Resenha: Os 13 Porquês - Jay Asher

Olá pessoal, tudo bem? Estou muito feliz pela recepção da minha resenha de The 100 que conseguiu ótimos números de visualizações (obrigada). Hoje a resenha é de um livro bem mais polêmico e deverás elogiado. Vamos lá:
COMPRE O LIVRO: SARAIVA

Título: Os 13 porquês
Título Original: Thirteen Reasons Why
Páginas: 256
Autor(a): Jay Asher
Editora: Atica 
Gênero: Romance
Ano de Publicação: 2009

Avaliação:
Capa: 5/5
Diagramação: 5/5
Obra completa: 5/5



Sinopse: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker - uma colega de classe e antiga paquera -, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar.
Resumo:
Hannah, infelizmente, esta passando por uma situação difícil: Bullying. São 13 motivos que a levaram ao ato de cometer suicídio. São 7 fitas gravadas e cada fita tem o lado A e B. As fitas foram passando de mão em mão por todas as pessoas que a fizeram sofrer. Até que sem mais nem menos chegou até Clay. A missão dele é escutar todas as fitas até descobrir o motivo por estar nelas.
Opinião:
É muito raro eu ler um livro e dizer: "Este é o meu preferido". Mas foi diferente com Os 13 porquês. Você percebe que o livro é excelente e atende todas suas expectativas quando além de ser uma ótima leitura, passa uma lição de moral e te faz refletir sobre a vida. Refletir de como deixamos passar despercebido pequenos detalhes que são significantes. É um livro que trata como principal assunto o BULLYING, mas aborda outros, tais como: abuso sexual, sociopatia e depressão.
A narrativa é intercalada entre as fitas e os pensamentos de Clay, assim podemos conhecer Hannah no ponto de vista dela e dos outros. Até então, as questões ficam no ar: "Quem é Clay?" "Por que a estória foi narrada por ele?".
"Recebi um pacote de fitas cassete pelo correio hoje, de uma garota que se matou. Parece que eu tive alguma coisa a ver com isso."
Hannah era totalmente popular, sociável e aos olhos de Clay era linda. Mas, depois de todas as decepções e magoas, ela virou uma garota depressiva e obcecada pela "morte". A cada página virada é uma agonia. Agonia por querer saber o que está na fita. Agonia por querer chegar logo no final e descobrir qual foi o impacto que Clay teve na vida dela. Sem contar que, a cada frase lida, aumentava a raiva pelos anti-heróis que, na verdade, eram amigos de Hannah e com o passar do tempo demonstraram ser verdadeiros monstros.
Apeguei-me demais ao Clay. Ele é um protagonista totalmente amável. Ele tornou os piores fatos da vida de Hannah justificáveis. Principalmente nas fitas que falavam sobre abuso sexual, e deu para perceber o amor que ele sentia por ela. Clay é o tipo de garoto que não segue os passos dos outros, mas também não segue os dele. Segue os passos da vida!
"Suicídio. Tenho pensado nisso. Não muito a sério, mas tenho pensado nisso."
Como eu havia dito. Clay sempre fora apaixonado por Hannah. Por motivos de medo, ele nunca contou. Ele tinha certa desconfiança dos boatos sobre ela. Não acreditava que eram verdadeiros e nem desacreditava. No decorrer, percebi que houve um amadurecimento da parte dele, no entanto, ele não contou nada a ninguém. Isso talvez tenha sido um jogo do autor para não fecharmos o livro enquanto não descobrir qual foi à atitude dele. Muito inteligente!
"É por isso que, nesse exato momento, sinto tanto ódio. De mim mesmo. Eu mereço estar nessa lista. Porque se eu não tivesse tanto medo dos outros poderia ter falado para Hannah que havia alguém que se importava. E ela poderia estar viva."
O fato é que, nunca podemos prever a forma que vamos afetar a vida de uma pessoa. Cada um ao ler o livro terá uma opinião diferente. Cabe ao leitor decifrar o código, ou as palavras, baseando-se em tudo o que sabe sobre a vida. Cabe a você ir descobrir os 13 motivos que levaram Hannah a cometer suicídio. Cabe a você juntar as peças e ver que para uma pessoa se machucar não precisa ser apenas fisicamente, emocionalmente também. A única pessoa que sabe o que realmente sentia era ela mesma. Os motivos podiam ser fúteis ou não, mas ela sabia.
Recomendo o livro. Valeu super a pena ter lido. Não me arrependi das expectativas criadas, todas foram atendidas. Essa estória foi um grande impacto. A ideia do autor foi inigualável. A narrativa é leve, rápida e a escrita de Jay é simples. O fato de ser intercalada entre pensamentos e fitas não tornou a leitura cansativa.
Beijos e até a próxima!

Resenha: Just Listen - Sarah Dessen

Olá leitores, tudo bem? Nessa correria toda de Black-Friday decidi dar uma dica para vocês. O livro de hoje é bem famoso e pertence a uma autora conceituada. Confira a resenha de Just Listen:


LEMBRETE: DEZEMBRO É MÊS ESPECIAL TOPS 5. FIQUEM LIGADOS!


