Resenha - Férias - Marian Keyes

Olá pessoal, tudo bem? Atendendo a alguns pedidos dos meus leitores, resolvi finalmente fazer a resenha do livro Férias da autora Marian Keyes, já li esse livro há algum tempo, mas optei por não fazer resenha por alguns motivos, mas agora como todos estão pedindo bastante. Vamos lá!

PS: Confira o post sobre Marian Keyes. Aqui!

"Prepare-se. Você vai se tornar um viciado em Marian Keyes."
                                            The Times

Título: Férias!
Páginas: 560
Autor(a): Marian Keyes
Editora: Bertrand Brasil
Gênero: Chick-Lit
Ano de Publicação: 2012



Avaliação:

Capa: 4,5/5
Diagramação: 4/5
Obra Completa: 3,5/5




Rachel tem 27 anos e mora em Nova York, ela está infeliz e sempre que pode reclama da vida e tenta descontar essa raiva nas drogas, mas o problema é que Rachel não dá conta de controlar mais e já é uma dependente química. Depois de uma dosagem muito grande de remédios para dormir, Rachel desmaia e acorda em um hospital com todos os seus amigos ao seu redor, eles decidem enviá-la para seu país natal a Irland. Chegando lá ela encontra seus pais que estão de decisão tomada. Rachel será internada em uma clínica de reabilitação.


Ao chegar à clínica ela começa a fazer amizades, inimigos, namorados, mas não admite sua dependência e jura que sairá da clínica em duas semanas. Depois de um mês, Rachel começa a perceber que realmente precisa de ajuda e vê naquela pequena clínica um porto seguro onde é entendida e amparada, onde sua vida não precisa ser mascarada e o seu verdadeiro eu pode ser revelado.

Opinião:

Não é segredo pra ninguém que uma das minhas autoras favoritas é a Marian Keyes, e é claro, que não deixaria de ler o segundo livro da família Walsh, mas infelizmente não reconheci a autora em alguns momentos...

O livro começa parado e ao longo da trama as coisas vão se desenvolvendo e ficando instigantes, mas o problema são os personagens que não convencem, eu simplesmente não gostei da Rachel e isso é um problema.

"Às vezes, quando está escrito, as pessoas do nosso passado voltam."

A estória em si não é inovadora, mas a maneira como a autora conduz tudo é que a torna tão interessante, na clínica onde Rachel está existem vários personagens excêntricos, que podem, ou não, agradar o leitor. Luke o "namorado" de Rachel se mostra um personagem bastante proveitoso e não um objeto para uso de desenvolvimento, isso mostra que Marian trabalha tudo muito harmoniosamente e até mesmo um simples figurante tem seu papel na estória.

A narrativa é em primeira pessoa sob o ponto de vista de Rachel, ela agrada e flui sem problema nenhum. Está narrativa contribuiu para um aprofundamento do leitor na estória, com ela conhecemos mais sobre o passado de Rachel e como os outros personagens obtiveram importância na estória.

(…) a consequência disso foi que, assim que eu cheguei em casa e cambaleei porta adentro, confusa com a diferença de horário e deprimida por obra e graça de uma ressaca de Valium e vodca, Helen me recebeu aos gritos, do alto de uma escada:

Depois de tudo o que escrevi você deve estar se perguntando: Tá, mas.... Cadê o humor? Eu te respondo. Os personagens a todo o momento usam artefatos do dia a dia para fazer piadas com as situações alheias, Rachel é muito bem humorada e sua "boca grande" também auxilia no humor do livro.

Em suma, Férias passa longe de ser o melhor livro da Marian, mas diverti e emociona na medida do possível.

A Arte de Viver é Debater #2 - Emprestar Livros

Olá pessoal, como vão? Preparei um post para vocês sobre um assunto bastante polêmico entre os leitores. Emprestar ou não emprestar livros?

Nesta coluna, irei trabalhar com perguntas e suas respectivas respostas, tratando de tirar dúvidas e debater sobre diferentes assuntos.


É muito difícil - quase impossível, encontrar alguém: seja ele um leitor assíduo ou não, que goste de emprestar livros. De acordo com o dicionário, o ato de emprestar é: "Dar ou confiar alguma coisa a outra pessoa, durante um período de tempo.", mas esse é o problema, como iremos saber se o cidadão que está com o nosso livro irá devolvê-lo? É aí que entra o desespero.

