esboçadas por Tolkien, abordando: suas línguas, suas lendas, sua política e seus reis. O que achei legal foi o fato de ter o mapa do Senhor dos anéis redesenhado em escala maior. É incrível!



Bom, esse foi meu Top 5 dos melhores livros do Tolkien. (vale lembrar que é minha opinião, tá?). Há muito mais obras, mas não deu para colocar aqui. E ah, se quiserem acompanhar minhas leituras, me sigam no Instagram: 


Link: http://instagram.com/loftrings

Beijos e abraços. 

[Mês Top 5] #2 - Filmes Que Me Marcaram

Olá gente, como vão? Hoje é dia do 2° especial de posts só TOPS 5. Bem, foi difícil decidir o que falar em meio a tantas ideias, mas achei que falar sobre filmes seria legal. Confira os filmes que mais me marcaram e os respectivos motivos:

PS: Os posts serão divididos entre mim e a Mari. Fiquem de olho no final do post para ver o nome de quem escreveu. Let's go!



1: Harry Potter e a Ordem da Fênix 



Todos os filmes de Harry Potter me marcaram de alguma maneira, mas creio que Ordem da Fênix conseguiu deixar uma marca profunda em mim. Lembro-me que na época era meio complicado para a minha família me levar ao cinema (eu tinha 9 anos) porque minha mãe e meu pai trabalhavam muito. O que eles fizeram? Minha prima veio de Tocantins só pra me levar ao cinema para assistir ao filme. Pois é... Foi uma loucura, mas foi incrível! Nunca vou esquecer aqueles momentos.

2: A Fantástica Fábrica de Chocolates




Quem nunca se encantou com essa pérola do cinema? Seja na versão antiga ou na mais atual, esse filme marcou muito as pessoas que eu conheço. A primeira vez que assisti A Fantástica Fábrica de Chocolates foi com o meu melhor amigo e meu irmão (há uns 6 anos). Lembro-me que a gente foi debaixo de chuva a locadora para pegar o filme e assistimos umas quatro vezes seguidas. Se eu gostei? Até hoje canto as músicas!

3: Os Incríveis


Cresci com super heróis. Minha brincadeira preferida era imitar os power rangers no quintal de casa e fazer a minha cachorra de vilã (coitada). Os Incríveis chegou em um momento muito especial da minha vida. Assim que a minha avó morreu o filme lançou e, mesmo que pareça bobagem, ele me ajudou muito a superar a perda dela. Viciei tanto no filme, que fiz meus pais comprarem camisas, bonecos e até cartinhas do mesmo. Até hoje tenho o DVD (versão estendida com 2 discos) aqui em casa. E sim, ainda assisto de vez em quando.

4: Histórias Cruzadas



Assisti a esse filme recentemente e, apesar de ter ido com baixas expectativas, ele foi uma das maiores surpresas da minha vida. Achei o filme tão profundo e delicado. Ele me ensinou muita coisa e me ajudou em uma fase bastante "decisiva" da minha vida. Histórias Cruzadas é mais do que uma história sobre divisões sociais, ele tem uma essência pura e nos faz refletir sobre diversas coisas. Inclusive, ele é um dos indicados ao Eu Vivo Lendo Awards 2014!

5: Matilda



Quem nunca assistiu Matilda na Sessão da Tarde? Tenho certeza de que a maioria de vocês já teve a alegria de assistir a esse incrível filme. Matilda foi apresentado a mim através da minha avó e logo depois foi diversão total. Eu comprava o jornal todos os dias para ver a programação de filmes da Sessão da Tarde, tamanha era a minha vontade de assistir Matilda. Tenho o filme baixado no computador e direto dou uma olhadinha.

Esses foram alguns dos inúmeros (sério pessoal, tem muito mais) filmes que me marcaram. Vocês já assistiram alguns desses? Gostam? Quais filmes marcaram a vida de vocês? Comente aí embaixo, ok? Beijo e Abraço!
Eu vivo lendo. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design