Título: Just Listen
Título Original: Just Listen
Páginas: 308
Autor(a): Sarah Dessen
Editora: Farol 
Gênero: Drama
Ano de Publicação: 2010

Avaliação:

Capa: 3/5
Diagramação: 4/5

Obra Completa: 3,5/5





Sinopse: Depois de ter sido pega com o namorado da melhor amiga numa festa, Annabel Green começa o ano letivo sozinha e sendo ignorada pelo resto da escola. Mas o que realmente aconteceu naquela noite ainda é segredo, que ela não se arrisca a contar para ninguém. Os problemas de Annabel são explicitados pela recusa da família em admitir os próprios problemas, a fissura da mãe para que as filhas virem modelos famosas e Whitney, a irmã do meio, que sofre de anorexia. Uma amizade com Owen, o DJ da rádio comunitária, que tenta constantemente ampliar os gostos musicais de Annabel, fará a tímida jovem aprender a falar a verdade, doa em quem doer.

Resumo:

Annabel Green parece ter uma vida perfeita, mas as coisas são um pouco mais complicadas. A jovem é linda, por isso, é modelo e já consegue ser conhecida em sua cidade. Sua família é tradicional e suas duas irmãs mais velhas foram responsáveis pela herança da carreira de modelo. A vida parece perfeita... Só que não!

Annabel e seus pais descobre que sua irmã do meio, a linda e exuberante Whitney, tem anorexia. Pra piorar, sua outra irmã está pensando em largar a carreira de modelo, que é o maior orgulho de sua mãe. Já Annabel está sofrendo bullying por sua ex, cruel e popular amiga. A verdade, é que ela esconde um grande segredo.

Totalmente desanimada e triste, a jovem já não vê mais esperança em sua vida, porém uma pessoa pode mudar tudo. Owen! Ele é introspectivo, galã e fã de músicas esquisitas. Não faz muito o tipo de Annabel no começo, mas depois ele toma seu coração por completo. Iai. Será que vai dar certo? Será que a vida de Annabel vai mudar?


Opinião:

Sarah Dessen é considerada uma das autoras mais influentes da literatura contemporânea. Seus livros venderam/vendem milhares de exemplares em todo o mundo. Logo, é óbvio que minhas expectativas para a leitura desse livro estavam altíssimas. Assim que a editora me disponibilizou o livro eu já o-peguei para ler. Confesso que esperava um pouco mais, porém o livro passa longe de ser ruim.

Just Listen (Apenas Ouça) é considerado um dos livros mais pesados de Sarah Dessen. O livro começa morno e apresenta ao leitor situações e ambientes já vistos diversas vezes. Até a página 50 você imagina que o livro será uma piscina de clichês, mas assim que avança mais na leitura percebe que a autora soube inovar e dar os seus toques de originalidade. A maior qualidade de Just Listen já de destaca logo no início do livro. A narrativa! É uma delicia. Sarah Dessen realmente sabe como envolve o leitor.

"As pessoas que mais conhecem você podem ser mais ameaçadoras, pois o que elas dizem e pensam a seu respeito pode não ser apenas assustador, mas também verdadeiro."

O livro é ambientado em uma cidade tranquila e, basicamente, se passa todo em uma escola de ensino médio. Annabel conta ao leitor tudo o que está sentindo e vai jogando pistas de tudo o que aconteceu ao longo da narrativa. Se você for esperto, vai sacar qual o mistério logo no início (infelizmente). Não queria que isso tivesse acontecido, pois o livro se vende muito por causa do segredo de Annabel e eu achei-o muito previsível. A autora podia ter o-trabalhado mais.

Sarah Dessen soube construir bons personagens e moldou de maneira magistral a doença de Whitney (irmã de Annabel). Fiquei bem triste por ela e me peguei torcendo ardentemente pela personagem diversas vezes. Isso, sem dúvida, não tem preço! Os pais de Annabel e suas motivações poderiam ter sido um pouco mais explorados, pois eles são parte importante da vida das irmãs, mas tudo bem, isso é o de menos.

"Seja uma música, uma pessoa, uma história, não há como saber de algo quando se conhece apenas um trecho. Quando se deu uma rápida olhada ou se ouviu parte de um refrão."

Owen foi um personagem que dividiu um pouco minha cabeça. Ás vezes eu gostava bastante dele, mas confesso que me irritei bastante com o personagem. Ele é viciado em música, porém, as músicas mais estranhas do mundo. Ele ajuda Annabel a superar tudo e blábláblá... Mas, ele defende suas músicas criticando às outras e isso me incomodou. Foi como se a autora quisesse expressar sua opinião (achei até mal educado) através de argumentos fracos do personagem. Em suma, Owen é um cara legal.

Sabe o que me fez dar 0,5 estrelas a mais para o livro? A irmã de Owen. Ela é uma figura incomparável e já se tornou uma das minhas personagens favoritas. Mallory é engraçada, doce, singela, simpática e ingênua. Ela dá leveza ao livro e me fez cair na gargalhada diversas vezes. Adorei a autora ter introduzido ela bastante na história - sim, ela aparece bastante - tá na lista de melhores personagens.

A edição está bem legal. As folhas são brancas, isso vai incomodar muita gente, tenho certeza, mas eu até gosto, por isso não achei ruim. Apesar de não curtir muito a capa, muita gente a acha sensacional. Fica a critério de vocês, beleza? Sem comentários para a revisão do livro, a editora caprichou e não deixou passar nenhum errinho. Gostei!

"- Raiva não é algo ruim - ele disse - É humano. E, além disso, o fato de uma pessoa estar chateada não quer dizer que ela ficará assim para sempre."

Just Listen foi um livro que poderia ter sido melhor, porém conseguiu me conquistar em várias partes. Você irá se deliciar com Mallory e se emocionar com Annabel. Owen vai te irritar um pouco, mas dá pra superar. O livro não é inovador e nem a maravilha que todos falavam, mas merece ser lido e apreciado. Recomendo com cautela!