1: Não consigo dizer não. O que faço?

O ato de dizer não é realmente algo muito difícil de fazer, muitas vezes a pessoa fica sem graça de negar um empréstimo, mas ao mesmo tempo se sente tentada a sair correndo com o livro na mão e nunca mais voltar. Quer uma dica? Empreste, mas dê a pessoa um prazo determinado para entregar o seu livro e avise de antemão que se o mesmo chegar danificado será cobrado um reembolso justo, pois ele não é "Destrua este Diário".

2: Emprestei o livro faz 2 meses e até hoje não o vi. Socorro!

Você pode tomar duas atitudes nessa situação: Correr atrás da pessoa até o final do arco-íris ou Desistir e comprar o livro novamente. Sei que é chato quando emprestamos e a pessoa não devolve isso reforça ainda mais o conceito de não emprestar livros em nossa mente, o que é errado. Telefone e mande mensagens, vá até a casa da pessoa, pressione-a, mas se ela não devolver o jeito é comprar outro livro e nunca mais emprestar para ela novamente.

3: Emprestar é realmente algo ruim?

Não. Emprestar é um ato nobre, até revigorante em alguns casos. Todo leitor gosta de ver alguém ao seu redor lendo e se for um conhecido melhor ainda. Aconselho o empréstimo de livros ou qualquer coisa do tipo apenas para pessoas de confiança, empreste para uma tia que você gosta ou para uma prima cuidadosa, não adianta emprestar para o vizinho fanqueiro e depois reclamar do estado do livro (nada contra o funk). Pense, reflita e tenha em mente que você nunca terá garantia de um retorno saudável do seu bem material, seja ele um livro ou uma televisão.

Espero que tenham gostado do post e deixem a opinião de vocês nos comentários. Você acha que emprestar é algo bom a se fazer? Você empresta? Beijos e Abraços!

5 Livros Para Ler No Tempo Chuvoso

Olá leitores, tudo bem? Já que estamos passando por dias chuvosos ultimamente, decidi trazer uma lista de alguns livros perfeitos para serem lidos durante esse clima gostoso. Vamos conferir!

PS: O banner foi criado por mim. Para usar peça antes!


Lista:

1 - Métrica


Já fiz resenha de Métrica no blog e como todos sabem, adorei o livro com todas as minhas forças. Com uma temática simples, porém elaborada, a autora consegue agradar, emocionar e entreter. Resenha aqui!










2 - A Corrida de Escorpião


A Corrida de Escorpião trata de uma estória bastante diferente, em sua temática a água está muito presente e pode-se dizer que o livro tem um clima mais frio e tenso, por isso acho que ele combina com o inverno. Resenha aqui!










3 - Tudo o Que Ela Sempre Quis


Tudo o Que Ela Sempre Quis foi uma surpresa para mim. Com uma capa simples e harmônica, o leitor já deduz que a estória é um romance: água com açúcar. Certo? Errado. Este é um livro de mistério bem envolvente e combina muito com a chuva. 









4 -Um Porto Seguro

Nicholas é Nicholas né. Este livro é realmente incrível. Todo o detalhe, até o modo como o autor desenvolve os personagens é emocionante, sem falar daquele final inesquecível. Resenha aqui!










5 - Lola e o Garoto da Casa ao Lado

Este livro é o típico clichê teen, mas compensa pela riqueza de detalhes e os personagens excêntricos, principalmente Lola. Recomendo, pois você não irá se arrepender. Resenha aqui!

Resenha - Anjos à Mesa - Debbie Macomber

Olá leitores, como vão? Estou aqui hoje para contar para vocês minha opinião sobre o livro Anjos à Mesa. Espero que gostem e não se esqueça de comentar e deixar sua sugestão, dúvida ou opinião. Vamos lá!

PS: Confira a resenha de A Pousada Rose Harbor. Aqui!

