Dezembro no blog e algumas novidades!

31 de outubro de 2014

Iai povo, como vão? Graças há Deus o ano está terminando e com ele vêm as férias (uhuuuu). Férias é sinônimo de tempo, o que quer dizer que em Dezembro o blog estará movimentado (yeeees). Bora saber o que vai acontecer por aqui!

PS: Para garantir que não vai perder nada do mês de Dezembro, não se esqueça. Curta e siga o blog nas redes sociais:


O que terá em Dezembro:

Resenha: Sangue Quente - Isaac Marion

27 de outubro de 2014

Iai pessoal, tranquilo? Hoje é dia de resenha e em meio há tantos livros legais eu decidi resenhar Sangue Quente, pois li recentemente e, além disso, gostei bastante. Vem comigo!

"Nunca pensei que poderia gostar tão apaixonadamente de um zumbi. Fiquei pensando na história muito tempo depois de acabar de ler o livro."


                                         Stephenie Meyer, autora da série Crepúsculo




Título: Sangue Quente
Título Original: Warm Bodies
Páginas:
Autor(a): Isaac Marion
Editora: Leya
Gênero: Romance
Ano de Publicação: 2011

Avaliação:

Capa: 5/5
Diagramação: 5/5
Obra Completa: 4/5


Compre: Aqui!



Sinopse: R é um jovem vivendo uma crise existencial - ele é um zumbi. Perambula por uma América destruída pela guerra, colapso social e a fome voraz de seus companheiros mortos-vivos, mas ele busca mais do que sangue e cérebros. Ele consegue pronunciar apenas algumas sílabas, mas ele é profundo, cheio de pensamentos e saudade. Não tem recordações, nem identidade, nem pulso, mas ele tem sonhos. Após vivenciar as memórias de um adolescente enquanto devorava seu cérebro, R faz uma escolha inesperada, que começa com uma relação tensa, desajeitada e estranhamente doce com a namorada de sua vítima. Julie é uma explosão de cores na paisagem triste e cinzenta que envolve a "vida" de R e sua decisão de protegê-la irá transformar não só ele, mas também seus companheiros mortos-vivos, e talvez o mundo inteiro. Assustador, engraçado e surpreendentemente comovente, Sangue Quente fala sobre estar vivo, estando morto, e a tênue linha que os separa.

Resumo:

R não é um jovem comum - ele é um zumbi e como qualquer zumbi come carne humana e anda desajeitadamente. Mas uma coisa difere R de todos os outros zumbis. Ele quer mudar!

Um belo dia R e seu grupo atacam algumas pessoas e ao ingerir o cérebro de uma delas o zumbi enxerga tudo pelo o que ela já passou. Mas algo diferente acontece, ele vê a jovem mais linda que já teve o prazer de presenciar. Fica atônito com aquilo e, ao se atentar a situação, percebe que ela está acuada no canto do local implorando por ajuda.


R, obviamente, salva Julie dos zumbis e a leva para o local onde vive. Mas será que a relação humana e zumbi dará certo? Ele vai conseguir não comê-la? 

Opinião:

Nunca tinha lido um livro com a temática totalmente centralizada em zumbis e, por isso, estava bastante receoso com Sangue Quente. Sorte minha que o livro foi uma grande e boa surpresa.

Isaac me surpreendeu bastante com R. No começo, tinha certeza de que o zumbi seria um personagem antipático e desinteressante, mas ao longo da narrativa percebi que estava redondamente enganado. Além de interessante o personagem apresenta diversas características fantásticas e é, sem dúvida, o ponto mais forte do livro. Gabriel, e a Julie? Curti ela não...

 "Quando o mundo inteiro é construído com horror e morte, quando a existência é um estado constante de pânico, é difícil ficar preocupado com uma coisa só. Os medos específicos se tornaram irrelevantes. Nós os substituímos por um cobertor sufocante muito pior."

Fiquei um pouco decepcionado com o autor nesse ponto, pois ele criou um personagem tão incrível e não se preocupou em desenvolver a mocinha da história. Acredite quando eu digo, ela é mais desinteressante que a Bella (Crepúsculo). Pois é... Isso fez o autor cair um pouco de nível comigo.

Sangue Quente não é um livro de terror, mas também passa longe de ser um conto de fadas. O autor consegue perfeitamente unir os elementos: medo, amor, mistério. É muito bonito o modo que ele trabalha o ser humano e, às vezes, fiquei com impressão de que ele era psicólogo ou coisa parecida.

O enredo não é muito rico, eu confesso. O livro todo, basicamente, vai narrar as aventuras (bem fracas) de R e Julie pelo "mundo". No final a coisa esquenta mais um pouco, mas tudo passa tão rápido que eu fiquei pensando se o livro não teria continuação, ou algo assim - espero que não tenha.