O que vou comprar na Black-Friday + Dicas

Iai povo, tranquilo? Todos nós sabemos que dia 27/11 a maior liquidação de tudo (tudo mesmo) estará novamente no Brasil. Pensando nisso, eu decidi contar para vocês o que irei comprar nessa Sexta-Feira e também dar algumas dicas para que todos possam aproveitar melhor esse dia de compras. Vem comigo!


Black Friday é sempre uma data excelente para aqueles que querem comprar, mas existe uma dualidade péssima nessa data. Preço Baixo X Dívidas. É muito complicado, pois muitas promoções entram no ar e a gente acaba querendo comprar tudo, sem poder. Veja o que eu pretendo comprar nesse dia tão emocionante e, logo após, confira as dicas que darei para você se controlar na Black Friday!


Vou Comprar:



O Clube do Biscoito:

Quem acompanha o blog sabe que eu sou louco nesse livro desde que ele lançou e devido aos inúmeros elogios sobre ele, decidi que finalmente irei comprá-lo na Black-Friday. Espero gostar e não decepcionar-me!

A Lista de Brett:

Esse livro é um dos mais comentados do mês pela blogosfera, o que me deixou curioso. Todos estão dizendo que A Lista de Brett é maravilhoso e que tem o poder de arrancar algumas lágrimas. Também farei um investimento nele.

Mentirosos:

Nem preciso falar nada sobre esse livro, né? Mentirosos é o assunto do momento nos blogs de todas as esferas (vi até em blogs de filmes). Estão prometendo uma história angustiante e com um final cabuloso (o.o). Estou ansioso!

Trono de Vidro - Croa da Meia-Noite (Volume 2):

Depois do incrível Trono de Vidro, chegou a hora de ler o 2° volume da série. Não estou com tantas expectativas, porém tenho certeza de que irei gostar, pois estão dizendo que ele tem a mesma pegada do 1° livro. 

Confira a resenha de Trono de Vidro: Aqui


Dicas para a Black-Friday!

Não é fácil resistir as tentações da Black-Friday, porém é preciso ficar de olho em algumas ofertas duvidosas!

1° Dica: Anote o que irá comprar alguns dias antes.

É importante e necessário ter um controle do que irá comprar. Por dois simples motivos: não cair em golpes e organização. Não é legal você chegar no site no dia da Black-Friday (que congestiona) e não saber o que quer comprar. Não dá tempo de ficar procurando, por isso já tenha em mente o(s) produto(s) que deseja! Também é preciso ter controle para não cair em golpes. Olhe os preços de todos os produtos que você quer e anote. Caso, ele esteja anunciado como promoção no dia e o preço for igual, além de não comprar, você pode denunciar para o PROCON. Então abra o olho!

Confira a lista do PROCON com sites não confiáveis na Black-Friday: Aqui

2° Dica: Reflita e estude o quanto você pode gastar.

Antes de comprar na Black-Friday olhe se você realmente pode ir às compras. Não é nenhum pouco legal ficar endividado no final do mês por culpa de uma promoção. Concordam? Por isso, olhe suas contas e veja o que pode gastar. Depois, planeje seus produtos e fique de olho nas ofertas.

3° Dica: Compre só o que precisa.

Na Black-Friday tudo entra em promoção, principalmente coisas desnecessárias. Então, repito: CUIDADO! Não caia na tentação e evite comprar aquilo que você não precisa. Como eu disse anteriormente, é necessário planejar para depois ir às compras.

4° Dica (última): Pesquise em todos os sites confiáveis.

Não vá se empolgar demais e sair comprando em qualquer site. Pense! Olhe sites confiáveis para se comprar e logo depois pesquise o mesmo produto em todos eles. De acordo com o PROCON, existem produtos com diferença de até R$150,00 no preço. Por isso, pesquise e tenha atenção.


Essas foram às dicas da Black-Friday e o que eu pretendo comprar. E vocês, vão às compras? Conte-me tudo nos comentários. Beijo e Abraço!

A Arte de Viver é Debater #8 - Julgar Livros Pela Capa

Olá pessoal, tudo beleza? Mais um início de semana está conosco (férias chegando). Como de costume, sempre gosto de debater assuntos variados com vocês na Segunda. Hoje, não é diferente. Vamos falar de livros e capas!


Nesta coluna darei minha opinião sobre diversos assuntos. Chamarei amigos blogueiros e amigos anônimos para expressar sua opinião e, é claro, conto com a participação dos leitores.



Quem ai não gosta de uma capa linda? Hoje, em um mercado tão competitivo e carente de novidades impactantes as tão valorizadas capas estão dominando. Já tem modelo: aveludado, emborrachado, moldável, amassável (kkkk). Tem de tudo! Mas e aí, as capas são importantes? 

Sempre que um livro é lançado (geralmente) a primeira coisa que o leitor repara é a capa. Na maioria das vezes, quando a capa é bonita a sinopse também passa a ser (hehehe). Se você se depara com uma capa feia, obviamente, vai perder um pouco do interesse por aquela obra. Mas calma, não se sinta fútil! Isso é coisa do nosso cérebro. Você sabia que nossos estímulos dão mais importância para o lado "colorido"? Pois é... Isso nasce com a gente.