"Natal, amor e o inconfundível estilo de Macomber em um romance com um toque de magia celestial."
                                                                 Kirkus Reviews

Título: Anjos à Mesa
Páginas: 224
Autor(a): Debbie Macomber
Editora: Novo Conceito
Gênero: Romance
Ano de Publicação: 2013

Avaliação:

Capa: 5/5
Diagramação: 4/5
Obra Completa: 3,5/5


Lucie é uma mulher que só sabe trabalhar, desde que perdeu seu pai a graça pela vida parece ter cessado e ela sempre arruma pretexto para não sair de casa, mesmo com a dura insistência de sua mãe. Até que um dia suas amigas a convencem a assistir a bola descer na famosa: Times Square e se divertir um pouco na virada do ano. Ela aceita, mas relutante.

Meio perdida e com vontade de voltar para casa Lucie começa a se sentir incomodada, para piorar se perde de suas amigas. Ao dar meia noite ela "esbarra" em Aren, um rapaz também perdido e os dois acabam se beijando. Será esse um acaso do destino?

Já no céu a confusão está ainda maior: os anjos que estavam apenas assistindo a virada da bola acabaram interferindo nos planos de Deus; e Will, o mais desastrado de todos, fez com que os dois se encontrassem, mesmo nada disso sendo certo ou previsto. O chefe deles - o Arcanjo Gabriel - fica furioso e manda os anjos concertarem a situação, mas como anjos encarregados a atender clemências e agradecimentos de almas aflitas, poderão destruir um amor que acaba de se formar?

Opinião:


Anjos à Mesa foi uma incrível surpresa para mim. Na época de seu lançamento o livro já tinha chamado minha atenção, pois era da autora Debbie Macomber, a mesma de A Pousada Rose Harbor, que foi um livro incrível para mim, então isso fez com que minha expectativa aumentasse, mas ao longo do tempo fui diminuindo minhas expectativas a respeito da obra e peguei o livro sem esperar nada de espetacular e sinceramente... Amei!

Debbie Macomber criou uma estória bastante simples e fácil de envolver o leitor e soube como ninguém aproveitar essa ideia. A narrativa flui como se fosse um riacho com corredeiras, as páginas passam rapidamente e você termina o livro em questão de horas. Apesar de simples, o enredo criado pela autora é um pouco diferente e causa estranheza em um leitor despreparado, a temática: anjos, é comum, só não é comum o modo como a autora os abordou, aqui os anjos são realmente figuras espirituais e não demônios caídos.

"Mercy percebeu o que estava prestes a acontecer e sentiu-se sem forcas para evitar. Com um único movimento de asa, Will fez com que esses dois estranhos tropeçassem um no outro"

O foco principal do livro é o romance entre Lucie e Aren e senti que a autora construiu muito bem todo esse núcleo. Em alguns momentos do livro desejei que os anjos fossem descartados pela autora, pois o papel deles na estória além de não ter me agradado, me fez rir de algumas situações mais do que irreais, mas ao longo do tempo fui pegando simpatia por eles e as trapalhadas que eles se metiam eram a verdadeira graça do livro, sem contar que sem eles a estória não teria um estopim para se firmar.

Confesso que a edição de Anjos à Mesa não me agradou, as folhas são ásperas e soltam lasquinhas de papel. As fontes das letras apesar de estarem grandes, não me agradaram por algum motivo, mas fiquei feliz em detectar erros minúsculos, o pior deles foi um ponto no lugar errado. A capa é incrível e realça o livro inteiro. Creio que a editora faz essas edições com folhas e fontes mais inferiores para abaixar o preço da obra, mas por mim o livro pode ser mais caro se a edição for compensatória. Concordam?

"Como disse, não há um calendário exato para encontrar a pessoa certa. [...] Acontece quando tem que acontecer."

Ao chegar à página 100, fui percebendo que a autora quis terminar o livro correndo e a minha vontade de saber mais sobre o passado dos personagens estava ficando cada vez mais distante, os anjos também começaram a ficar em segundo plano e isso atrapalhou a estória. Não posso dizer que este livro é imprevisível - entretanto - ele não chega a ser totalmente previsível, apenas têm suas dicas ao longo da narrativa.

Encerrarei a resenha agora para que ela não fique insuportavelmente longa. Recomendo Anjos à Mesa para todos os leitores que desejam passar o tempo, principalmente na época de natal, mas tenha em mente que nada de extraordinário será encontrado nesse livro, apenas uma exclusividade ainda não vista nos livros de romance, mas é claro que Debbie Macomber envolve com sua simpatia.