"Música? Música é vida! É emoção física, mas você não pode tocar. É uma ecto-energia de neon brilhante sugada dos espíritos e transformada em ondas de som para que seus ouvidos possam engolir."

A edição está boa, mas não perfeita. Achei horríveis as figuras que os capítulos possuem. Todo capítulo se iniciar com a figura de uma parte do corpo humano (criativo), mas isso foi mal aproveitado. As figuras eram tão feias, que chegam a ser irreconhecíveis. Não encontrei muitos erros gramaticais, mas eles não foram nulos. Gosto muito da capa e de como a editora organizou o espaçamento do livro. Boa edição!

Sangue Quente é um livro engraçado, medonho, romântico e bastante filosófico. Você irá encontrar diversas referências a obras dos anos 80 e 90 e, pode ter certeza, a Michael Jackson. O livro peca na hora de desenvolver alguns personagens e deixa a desejar quanto ao ritmo, que vem a decair do meio para o final. Recomendo, pois você vai se divertir e aprender bastante. É perfeito? Não!

Até a próxima!

Pipoca de Sexta #45 - Zumbilândia

24 de outubro de 2014

Iai leitores, como vão? Desculpe pelo sumiço, mas essa semana as coisas realmente foram complicadas. A escola nunca esteve tão agitada e, consequentemente, o blog fica parado; Hoje irei falar sobre um filme muito icônico. Vem comigo!


PS: Este filme está disponível na Netflix!


Título: Zumbilândia
Gênero: Comédia
Elenco: Woody Harrelson, Jesse Eisenberg, Abigail Breslin e etc.
Distribuidora: SONY PICTURES
Ano de Lançamento: 2009
Nacionalidade: EUA
Direção: Ruben Fleischer

Avaliação:

Elenco: 3.5/5
Trilha Sonora: 3/5

Obra Completa: 3,5/5




Sinopse: A população mundial foi dizimada devido a um vírus, variante do mal da vaca louca, que faz com que as pessoas se transformem em zumbis. Poucos são os humanos não infectados, entre eles Columbus. Ele é um estudante da Universidade do Texas, que deseja voltar para sua cidade natal na esperança de encontrar seus pais ainda vivos. Cheio de fobias, o maior medo de Columbus não são os zumbis, mas os palhaços. No caminho ele encontra Tallahassee, que está indo para a Flórida com o objetivo de aniquilar o maior número possível de zumbis. Columbus pega uma carona com ele. Ao parar em uma mercearia, a dupla enfrenta três zumbis e encontra duas garotas, Wichita e sua irmã caçula Little Rock. Só que Little Rock aparenta ter sido mordida por um zumbi, o que divide o grupo sobre o que fazer.




Resumo:


Aconteceu novamente... Pois é! A população mundial está dizimada, não sobrou nada para contar história. O causador de tamanha catástrofe? Um vírus letal e muito mau por sinal. Como sempre, sobraram alguns humanos para contar história e um deles foi o nerd desajeitado (eu) Columbus. Ele possui o típico desejo de qualquer pessoa em meio a um evento dessa magnitude. Quer se locomover para sua cidade natal, a fim de descobrir se os pais estão vivos ou "mortos". 

Ao longo de sua viagem o jovem Columbus acaba esbarrando acidentalmente com um maluco de primeira viagem. Tallahassee (nome complicado). Seu objetivo? Ir para a Flórida brincar de matar zumbis. Pois é, o cara é louco! Conversa vai, conversa vem e os dois decidem fazer uma parceria, mas não imaginavam o que estaria para acontecer.

Ao parar em uma mercearia eles encontram alguns zumbis e os matam. Logo depois, duas lindas garotas aparecem e fazem todo um teatro. Resultado? Os dois caem na lábia das moças e tem o seu carro roubado. E agora, o que irão fazer? Conseguirão sobreviver?

Opinião:

Fazer filmes que envolvam alguma criatura fora dos padrões está cada vez mais comum. Já era tempo que zumbi era algo novo ou sinônimo de horror. Hoje está cada vez mais difícil encontrar obras originais e decentes que envolvam essas figuras. Ainda bem que existe Zumbilândia!

Confesso que assisti a esse filme um pouco relutante. Pensei logo no início que um filme que envolve zumbis e comédia não daria certo e, felizmente, estava errado. Zumbilândia não possui o enredo mais elaborado do planeta, mas também não é desleixado. O filme trabalha com algumas combinações importantes e explora bem os personagens logo no início. Aqui nós temos de tudo: nerd, maluco, bonitinha e irmã caçula doidona. É... à coisa é bem bagunçada mesmo.