O maior problema de se olhar apenas a capa é o fato de perder grandes histórias. Conheço pessoas que só leram o livro "Laranja Mecânica" por causa da linda edição comemorativa. Se elas gostaram? Adoraram o livro, mas iriam perder essa história se não tivesse uma capa que faz jus a grandiosidade da obra. É complicado...

Confesso que estou na linha dos leitores que julgam um livro pela capa. Geralmente, se um livro possui capa muito feia e eu estou muito interessado nele, não compro. Pois é... Eu só alugo na biblioteca. O motivo? Não gosto de manter capas feias na minha estante e sei que isso é um hábito feio!


Sabendo disso, vou deixar fotos de alguns livros com conteúdo bonito, mas capa feia.



Convidei a resenhista do blog (Mari Gnocchi) pra dar sua opinião a respeito desse assunto polêmico. Confira o que ela disse:

Mariana Gnocchi:

A grande dúvida dos leitores continua sendo: julgar um livro pela capa é errado? Apesar de interferir na compra do livro, é errado deixar de ler por conta de a capa ser feia. Óbvio que quanto mais bonita e trabalhada for, mais atenção irá chamar, porém nem sempre a estória será boa. Geralmente quando vou à livraria e vejo uma capa muito linda, vou correndo pegá-la, mas antes leio a sinopse. Quando eu vejo uma capa "feia" faço a mesma coisa, ou seja, no meu ponto de vista ela não interfere na estória. Apesar de que, quando a capa é "perfeita", a vontade de ler aumenta. As editoras deveriam aderir capas que tem ligação com a estória, exemplificando: Se a estória trata de vampiros, a capa do livro teria vampiros e não letras ou outros desenhos apenas para chamar atenção. Com isso, as pessoas não julgariam a estória pela capa e sim a capa pela estória.

E você? Julga um livro pela capa? Acha isso feio? Deixe seu comentário abaixo!

Pipoca de Sexta #46 - A Esperança - Parte 1

Iai povo, como vão? Pois é... Como podem ver eu já assisti A Esperança - Parte 1. Muito se especulou e se falou sobre o filme. Eu, como um fã, estava extremamente curioso. E sinceramente... QUE FILMAÇOOOOO!

Ainda não leu a resenha de Em Chamas? Clique AQUI e leia!


Título: Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1
Título Original: The Hunger Games: Mockingjay - Part 1
Gênero: Ficção
Elenco: Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Elizabeth Banks...
Distribuidora: Paris Filmes
Ano de Lançamento: 2014
Nacionalidade: EUA
Direção: Francis Lawrence

Avaliação:

Elenco: 5/5
Trilha Sonora: 5/5
Obra Completa: 4,5/5




Sinopse: Após ser resgatada do Massacre Quaternário pela resistência ao governo tirânico do presidente Snow, Katniss Everdeen está abalada. Temerosa e sem confiança, ela agora vive no Distrito 13 ao lado da mãe e da irmã, Prim. A presidente Alma Coin e Plutarch Heavensbee  querem que Katniss assuma o papel do tordo, o símbolo que a resistência precisa para mobilizar a população. Após certa relutância, Katniss aceita a proposta desde que a resistência se comprometa a resgatar Peeta Mellark e os demais Vitoriosos, mantidos prisioneiros pela Capital.




Resumo:

Katniss Everdeen nunca esteve tão ácida. A antiga "garota em chamas" amadureceu e, mais do nunca, está sofrendo os impactos de suas escolhas. Snow e a Capital estão confrontando-a e todos aqueles que estão aliados a ela. A população dos distritos está com medo, mas assim como Katniss, algo os move. Esperança!

O Distrito 13 é a nova moradia de Katniss. Agora, ela é o símbolo de toda a revolução. O tordo! Alma Coin é uma espécie de presidente "Snow", mas diferente dele, quer o bem (hum...). Katniss agora está com uma equipe extraordinária para guiá-la. Hamytich, Effie e Gale são os principais componentes dessa perigosa e aclamada busca por justiça.

Será que o sémbolo da revolução conseguirá se sair bem? E a população? Descubra assistindo: A Esperança - Parte 1.

Opinião:

Depois do sucesso estrondoso de Jogos Vorazes e Em Chamas a franquia mais badalada do momento está de volta. Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1 é um fenômeno. Quando se trata de produções tão grandes as expectativas e o medo afloram logo de cara. O receio de uma má adaptação e a esperança de um filme incrível forma uma dualidade dolorosa. Ainda bem que a parte do filme incrível se sobressaiu mais uma vez

A Esperança - Parte 1, a meu ver, é a parte mais arriscada de toda a trilogia. Aqui o tom muda. Não existe mais ação frenética e, muito menos, os tão chamativos Jogos Vorazes. Tudo gira em torno da política e da organização social. O foco são os personagens e seus pensamentos e ações como um todo. Para o alívio do público, essa novidade perigosa não ficou monótona ou exagerada. O filme possui um ritmo incrível e a suas mais de duas horas irão passar em um relance.

Pra mim, esse foi o melhor filme da franquia. O diretor Francis Lawrence mostrou seu talento e conseguiu captar com esplendor toda a parte política que Suzanne Collins criou com maestria. Duras críticas a nossa "democracia" são feitas e o relacionamento de Coin com seus aliados é uma clara amostra da manipulação que todos nos sofremos. Com toda a certeza, o ponto mais alto do filme.