Pipoca de Sexta #30 - A Menina Que Roubava Livros

Olá leitores, tudo bem? Estou aqui hoje para contar a vocês o que achei da adaptação de A Menina Que Roubava Livros.

PS: Peço desculpas pelo atraso do post, estou em época de prova e tudo está muito corrido. Obrigado!

A Menina que Roubava Livros : Poster

Título: A Menina Que Roubava Livros
Elenco: Sophie Nélisse, Geoffrey Rush, Emily Watson e etc.
Distribuidora: FOX
Gênero: Drama
Ano de Lançamento: 2014
Nacionalidade: EUA
Classificação: 10 Anos
Direção: Brian Percival

Avaliação:

Personagens: 5/5
Trilha Sonora: 3,5/5
Obra Completa: 4,5/5


Sinopse: Durante a Segunda Guerra Mundial, uma jovem garota chamada Liesel Meminger  sobrevive fora de Munique através dos livros que ela rouba. Ajudada por seu pai adotivo, ela aprende a ler e partilhar livros com seus amigos, incluindo um homem judeu que vive na clandestinidade em sua casa. Enquanto não está lendo ou estudando, ela realiza algumas tarefas para a mãe e brinca com a amigo Rudy.



Liesel é uma garota de cachinhos louros que está à mercê da crueldade do mundo. Em uma viagem pela Alemanha, a morte acaba encontrando-a e acha interessante toda sua história, assim decide acompanhar a garota em sua jornada.

Ao chegar a um local desconhecido, Liesel vê duas figuras esperando-a, ao perceber que aqueles são seus novos pais, a garota insegura, porém curiosa, decidi dar uma chance a tudo aquilo. O pai que se chama Hans, é uma figura doce e amiga já sua nova mãe, Rosa, de acordo com a própria menina: "Estava vestida de trovão" bipolar em todos os momentos. Será que Liesel irá de adaptar?


Liesel espiando os novos pais.
O dia da escola chegou e um garoto chamado Rudy, que estuda na mesma escola de Liesel, se oferece para acompanhá-la até lá. Depois de algum tempo eles viram amigos e ambos começam a ficar inseparáveis, mas um Judeu irá "atrapalhar" tudo e colocar em risco a vida da família de Liesel, ele é Max, um velho amigo de Hans, que terá que ficar escondido no porão da família. No começo um desconhecido, depois um ótimo amigo.

Opinião:

Todos nós sabemos que não é fácil transformar um livro em um filme e muitas vezes - quase sempre - os diretores e todas as pessoas envolvidas no projeto erram a mão, mas digo com orgulho que A Menina Que Roubava Livros conseguiu transparecer toda a beleza da obra escrita.

Os personagens estão extremamente bem interpretados. Rosa, Hans, Max, Rudy e todos os personagens ganharam vida esplendidamente na figura de atores maravilhosos. As características principais de cada um foram preservadas e isso me fez olhar com outros olhos para a adaptação. Logo no começo conhecemos os pais de Liesel e é impossível não gostar deles, até mesmo de Rosa o telespectador consegue gostar


Liesel e Hans.
Algo que chama a atenção é o assunto principal. Hittler. Tudo é muito bem retratado, o narrador, que como todos sabem é a morte, conta em detalhes tudo aquilo que acontece "por trás das câmeras" e narra de modo poético e sensível à morte de milhares de pessoas, assim como a vida de Liesel e sua família. O tema nazismo já está ficando clichê. Nos cinemas várias obras já usaram desse tempo histórico para se promoverem, mas poucas conseguiram passar o verdadeiro significado desta época cruel e A Menina Que Roubava Livros, conseguiu remeter toda a sensibilidade da época com êxito.
Liesel lendo para Max.
Falei tão bem que até parece que o filme não possui defeitos, mas não é bem assim. Senti falta de uma relação mais trabalhada entre Rudy e Liesel, assim como um maior destaque para a mulher do prefeito, que no livro tem uma participação um pouco maior.


Rudy, Liesel e Rosa.  
A trilha sonora do filme também não agrada e parece que tudo fica encarregado a Hans e seu velho acordeom, que tem uma participação mais que especial. Apesar disso, o modo como às cenas de bombardeamento foram retratadas me marcaram muito e refletiram toda a crueldade do ser humano.