Quarteto Fantástico (sqnunca)!
O diferencial de Zumbilândia é que a comédia se encaixa bem com as criaturas foco, ou seja, os zumbis. O filme acerta quando utiliza os zumbis na hora de fazer graça. Quero dizer o seguinte. Pra que fazer um filme de comédia com zumbis sem usar zumbis? Isso é o que a maioria dos filmes que parodiam algo fazem. Geralmente eles colocam as pessoas para fazer graça e usam o cenário foco como algo extra ou inovador. Esse filme realmente utiliza o conjunto criado e desenvolvido pelo diretor e por toda a equipe técnica. Medalha pra eles. 

O que mais me incomodou nesse filme foi à inconsistência. Ele não consegue se dividir bem entre comédia, drama, romance e terror. O telespectador não consegue enxergar qual a intenção do filme como um todo. Te fazer rir? Chorar? Assustar? Coisas mistas? Fica meio complicado decifrar isso devido à confusão que o filme se submete, detalhe esse que poderia ter sido facilmente corrigido.

Sorria pra foto!
O humor desse filme é impagável! As piadas criadas e anexadas ao roteiro ficaram tão leves e irônicas que é impossível não rir e se identificar. As piadas aqui vão desde assuntos polêmicos como a AIDS, até instruções de como ter uma conversa civilizada com o zumbi Bill Murray. É um espetáculo. Gostei demais.

Gabriel, os atores conseguiram se sair bem? Sinceramente... Não muito! Senti um desconforto por parte de alguns atores, principalmente da linda Emma Stone. Ela não está nenhum pouco a vontade no papel. Não sei se é chatice minha ou se realmente algo estava impedindo que ela mostrasse seu talento. Realmente não sei o que houve com ela. Abigail Breslin está, como sempre, incrível. Amo essa menina!

Com vocês, o zumbi Bill Murray!
Zumbilândia é um filme divertido e bastante irônico. O uso de piadas congeladas e clichês exageradamente acabam tornando a atmosfera do filme chata de se acompanhar em algumas partes, mas relaxa! Você conseguirá assistir o filme numa boa. Recomendo para quem gosta de comédia e, é claro, uma boa dose de cérebros. 

Até a próxima resenha!

                                                                Confira o Trailer:



Resenha: Diário de Um Banana: Maré de Azar - Jeff Kinney

20 de outubro de 2014

Olá pessoal, tudo bem? Depois de tantos pedidos e uma grande espera finalmente trago a resenha do 8° livro da série Diário de um Banana. Confira:

"A série Diário de um Banana já vendeu milhões de exemplares no mundo todo e também virou sucesso nos cinemas. Um dos maiores fenômenos da literatura infantojuvenil de todos os tempos."

                                                    Fonte: indeterminada.



Título: Diário de um Banana: Maré de Azar
Título Original: Diary of a Wimpky: Hard Luck
Páginas: 220
Autor (a): Jeff Kinney
Editora: V e R
Gênero: Infanto Juvenil
Ano de Publicação: 2014

Avaliação:

Capa: 5/5
Diagramação: 5/5
Obra Completa: 4/5


Compre: Aqui!



Sinopse: Greg Hefley está chateado. Seu companheiro de todas as horas, Rowley, o abandonou, e encontrar novos amigos na escola acabou se revelando uma tarefa muito difícil. Para mudar de estratégia, Greg decide arriscar e tomar decisões de acordo com sua sorte. Será que um lance de dados pode mudar as coisas, ou a vida de Greg está destinada a ser uma maré de azar?

Resumo:

Greg e Rowley sempre foram amigos inseparáveis, é claro que de vez em quando rolavam umas desavenças, mas nada que uma bagunça não resolve-se. O problema é que dessa vez a coisa é séria.


Sem Rowley a situação está complicada. Greg agora tem que enfrentar o cachorro do vizinho sozinho e limpar o fogão com a sua mãe é seu maior passatempo. Tudo isso leva o garoto a pensar e a começar a se questionar. O quanto vale minha amizade?  

Opinião:


Sou suspeito para falar dessa série que tanto gosto. Diário de um Banana já é uma série que eu faço questão de acompanhar e, por mais que às vezes o autor se perca, eu nunca termino um livro sem dar aquele sorriso. Com Maré de Azar não foi diferente. O livro passa longe de ser o melhor da série, mas é o mais maduro entre eles.