Coin e Plutarch. As cabeças pensantes.
Alguém aí quer umas doses de cenas frenéticas? Você terá dificuldade de respirar assistindo esse filme. É interessante a maneira como o filme foi conduzido e chegou a essa esfera de "claustrofobia". Apesar do enredo não apresentar grandes cenas típicas de "blockbustters" o filme consegue inovar. Nada é exagerado, mas tudo é carregado de emoção. Mérito, é claro, de toda a equipe técnica. 


Todos os personagens amadureceram e os atores conseguiram mostrar isso facilmente. Jennifer Lawrence nunca esteve tão incrível. Essa é, sem dúvida, sua melhor atuação na franquia. Elizabeth Banks rouba a cena e consegue nos fazer rir até em momentos sombrios. Achei uma sacada inteligente inserir alívio cômico a personagem. O que dizer sobre Julianne Moore? Ela é a encarnação em vida da presidente Coin. Sua atuação deu vida à personagem de uma maneira inimaginável. Sensacional!

Uma das melhores cenas do filme.
Algo que sempre me chamou a atenção na franquia Jogos Vorazes (no cinema) são os efeitos especiais. Tudo é tão bem feito e tão real, que faz os olhos dos telespectadores brilharem. Consegui mergulhar completamente no filme e tudo passou muito rápido. Adoro quando isso acontece! Mérito grande também a sensacional trilha sonora. Lorde dá voz a uma das músicas mais sensíveis e explosivas dos últimos anos. "Yellow Freak Beat".

As ações de Katniss deixam o telespectador literalmente "Em Chamas" e as reações de Snow nos deixam "Vorazes". Tudo isso rendeu um maravilhoso filme, porém nem tudo são flores em um jardim. Fiquei bastante furioso pela grande duração do filme. É claro que eu, como fã, gosto de ver minha saga nas telonas o tempo que for preciso. Mas, às vezes, não é necessário dividir um filme em 2 partes - acho que fizeram por a$m$r - pois isso prolonga o que não é preciso. Uns 15 minutos poderiam ser cortados facilmente e, infelizmente, o filme terminou na hora errada. Sim, foi um grande susto, mas poderia ter terminado antes.

Peeta está mal.
Entre imensos acertos e pouquíssimos erros. Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1 é o melhor e mais maduro filme da franquia até agora. Você irá, junto com Katniss, dar voz a essa rebelião tão necessária. Vai torcer por Peeta e por sua personalidade. Odiar Snow. Mas, acima de tudo, ficará com aquela sensação de dinheiro bem gasto.


A pergunta que não quer calar. O filme é fiel ao livro? Eu digo, sim é, mas não 100% (óbvio). Algumas cenas foram cortadas. 80% foram cenas que não tem uma grande importância e 20% foram cenas que eu ficaria feliz em assistir nas telonas. Mas, entendo a motivação do diretor, não é fácil adaptar tudo e, muitas vezes, nem é permitido (Srta.Suzanne). Aqui, não acompanhamos tudo pela visão da Katniss, algumas cenas extras mostram a situações em outros distritos e algumas coisas pela visão da capital; Mais um acerto do diretor! Então, relaxe, é uma ótima adaptação.

Trailer:

Resenha: The 100 - Kass Morgan

Olaaaaaa. Meu nome é Mariana (Mari). Tenho 16 anos e sou a nova resenhista do blog. Estou cursando a segunda série do ensino médio e pretendo me formar em psicologia.

Sou fã desde pequena de: O senhor dos anéis, Star Wars, super-heróis, livros HQ's e tudo que envolve coisas nerds/geeks. Meu quarto não parece de menina pelo simples fato de ter papel de parede de heróis e o senhor dos anéis. E também tem um boneco do Darth Vader e um do Capitão América na parede. Pois é. Meus gêneros literários preferidos são: Fantasia e terror. Meu autor preferido é o J.R.R Tolkien. Eu não faço nada da vida além de ler.

As estruturas das minhas resenhas vão ser feitas com certa "regra": Resumo da estória e opinião. Geralmente eu tento assimilar com itens do cotidiano, mas isso depende muito do livro.Espero que vocês gostem e façam amizade comigo, sou legal!


Título: The 100 (Os Escolhidos)
Título Original: The 100
Páginas: 288
Autor(a): Kass Morgan
Editora: Galera 
Gênero: Ficção Científica
Ano de Publicação: 2014

Avaliação:

Capa: 5/5
Diagramação: 5/5
Obra Completa: 4,5/5





Sinopse:

Desde a terrível guerra nuclear que assolou a Terra, a humanidade passou a viver em espaçonaves a milhares de quilômetros de seu planeta natal. Mas com uma população em crescimento e recursos se tornando escassos, governantes sabem que devem encontrar uma solução. Cem delinquentes juvenis — considerados gastos inúteis para a sociedade restrita — serão mandados em uma missão extremamente perigosa: recolonizar a Terra. Essa poderá ser a segunda chance da vida deles… ou uma missão suicida.

Resumo:

The 100 é um livro muito apaixonante. Comecei a ler e não parei mais. Terminei em 3hrs, no máximo.

Aconteceu uma terrível Guerra Nuclear na Terra que devastou toda a humanidade. Os sobreviventes tiveram que viver em uma espaçonave há milhares de quilômetros de seu planeta natal. Apesar de ser espaçonave, as mesmas são consideradas "restritas". 100 jovens que infringiram alguma lei da nave e são chamados de delinquentes serão enviados para uma missão na Terra. Isso pode ser sorte, ou um suicídio?