Liesel e Rudy brincando.
O ponto mais forte do filme - assim como do livro - sem dúvida nenhuma é o final. Todo o filme é muito fiel ao livro e não corta muitas cenas primordiais para o desenvolvimento da estória, principalmente o final. Todo o cinema se emocionou e não serei hipócrita de dizer que não me emocionei, pois derramei quase um rio de lágrimas.


Cantando o hino de Hitler na escola.
Ao todo A Menina Que Roubava Livros se tornou um filme marcante em minha vida e recomendo para todos. Até a próxima pessoal!

Caixa de Correio #1 - Fevereiro

Olá leitores, tudo bem? Estou aqui para fazer a primeira caixa de correio oficial do blog. Muitos livros chegaram aqui em casa pra mim esse mês. Espero que curtam o post!

PS: Desculpe-me a má resolução das fotos, minha câmera é amadora.


Vejam aqui os livros que eu comprei, ganhei e etc.

O livro: A Árvore de Strangeville foi um presente da autora parceira do blog, a querida Camilla Sá. Entre Homens e Lagostas foi um livro que ganhei de presente da minha mãe, pois ela sabia que eu desejava-o fazia tempo. Em breve resenhas!

Estes dois livros foram comprados por mim em uma promoção da Saraiva. P.S. Eu te Amo é um livro que estou louco para ler e vários amigos já me recomendaram. Pausa é o segundo volume de Métrica, que foi um livro que eu amei. Resenha aqui!


Óculos, Aparelho e Rock'n'Roll comprei por apenas 13,30 e lerei em breve. Finalmente comprei meu adorado Enders, que é a continuação de Starters. Estou louco para ler.



Comprei os dois primeiros livros da trilogia "Em Busca de Wondla" e estou apaixonado por eles. Assim que eu terminar a leitura do primeiro livro, trago resenha para vocês.




Estes livros foram trocas que fiz com minha prima, estou muito satisfeito com a troca e não vejo a hora de ler ambos.



Foi isso pessoal. Até a próxima!

Vivendo e Atualizando #9

Olá leitores, tudo bem? Este mês começou muito bem e com novidades. Além de surpreendentes, extremamente inusitadas. Vamos conferir!

Sai o trailer da adaptação do livro "A Culpa é das Estrelas". Justin Bieber lança o clipe de seu mais novo single. Editora Seguinte divulga a capa do terceiro volume da trilogia "A Seleção".


Livros:

1 - Editora Seguinte revela a capa de "A Escolha" terceiro volume da série de Kiera Cass no Brasil.

A Editora Seguinte, revelou a capa do terceiro e último volume da série "A Seleção", a capa é a mesma dos EUA e leitores de todas as esferas aprovaram o design da capa, que segue o mesmo estilo dos volumes anteriores.







Música:

1 -  Justin Bieber lança clipe de seu novo single.

Justin Bieber lançou o novo clipe de seu single "Confident". A música que conta com participação de um Rapper, possui uma pegada bastante adolescente e agradou muito as fãs do cantor. Veja aqui!







2 - Katy Perry está a 2 semanas no topo da "Billboard Hot 100" com seu single "Dark Horse". 

O novo single de Katy Perry está bombando, prova disso é que a música completou 2 semanas em #1 lugar na "Billboard Hot 100". Pelo jeito Katy Perry ainda não perdeu o rebolado. Ouça aqui!







Cinema:

1 - "A Menina Que Roubava Livros" estréia em 1° no Brasil.


É a primeira semana completa de "A Menina Que Roubava Liros" nas telonas brasileiras e parece que a adaptação já é um sucesso. Em todo o Brasil o filme teve uma estréia super calorosa, está em 1° no ranking de bilheterias. 






2 - É divulgado o trailer de "A Culpa é das Estrelas" no Brasil.


Já saiu o trailer de "A Culpa é das Estrelas" aqui no Brasil. O trailer retrata o amor de Hazel e Gus, além disso, dá algumas dicas para o telespectador sobre a adaptação.



Até mais pessoal!

Resenha - Deixe a Neve Cair - Diversos Autores

Olá leitores, tudo bem? Hoje vou contar para vocês o que eu achei de um livro que me encantou do começo ao fim. Espero que gostem!