Jeff Kinney já me chateou no início do livro. Greg e Rowley brigam e, acreditem ou não, eles ficam separados o livro todo. Sei que isso foi uma nova proposta do autor para tentar mudar um pouco seus personagens e também para abrir um terreno maior para Greg, mas isso não ficou bem conduzido e as coisas acabaram saindo um pouco da linha.


Enxergo os dois amigos: Greg e Rowley do mesmo jeito que enxergo Chaves e Quico. Não tem risada e dificilmente o espectador/leitor se surpreende com as situações sem que os dois estejam juntos. Senti que o personagem ficou perdido na história e o autor ainda mais. Em um determinado momento Jeff começou a voltar atrás e tentar mudar as coisas, mas já era tarde demais. Creio que esse lance da briga poderia ter sido mais bem aproveitado e também que não precisava ter sido desenvolvido o livro todo.


Senti que as coisas estão mudando. No  livro o autor já começou a inserir Greg de vez no mundo dos amores juvenis e agora não foi diferente. O personagem está se questionando ainda mais sobre as garotas e algumas cenas hilárias e até mais "fortes" foram acrescentadas. A série está amadurecendo e com ela os personagens estão deixando de ser criança.


Aí você me pergunta. E risadas, têm? LÓGICO! Comecei a ler o livro dentro do ônibus e isso não foi uma escolha muito inteligente. Perdi a conta de quantas risadas escandalosas eu dei dentro daquele ônibus e o olhar que as pessoas redirecionavam a mim estava ficando severo... FODA-SE! O livro divertiu bastante.


A edição continua esplêndida. Em minha opinião essa capa é uma das melhores de toda a série. Diagramação está incrível e os desenhos continuam hilários e bons condutores de informação. Parabéns a VeR!

Diário de Um Banana: Maré de Azar é o livro mais maduro de toda a série. O autor brinca com o leitor e até lança algumas piadinhas de gosto mais duvidoso... Huuuum! Continuo adorando a série e, sem dúvida, recomendo o livro. 

Até a próxima!

3 Livros Para o Domingo

19 de outubro de 2014

Olá leitores, beleza? Hoje é domingo e o último dia do fim de semana. Para muitos, o domingo representa paz e descanso. Pra outros, é o dia mais tedioso da semana. Hoje vou indicar três livros para você sair do tédio nesse e/ou em qualquer domingo. Vamos lá:


Resenha dos livros citados: Anjos à Mesa, Correr ou Morrer e Deixe a Neve Cair.


Livros para o Domingo:

Anjos à Mesa - Debbie Macomber


Anjos à Mesa não foi nenhuma surpresa pra mim, pois eu já esperava tudo o que o livro me proporcionou. Risadas, uma dose de clichê e uma sensação gostosa ao terminá-lo. Sem dúvida nenhuma é um livro que recomendo para se passar um Domingo. 


3,5 estrelas.






Correr ou Morrer - James Dashner


Correr ou Morrer deveria se chamar: livro de Domingo. O autor nos proporciona tantas surpresas e reviravoltas surpreendentes, que é impossível não perder o fôlego com essa história. Quer agitar seu Domingo? Leia Correr ou Morrer!



4,5 estrelas.





Deixe a Neve Cair - John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle.




Esse livro é extremamente gostoso de ser lido. O livro é uma coletânea composta por três contos, sendo que todos eles se passam praticamente em um mesmo local. Um livro leve, gostoso e que pode ser facilmente lido em um Domingo. Também é uma boa opção para amenizar o calor.


4 estrelas!



Até o próximo post pessoal. E não se esqueçam. Clique na capa do livro e, caso se interesse, compre-o na Saraiva. É rápido e seguro!

Canal do blog

16 de outubro de 2014

Iai povo, tranquilo? O post de hoje é bastante diferente, pois vou falar sobre o canal do blog. Isso ae, finalmente criei um canal para o Eu Vivo Lendo. Bora lá!

INSCREVA-SE NO CANAL!!!!!


Já faz algum tempo que vocês me pedem para criar um canal do blog. Eu enrolava, enrolava, enrolava e a coisa nunca saia, mas finalmente criei vergonha na cara e finalmente decidi criar o canal. 

Foi difícil elaborar um sistema de postagens de vídeo que vai funcionar, mas depois de muito se pensar tomei algumas decisões, eis abaixo:

* Postarei vídeos duas vezes por semana.

* Os temas serão: livros, filmes, músicas e alguns posts extras.

* Sempre irei colocar o link dos vídeos no Twitter e no Facebook do blog.

* De vez em quando, vou colocar o link de algum vídeo em uma postagem para vocês assistirem.


Foi isso pessoal. Espero que tenham gostado do post e POR FAVOR inscrevam-se no canal. Bye!