Opinião:

Cada capítulo é narrado por um personagem diferente, mostrando o ponto de vista de cada um. Todos estão sendo enviados à Terra por um motivo específico. Os capítulos são intercalados entre: Clarke, Wells, Bellamy e Glass. Essa divisão deixou a leitura muito rápida. Com essa "sacada" da autora conseguimos imaginar vários acontecimentos de formas diferentes para cada um. Como são quatro pontos de vista, a estória fica mais intrigante a cada página virada. E o leitor ficará se perguntando: "POR QUE”?

Clarke foi presa por um crime que não cometeu. Por um descuido de seu namorado, Wells. O crime estava sendo cometido por seus pais, mas de qualquer jeito ela foi punida. Clarke é o estilo de protagonista "perfeita" com o coração puro e, tudo que ela faz é pensando-nos outros e não nela. A prisão tirou isso dela, Clarke ficou dura, seca, ignorando qualquer tipo de sentimento, principalmente quando se tratava de seu ex-namorado, Wells. Talvez tenha sido tudo culpa dele.

"- Eu te amo - sussurrou ela, necessitando desesperadamente dizer aquilo. Eu te amo eu te amo eu te amo, latejava pelo seu corpo enquanto Luke sorria e a puxava novamente para junto dele."

Apaixone-me de uma maneira estranha pelo Bellamy. Acho que tenho desejo por vilões, ou quase vilão. Não que Bellamy seja totalmente um vilão, ele apenas tem jeito. Bom, Bellamy é muito encrenqueiro. Ele teve uma vida horrível. Desde pequeno teve que conviver com sua mãe "psica" e teve que cuidar de sua irmã mais nova sem ser pego pelas autoridades. Uma das leis de Chanceler era não poder ter irmãos mais novos. Tinha que ser filho único e acabou. Apesar de tudo isso, Bellamy quis ir para a Terra mesmo não cometendo nenhum crime, apenas queria salvar sua irmã, Octavia. Pois é, a irmã de Bell cometeu um crime "bom", ou melhor, ele achava que era bom, até descobrir que... O que prejudicou Bellamy foi seu ódio por Wells e sua paixão por Clarke. Isso o deixou como o "vilão", mas ele é totalmente amável.

Como vocês perceberam, cada adolescente tem uma estória diferente. Nem todos são delinquentes. The 100 é um universo totalmente criado pela autora, onde nos leva a pensar que não existe lugar nenhum melhor do que a TERRA. Os segredos vão sendo revelados ao decorrer da leitura, e alguns são surpreendentes. A escrita de Morgan é muito fácil de ser compreendida. Ela é direta, não fica dando detalhes e o pouco que ela escreve é o suficiente para entender. É uma tática que poucos autores possuem. No enredo há ação, suspense e romance.

"Ele entortou o pescoço e olhou para o céu, seus olhos absorvendo nada além de um vazio em todas as direções. Não importava onde eles estavam. Qualquer lugar nesse planeta seria infinitamente melhor do que o mundo que eles tinham deixado para trás. Pela primeira vez em sua vida, estava livre."

 O que tornou os jovens "delinquentes" foi o fato de todos agirem pelo amor e não pela razão. A regra de Chanceler era criar pessoas gananciosas, que visam apenas o exterior das pessoas e coisas, e não o interior. Óbvio que de todas as leis feitas, essa foi a mais quebrada.

A capa é uma das mais lindas que eu tenho na minha estante. A imagem é baseada nos personagens da série é em alto revelo e tem brilho. Diagramação tem um espaço bom entre os parágrafos, não precisa ficar escancarando o livro para poder ler a frase toda e a folha não é transparente. A letra tem um tamanho razoável, e os capítulos são curtos.

 "Os cem podiam ser os primeiros humanos a chegar no planeta em três séculos, mas eles não estavam sozinhos... Alguns nunca tinham ido embora"

Eu recomendo a leitura. The 100 entrou na lista dos meus livros favoritos. Não vejo a hora de ler a continuação. É uma distopia muito "realista". Há - quase esqueci - Existe uma série HOMÔNIMA baseada no livro.

Resenha: É Agora... Ou Nunca - Marian Keyes

Eai leitores, tudo bem? Vamos começar a semana bem? Nada melhor que falar de livro bom, por isso, hoje é dia de Marian Keyes. Let's go!

"Marian Keyes alcançou o sucesso com romances que satirizam as inseguranças e desventuras da mulher moderna... Graças a seu humor, ela passa longe do tom boboca."

                                                             Revista Veja



Título: É Agora...Ou Nunca  
Título Original: Last Chance Saloon
Páginas: 588
Autor(a): Marian Keyes
Editora: Bertrand Brasil
Gênero: Chick-Lit
Ano de Publicação: 2012

Avaliação:

Capa: 5/5
Diagramação: 4/5
Obra Completa: 4,5/5
                            
                     



Sinopse: Tara, Katherine e Fintan são amigos inseparáveis. Nascidos no interior da Irlanda, partiram juntos para Londres e se deram muito bem profissionalmente, pelo menos. Pois, nas grandes cidades, o mercado amoroso está saturadíssimo! E os corações dos três, todos na faixa dos trinta e poucos anos, podem não agüentar: o de Tara já se partiu, o de Katherine está prestes congelar e o de Fintan pode até parar de bater. É chegada então a hora de gritar por mudanças... ou calar-se para sempre! Neste É Agora... ou Nunca, de Marian Keys, a irlandesa que conquistou o mundo com Melancia, Férias!, Sushi e Casório?!, o destino entrará em cena sem pedir licença, mudando as vidas dos três amigos de forma totalmente inesperada... e muito divertida! Tara namora Thomas há dois anos, mas o relacionamento é, digamos assim, morno... frio... gelado, mesmo: o sexo do casal é como Papai Noel, que não existe, mas, se você tiver muita fé, aparece, todo coberto de neve, uma vez por ano. Thomas, ainda por cima, é um pé-rapado que vive comprando presentes ridículos para a namorada - como cremes para as mãos e bolsas de água quente... em promoção. Para piorar, ele ainda tem a coragem de dizer que Tara está gorda - só porque seu manequim pulou de 42 para 50!

Resumo:


É muito difícil cultivar uma amizade de anos. Mas, para: Tara, Katherine e Fintan, isso já é costume. Os três nasceram no interior da Irlanda (se tratando de Marian Keyes, tudo envolve Irlanda). Até que, pensando no futuro e na curtição, decidiram se mudar para Londres e movimentar um pouco suas vidas. Deu-se certo? Os três possuem empregos maravilhosos e vidas profissionais invejáveis.

O único problema desses amigos é algo que atingi a maioria das pessoas. O Amor. Eles já partiram seus corações milhares de vezes e parece que nunca é o suficiente. Já estão cansados e pensando em desistir de vez desse sentimento tão complicado. 

Tara está gorda e infeliz. Seu marido a trata mal e a cada três palavras que pronuncia duas são para ofendê-la. Ela está cansada e querendo mudança.

Katherine é zoada por todos os seus colegas de trabalho. O motivo? Ela é taxada como seca e sem sentimentos. Arrancar um sorriso de Katherine é mais difícil do que Katy Perry ganhar um grammy (shashashasha).

Fintan é gay, mas quem disse que isso o salva das desilusões amorosas? Para piorar sua vida, ele descobre que está com câncer... A coisa tá feia.
Eai. Será que esses três vão conseguir se virar? É agora... Ou Nunca

Opinião:


Sou meio suspeito para falar de qualquer coisa da Marian Keyes. Adoro a autora! Ela tem um talento especial, pois além de te fazer rir, ela sabe trabalhar com personagens diferentes e usar o drama a seu favor. É Agora... Ou Nunca mostrou isso claramente. Em minha opinião, um dos melhores dela até agora!

Aqui temos três protagonistas. E acreditem, eles se metem em confusões dignas de Oscar. Como sempre, me identifiquei mais com dois personagens e a outra ficou pra escanteio; Tara é engraçada e, ao mesmo tempo, tem o poder de irritar. Convive com seu namorado que a trata mal e, mesmo assim, ela se sente culpada em se quer pensar em largá-lo. Mas, senti que a autora quis mostrar um lado da sociedade. Realmente as coisas são assim na maioria das vezes. Fintan é o gay mais macho que já vi (kkkkk). O cara é doidão, de verdade.

"- Não sei por que falam tanto de fruto proibido - reclamou. - Fruta é a única coisa que NÃO é proibida."

O livro não tem história, ele tem personagens. Os personagens mandam em tudo e, ao decorrer do tempo, uma história é criada para encaixá-los. Nos livros da Marian nunca será: assim, assim e assim. Não existe linha do tempo. Tudo é uma bagunça. Uma bagunça maravilhosa!

Dessa vez a autora trabalhou com o drama de um modo que eu não estava costumado a ver (já li oito livros dela). Fintan descobre que tem câncer em um momento do livro e eu fiquei com medo do que ela poderia fazer. Ela não só trabalho o câncer dele com naturalidade e destreza, mas mostrou como a união é importante nesses momentos. Esse livro possui partes extremamente tristes.

"Katherine ficou feliz ao ouvir Tara comparar Thomas a um membro gangrenado. Claro que isso era uma terrível ofensa aos membros gangrenados, mas representava algum progresso."

Gabriel e a comédia? Sinceramente... Não é tanta. Confesso que me decepcionei um pouco nesse quesito, pois esperava um livro engraçado a todo o momento, porém o leitor não irá encontrar isso aqui. Então, se você quer ler algo engraçado da Marian, sugiro que não leia esse livro por enquanto.

O final me destruiu! Marian Keyes é uma escritora sem frescuras. Quando é preciso matar ela mata, não tem essa de ficar enrolando. Pensei noventa finais pra esse livro, mas ele acabou de uma maneira totalmente diferente. Um dos finais mais engraçados e irônicos que já li.

"Uma mulher com um grande corpo era uma coisa, mas uma mulher com um grande corpo e um grande carro, isso eram outros quinhentos..."

Sobre a edição, não tenho tanto o que falar. Como sempre, o trabalho de design da editora está impecável. A capa segue o mesmo padrão dos livros anteriores da autora e, é quase a minha preferida. Senti um pouco de desleixo com a correção em alguns momentos e a letra hora estava forte, hora estava fraca. Isso dificultou um pouco à leitura. Mas, é uma boa edição.

Não sei mais o que falar sobre esse livro. É Agora... Ou Nunca mostra ao leitor o poder da escrita e da narrativa de Marian Keyes. Com personagens estreitamente relacionados e situações tristes e polêmicas, ela consegue te transportar para o mundo dela. Um mundo onde sanduíche com pasta de amendoim é ostentação (hehehe). LEIA, LEIA, LEIA E LEIA!

Music Life #7: All About That Bass, Diz Pra Mim e Animals.

Olá povo, tudo bem? Acordei inspirado e louco para compartilhar algumas músicas boas com vocês. Torço para que vocês gostem. Vamos lá!