A Arte de Viver é Debater #7 - A Quantidade Excessiva de Lançamentos Literários

13 de outubro de 2014

Iai leitores, como vão? Hoje é Segunda-Feira e para começar a semana com o pé direito que tal debatermos um pouquinho? O assunto de hoje é sobre lançamentos literários. Let's go!


Nesta coluna darei minha opinião sobre diversos assuntos. Chamarei amigos blogueiros e amigos anônimos para expressar sua opinião e, é claro, conto com a participação dos leitores.



Resenha: Selvagens - Don Winslow

11 de outubro de 2014

Iai pessoal, tranquilo? Finalmente é Sábado (e.ee). A resenha de hoje é sobre um livro que me surpreendeu tanto, que eu demorei a absorver tudo o que li. Vamos lá!

"Selvagens é o livro mais elegante de Don Winslow, sua obra mais atrevida e a que mais prende a atenção."
                                                          New York Times



Título: Selvagens
Título Original: Savages
Páginas: 288
Autor(a): Don Winslow
Editora: Intrínseca
Gênero: Thriller
Ano de Publicação: 2012

Avaliação:

Capa: 4/5
Diagramação: 4/5
Obra Completa: 4,5/5


COMPRE: Aqui!





Sinopse: Ambientalista e filantropo nas horas vagas, Ben comanda um negócio de venda de maconha em Laguna Beach. Ao lado de seu parceiro, o ex-mercenário Chon, ele fatura lucros consideráveis e mantém uma clientela fiel. No passado, quando seu território foi invadido, Chon tratou de eliminar a ameaça. Agora, porém, eles parecem estar diante de uma força da qual não podem dar conta: o Cartel de Baja, do México quer tomar a região e avisa que não irá aceitar uma negativa como resposta.

Quando os dois amigos se recusam a recuar, o cartel reforça a advertência sequestrando Ophelia, companheira e confidente dos rapazes. O sequestro deflagra uma gama alucinante de negociações habilidosas e reviravoltas inacreditáveis, que deixarão os leitores ansiosos para descobrir o custo da liberdade e o preço de um grande barato.

Resumo:

Ben e Chon são dois amigos inseparáveis. Os dois são ricos e vivem uma vida de luxo e conforto. O diferencial deles? Vendem uma das melhores ervas do mundo. Os dois possuem uma única amante (isso mesmo) a adorável e meiga, Ophelia, que para os íntimos é apenas O. Os dois estão colhendo o fruto do seu "trabalho" suado. Mas como sabemos o crime não compensa, e a punição chega rapidamente.

Um famoso Cartel, no qual é chefiado por uma mulher impiedosa e cruel, está querendo negociar com os dois. Elena quer dominar aquele território com o seu esquema ilegal e propõem uma parceria com Ben e Chon, eles não aceitam e o pior acontece. O é sequestrada!

O que eles farão para salvá-la? Como conseguirão fazer tudo isso em sigilo? 

Opinião:

Selvagens foi uma grata e emocionante surpresa em 2014. Comprei o livro por indicação de amigos, mas esperava odiar. O problema - ou não - é que gostei tanto do livro que já estou procurando outros do autor pra ler.

Don Winslow tem uma maneira peculiar e divertida de narrar sua história. Ele descreve seus personagens como a escória da espécie humana e, ao mesmo tempo, mostra ao leitor uma parte deles que é admirável. Puro neologismo, que dá certo! É realmente difícil escolher qual personagem é o melhor. Ben é calmo e sereno. Chon é agressivo e bruto. Ophelia é submissa e linda. Três opostos que dão incrivelmente certo juntos.

"O selvagem é o mundo da pura força bruta, da sobrevivência do mais apto, dos cartéis de drogas e esquadrões da morte, dos ditadores e homens fortes, dos ataques terroristas, das guerras de gangues, dos ódios tribais, dos assassinatos em massa, dos estupros coletivos.”

Nas primeiras cinquenta páginas o autor faz com que o leitor se acostume com aquele ambiente nada comum, para depois começar a acrescentar suas doses de loucuras na narrativa. Confesso pra vocês que fiquei com bastante medo dele perder a linha no meio do livro. O cara é tão sensacional que só foi melhorando cada vez mais. Aplausos!

O maior mérito de Selvagens é o estilo da narrativa, aliado aos personagens. Aqui, o enredo é totalmente dependente da desenvoltura dos personagens. Não é como aquelas histórias frias e chatas, que não se desenvolvem e ficam estagnadas. Selvagens é inovador e diferente. Seus personagens transbordam realidade e serão facilmente seus melhores amigos durante o tempo de leitura.

"Se deixar que as pessoas acreditem que você é fraco, mais cedo ou mais tarde você vai ter que matá-las."

Atenção amigos, vocês devem saber algo muito importante desse livro. Selvagens não é um livro bonitinho ou calmo. Aqui teremos elementos como: sexo, drogas, violência, sangue, em grande escala. Se você não curte esse tipo de coisa, é melhor nem pegar o livro para ler. Será perda de tempo. Agora, se você, assim como eu, acha fascinante. CORRE!

Achei sensacional o nível do humor negro usado por Don em todo o livro. Às vezes, esse humor é tão ácido, que a crítica encrustada nele fica visível a ponto do leitor fazer caras e bocas de surpresa. Realmente é perceptível o nível desse autor. 

"A droga teoricamente é ruim, mas em um mundo ruim é algo bom se você sacar a polaridade moral invertida disso. Chon se refere a drogas como uma "resposta racional à insanidade", e seu uso crônico do crônico é uma resposta crônica à insanidade crônica”.

Dessa vez a editora Intrínseca não caprichou tanto. O livro possui capítulos contraditórios, ou seja, alguns possuem poucas linhas, já outros seis páginas. Senti falta de uma diagramação que explorasse mais essa maneira de narrar tão fascinante criada pelo autor. A capa é a mesma do filme, particularmente adoro. Enfim... Uma edição que podia ter sido melhor, mas consegue se manter na média.

Selvagens é um livro rico em todas as suas camadas. Possui personagens e enredo envolvente, que não deixará o leitor desgrudar da leitura nem por um momento. Don Winslow cria uma atmosfera compactada que não dá liberdade para o leitor respirar e quando finalmente decidi acalmar as coisas... BOOM! A merda acontece de novo. Um livro que eu recomendo sem a menor dúvida. Sobre o final... FANTÁSTICO!

Até a próxima.

Resenha: O Presente - Cecelia Ahern

8 de outubro de 2014

Iai galera, beleza? Antes de iniciar a resenha gostaria de dar uma ótima notícia. Esse mês será bem mais tranquilo pra mim. Graças ao meu esforço, o boletim está satisfatório e, por isso, o ritmo de provas e de estudo vai diminuir razoavelmente. Portanto, os posts sairão no dia certo e, talvez, um especial de Outubro será feito para vocês (aguardem). Hoje irei falar sobre um livro diferente e simples. 

"Um livro encantador e extremamente emocionante. Simplesmente o devorei".
                                          Gabriel Ribeiro - Eu Vivo Lendo


Título: O Presente
Título Original: The gift
Páginas: 320
Autor(a): Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Gênero: Drama
Ano de Publicação: 2013

Avaliação:

Capa: 4/5
Diagramação: 5/5
Obra Completa: 3,5/5

COMPRE: Aqui!


Sinopse: Todos os dias, Lou Suffern luta contra o tempo. Ele tem sempre dois lugares para ir, tem sempre duas coisas a fazer. Quando dorme, sonha com os planos do dia seguinte, e, quando está em casa, com a esposa e os filhos, sua mente está, invariavelmente, em outro lugar. Numa manhã de inverno, Lou encontra Gabe, um morador de rua, sentado no chão, sob o frio e a neve, do lado de fora do imenso edifício onde Suffern trabalha. Os dois começam a conversar, e Lou fica muito intrigado com as informações que recebe de Gabe; informações de alguém que tem observado uniões improváveis entre os colegas de trabalho de Lou, como os encontros da moça de sapatos Loubotin com o rapaz de sapatos pretos... Ansioso por saber de tudo e por manter o controle sobre tudo, Lou entende que seria bom ter Gabe por perto — para ajudá-lo a desmascarar associações que se formam fora de suas vistas — e lhe oferece um emprego. Mas logo o executivo arrepende-se de ajudar Gabe: sua presença o perturba. O ex-mendigo parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, e, além disso, Gabe lhe fala umas coisas muito incomuns, como se soubesse do que não deveria saber... Quando começa a entender quem é realmente Gabe, e o que ele faz em sua vida, o executivo percebe que passará pela mais dura das provações. Esta história é sobre uma pessoa que descobre quem é. Sobre uma pessoa cujo interior é revelado a todos que a estimam. E todos são revelados a ela. No momento certo.

Resumo:

Lou Suffern é um grande executivo e possui um dos cargos mais altos de uma importante empresa de sua cidade. A vida de Lou é sinônima de correria. Nada nunca dá tempo para ele e sua maior e única prioridade é seu trabalho. Sua família, principalmente sua mulher, vive se queixando com ele, pois sua ausência está o atrapalhando em todos os aspectos. Seus filhos mal o conhecem e seu relacionamento amoroso com sua esposa está indo de mal a pior. Para completar, ele já a traiu várias vezes.