All About That Bass: 4 estrelas.
Diz Pra Mim: 3,5 estrelas.
Animals: 4 estrelas.


All About That Bass - Meghan Trainor



Meghan Trainor era desconhecida até pouco tempo, mas recentemente surgiu como um furacão no mundo da música. Sua música, aparentemente inocente, mostrou ter um potencial assustador e surpreendeu muito à cantora e a crítica especializada. All About That Bass é simples e até imatura. A música exalta a beleza interior e faz questão de dizer: "Cada pedacinho de você é perfeito, lá debaixo até o topo". Sim, é uma música bem autoajuda. É gostosa de ouvir e, é simples e puramente aquilo que promete. POP!


Diz Pra Mim - Malta



Quem não conhece a banda Malta? Esses sortudos (e talentosos) cantores foram os ganhadores da primeira edição do "Superstar". Eles conseguiram trilhar o rumo no mundo da música e já lançaram seu CD que permanece na lista de mais vendidos do Brasil! Diz Pra Mim é o "single" chefe do CD e, sinceramente, é bem legal. A música é bem formada e possui partes realmente bonitas. Peca um pouco em originalidade e não é tão "chiclete". Sabe aquela vontade de escutar sempre? Dificilmente você terá. Mas, com certeza, vale a pena ouvir.


Animals - Maroon 5




Maroon 5 é sensacional, não tem jeito! Dessa vez o novo (não tão novo mais) "single" é uma das músicas mais poderosas do álbum "V" e também da carreira da banda. Animals - como acontece sempre na música da banda - fala sobre um relacionamento obsessivo e doente. Ele é o caçador e ela é a presa. Eu adorei a letra da música, achei ousada e astuta! Não é perfeita, a repetição de alguns trechos incomoda e, pra mim, faltou uma pegada mais "trash". Porém, o clipe compensa todos os defeitos. É polêmico, sensual e sagaz. Recomendo!


Bom pessoal é isso! Espero que tenham gostado e, não se esqueça de deixar uma indicação de música para ser analisada.

Tag: Redes Sociais

Olá pessoal, tudo tranquilo? Faz um tempinho que não respondo tag aqui no blog (tem milhões na lista). Hoje vou responder uma que fui indicado há milênios (não lembro quem me indicou. Sorry!). Vamos lá:


Clique na imagem do livro e seja redirecionado para a sua resenha aqui no blog!


Essa tag é bem simples e consiste em responder algumas perguntas com base nas redes sociais existentes. Let's go!


TWITTER: UM LIVRO QUE VOCÊ COMPARTILHA COM TODO MUNDO.

 

Li esse livro há pouco tempo, mas ele já se tornou um dos meus favoritos da vida. O livro é sensacional! Recomendo para qualquer pessoa. Eu realmente estou fazendo todo mundo ler esse livro.


5 estrelas. COMPRE!

FACEBOOK: UM LIVRO QUE VOCÊ GOSTOU MUITO E FOI RECOMENDADO POR OUTRAS PESSOAS.



Lola e o Garoto da Casa ao Lado foi um livro muito gostoso de ler. Quem me recomendou? A linda da Pam do Garota It. Tinha lido Anna e o Beijo Francês antes dele e odiado. Mas, Lola foi bem melhor. Recomendo!


4 estrelas. COMPRE!

TUMBLR: UM LIVRO QUE VOCÊ LEU ANTES DE CRIAR O BLOG E AINDA NÃO FEZ POST SOBRE.


Li Dom Casmurro umas três vezes e gostei dele em todas. O livro é complexo e também é um grande clássico da literatura brasileira. Ainda não fiz post sobre ele, pois creio que não é necessário.


4 estrelas.

MYSPACE: UM LIVRO QUE VOCÊ NÃO TEM A INTENÇÃO DE RELER.



Água para Elefantes foi uma maravilha e, por isso, esperava muito desse livro. Infelizmente, o livro não me agradou e mostrou um lado da autora que espero que ela evite em suas próximas obras. Não irei relê-lo.


3 estrelas. COMPRE!

INSTAGRAM: UM LIVRO COM UMA CAPA BONITA.



Um dia foi um livro que não consegui ler. Abandonei perto da página 100. Porém, isso não me faz deixar de amar a capa original do livro. O contorno do rosto dos dois, aliados a cor laranja, é incrível! Acho essa capa uma das mais bonitas de todas.


YOUTUBE: UM LIVRO QUE VOCÊ GOSTARIA DE VER UMA ADAPTAÇÃO PARA O CINEMA.



Quem acompanha o blog sabe que Caminhos de Sangue é um dos meus livros favoritos. O livro me marcou muito e, com certeza, eu seria o primeiro da fila em uma adaptação literária sobre ele. A história é incrível e acho que tem potencial.

PS: Talvez, com o filme, a editora terminasse de publicar a série inteira.


4,5 estrelas. COMPRE!

SKYPE: UM LIVRO COM PERSONAGENS QUE VOCÊ GOSTARIA DE CONVERSAR.



Eleanor e Park não é um livro perfeito, passa muito longe disso, mas tem personagens incríveis. Eu adoraria bater um papo com o Park (ele é bem parecido comigo) e conversar sobre X-MEN com a Eleanor seria muito legal.


4 estrelas. COMPRE!

Bom pessoal foi isso! Não irei indicar ninguém. Caso queiram fazer, sintam-se à vontade. Beijos e Abraços!

Eu vivo lendo. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design