Um dia Lou está se dirigindo ao seu local de trabalho até que encontra sentado na rua um mendigo. Ao passar um tempo Lou vai fazendo amizade com aquele rapaz e descobre que seu nome é Gabe. Depois de alguns dias ele finalmente resolve dar um emprego na empresa para Gabe, pois se identificou e se solidarizou com a história do morador de rua. Mas os problemas começam a parti daí!

Gabe é um exímio trabalhador. Chega sempre adiantado e começa a cair no gosto do chefão. Lou, obviamente, se morde de ciúmes de Gabe e o que era uma amizade bonita e singela começa a se tornar algo escuro e vazio. Agora Lou está indignado e fará de tudo para tirar Gabe do cargo dado por ele (ironia). Só que ele irá descobrir que Gabe é muito mais do que aparenta ser e que a vida não é composta apenas por trabalho.

Opinião:

O Presente é mais direcionado para se ler no natal. O motivo? O livro carrega uma moral bastante impactante e carrega uma essência típica de 25 de Dezembro. Não li no natal, mas isso não atrapalhou em nada minha leitura. Se gostei? Bastante!

Minhas expectativas não estavam tão altas, mas passavam longe de algo baixo. Da autora já tinha lido P.S. Eu Te Amo (um dos únicos romances que gostei na vida) e por isso estava bastante empolgado com a leitura de O Presente. O livro segue uma linha própria e definida desde o início. A autora não se arrisca muito e prefere moldar sua narrativa com características já alcançadas por ela. Em outras palavras. Ela não inova. Só que surpreende.

"Ser o melhor é a mesma coisa que estar na média, o que, por sua vez, é o mesmo que ser pior. Tudo era um estado de espírito."

Sem dúvida, a característica mais marcante deste livro são os personagens. Lou é incrivelmente intragável do começo ao fim. Houve sim alguns momentos em que eu gostei dele, mas na maior parte do livro eu torci por sua morte (MUAHAHA). Gabe é loucamente misterioso e o motivo de ser daquele jeito só nos é revelado lá pela página 200 e pouco. Eu, obviamente, já esperava. Só que... Fiquei decepcionado com o modo que a autora desenvolveu aquilo tudo. Senti que ela não estava à vontade o suficiente criando aquilo e, por isso, se perdeu no meio da ideia.

Algo que me incomodou bastante nesse livro foram às coisas "bônus" que a autora acrescentou na história. No começo do livro já descobrimos algo bem legal (relaxa, não vou contar) e devido a isso comecei a remoer em minha mente várias hipóteses de algo que a autora poderia fazer futuramente. Ela não fez NADA! Parece que isso só estava lá por estar, pronto e acabou. Entendem? Senti falta de uma conexão maior com a história principal. Tá certo, no final a moral do livro se encaixa com aquilo e "pá", mas... Tá, só? Não curti.

"As pessoas, como as casas, guardam seus segredos. Ás vezes, os segredos as habitam; outras vezes, são elas que habitam seus segredos."

A edição da Novo Conceito, impreterivelmente, continua excelente. Que editora mais top (puxa-saco; eu). Apesar de não combinar muito com a história a capa chama a atenção e vende; Pronto, falei. Diagramação, espaçamento, organização. Tudo incrível. Concordo que a folha não é da melhor qualidade, mas pelo preço do livro (no máximo 20 reais) não temos o direito de reclamar. Parabéns editora!

O que foi aquele final? GOOD! Cecelia Ahern tentou acabar com os meus fracos sentimentos nas últimas páginas desse livro. Eu, que sou um pouco durão na questão de chorar ou não chorar, não consegui aguentar. Enchi um balde de lágrimas. Cara é muito, muito, muito triste. Apesar de triste, o final foi necessário e bem desenvolvido. Por isso, tá valendo.

"- Se milagres tivessem equações químicas, todos acreditariam neles."

Em suma, O Presente é um livro que não inova tanto, mas agrada aos leitores. Senti que a autora se perdeu um pouco em sua narrativa e por isso não conseguiu intercalar suas sub-tramas com a "coisa" maior. Desmerecer o livro seria hipocrisia e falta de respeito da minha parte ele, é sim, uma grande obra. Eu com certeza recomendo. Não é o livro mais sensacional da face da terra, todavia, é envolvente e gostoso de ler. 

Bom dia, tarde e noite a todos e até a próxima resenha!

Leituras de Setembro

6 de outubro de 2014

Olá pessoal, como vão? O mês de Setembro não foi tão bom para mim nas leituras, mas tive duas grandes alegrias esse mês. Let's go!

Caso queira ler a resenha de algum livro citado, basta clicar em sua capa, caso a resenha tenha sido publicada no blog você será redirecionado diretamente para ela.

Lidos em Setembro:


Selvagens - Don Winslow





Selvagens foi uma das maiores surpresas que eu já tive na vida. Confesso a vocês que fui ler o livro sem expectativa nenhuma e ele acabou entrando para a lista de melhores do ano. O livro é sensacional! Tentarei fazer uma resenha para vocês em breve.


5 estrelas.



O Presente - Cecelia Ahern




Peguei O Presente para ler com bastante empolgação. O livro é bem legal. A autora consegue combinar o clima natalino com perfeição a um assunto não tão comum. Algumas coisas me incomodaram bastante, mas no geral o livro me agradou.


3,5 estrelas.




Claros Sinais de Loucura -  Karen Harrington



Esse livro foi a maior decepção literária do ano de 2014. Esperava adorar esse livro, pois as resenhas me animavam cada dia mais, só que infelizmente eu odiei o livro. Não recomendo para ninguém!

2,5 estrelas.






O Lado Bom da Vida - Matthew Quick



O Lado Bom da Vida se consagrou como um dos melhores livros que já li na vida. Não tenho muito que falar do livro. Aguardem a resenha super empolgada!


5 estrelas.





Foi isso que eu li no mês de Setembro. E vocês? O que leram? Até o próximo post!

Vivendo e Atualizando #18

1 de outubro de 2014


Olá pessoal, beleza? Depois de algum tempo, finalmente o Vivendo e Atualizando está de volta. Tem muita novidade para contar para vocês. Confira:

Tem alguma sugestão para melhorar a coluna? Deixe nos comentários!


Livros:

1 - Editora Bertrand Brasil anuncia lançamento de novo livro de Marian Keyes.




Recentemente, em sua página do Facebook, a editora Bertrand Brasil divulgou que irá lançar em Dezembro um novo livro de Marian Keyes. Infelizmente, o livro não conta a história de mamãe Walsh, mas é uma espécie de dicionário da família. Basicamente, um livro para os fãs da autora. Alguém ansioso/a?







2 - Resenhas de "Diário de Um Banana" são campeãs de visualizações no blog.




Essa semana tive o prazer de receber um email do blogger informando-me do grande número de visualizações das minhas resenhas de "Diário de Um Banana", fui dar uma olhada e UAU! Juntas, somam quase 45.000 visualizações. Ou seja, responsável pela maioria das visitas do blog. Agradeço a todos por isso e, em breve, a resenha de Maré de Azar vai ao ar.




3 - Boatos dizem que editora Novo Conceito se surpreendeu com o sucesso de vendas de "Se Eu Ficar".


Não é segredo pra ninguém que o livro "Se Eu Ficar" é o mais novo queridinho dos leitores brasileiros. O livro está em 1° lugar na lista de mais vendidos da VEJA e lidera todos os rankings de vendas do Brasil. 

Boatos revelam que a editora Novo Conceito se surpreendeu com o sucesso do livro e está comemorando o número enorme de vendas. Parabéns para a editora!





Música:

1 - Lorde lança música para a trilha sonora de "A Esperança - Parte 1".



Finalmente a cantora Lorde divulgou o áudio de sua nova música para a trilha sonora de "A Esperança - Parte 1". Confira:




2 - Miley Cyrus causa nova polêmica em show no Brasil.





Parece que Miley Cyrus aprontou novamente. De acordo com sites de entretenimento, alguns pais foram vistos deixando o show de Cyrus com os seus filhos. O pai de um menino de 14 anos disse:


"Sabia que ela era ousada, mas me choquei com o que vi".


Cinema:

1 - Miles Teller diz que não queria ter atuado em Divergente.



Mais uma polêmica envolve o nome do autor Miles Teller. Ele disse para uma famoso programa dos EUA, que se arrepende de ter atuado no filme Divergente e que só o fez por questões comerciais. Será?



Milles Teller interpreta Peter em Divergente.




2 - Saga Crepúsculo ganhará Curta-Metragens.


Fãs de Crepúsculo já podem comemorar. Foi anunciado que a franquia irá ganhar curtas-metragens sobre alguns personagens importantes da saga. Stephenie Meyer disse que selecionará diretores novatos para trabalhar nos curtas e que eles serão exibidos no Facebook. Será que vai dar certo?

Leia a notícia completa: Aqui.


Eai pessoal gostaram das novidades? Deixe seu comentário e até a próxima!















EU VIVO LENDO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
DESIGN E DESENVOLVIDO POR SOFISTICADO DESIGN