Esse é um livro de contos, portanto, vários autores fizeram parte do mesmo.

PS: Me desculpem pela demora do post, está semana estou atolado na escola. Obrigado!

Título: Deixe a Neve Cair
Referencial de Páginas:
Autores: John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle
ISBN: 9788579801754
Editora: Rocco
Gênero: YA
Ano de Publicação/Brasil: 2013

Avaliação:

Capa: 4/5
Diagramação: 4/5
Obra Completa: 4/5




1 Conto - O Expresso Jubileu: Maureen Johnson

Jubileu, uma garota aparentemente normal é surpreendida com a notícia de que seus pais estão presos em pleno natal e o motivo: é o mais ridículo possível, eles foram acusados de roubar peças de um brinquedo de natal. Acha que não poderia ficar pior? Engano seu. Jubileu vai de trem passar o natal na casa de sua avó, contra sua vontade, mas no meio do caminho o trem para de funcionar, e aí chega a notícia: uma quantidade exorbitante de neve está impedindo a viagem e todos deverão procurar uma maneira de sair dali sem o trem. Será que Jubileu vai conseguir? 

Tentarei ser breve ao expressar minha opinião sobre esse conto... Espero conseguir! 

O Expresso Jubileu é aquele tipo de conto que você não quer que termine nunca. Jubileu se mostrou uma protagonista extremamente divertida e sensata. O enredo apesar de ser algo simples e passar longe do surrealismo é muito bem trabalhado. As situações em que a autora colocava os personagens me fizeram soltar gargalhadas exageradas, e até mesmo incomodas.
"Eu sei que ninguém é perfeito, que por trás de toda fachada de perfeição há uma confusão distorcida de subterfúgio e arrependimentos secretos."
Algo que me chamou bastante atenção foi o modo como o leitor se apega aos personagens, comecei a perceber que em um determinado momento do conto, Jubileu estava passando por apuros e eu realmente sofri por ela, cheguei a perder o sono pensando em uma maneira de ajudá-la (como se isso fosse real). É fascinante.
"Debbie precisou se levantar e me servir uma fatia grossa de bolo antes de responder. E digo grossa de verdade. Tipo o sétimo livro do Harry Potter. Eu conseguiria derrubar um assaltante com aquela fatia de bolo."
Erros são inevitáveis, mas Maureen conseguiu desenvolver a estória de uma maneira gostosa e instigadora. Não vejo a hora de ler outros livros da autora e com toda certeza, quero algo sobre Jubileu.

Avaliação do conto: 5/5

2 Conto - O Milagre da Torcida de Natal: John Green

Tobin, Jp e Duke estavam "presos" em casa assistindo uma maratona de James Bond, até que um amigo do trio, um garoto chamado Keun, liga para eles e os convida para ir até a Waffle House da cidade, apreciar as inúmeras líderes de torcidas presentes no local, é claro que eles ficam enlouquecidos, entretanto, a neve está praticamente cobrindo a estrada e existem vários obstáculos ao longo do caminho. E agora?

É óbvio dizer que o autor mais conhecido e admirado deste livro seja John Green. Certo? Mas o melhor conto não é o dele.
" - Iiiisssssooo! - gritou JP de trás do carro. Ele se inclinou para a frente e esfregou a bagunça que era o cabelo cacheado de Duke. - ACABAMOS DE CUMPRIR A INCRÍVEL TAREFA DE NÃO MORRER!"
Antes de comprar este livro meus amigos e alguns blogueiros disseram através de resenhas, que o conto do John não era muito bom e me recomendaram deixá-lo por último, mas como vocês sabem, a curiosidade é maior do que tudo, e eu li o conto do Green logo após O Expresso Jubileu e quer saber.... É legal sim!

Apesar do leitor não se identificar muito com os personagens e achar a proposta do enredo criada por Green não muito plausível, tudo vai se encaixando e você enxerga o X da questão rapidamente. Como sempre o autor nos presenteou com personagens de características peculiares e realísticas e isso é o que eu mais gosto nele sem dúvida nenhuma, mas tome cuidado com os clichês, eles podem decepcionar.
  " Fiquei sob o toldo por um momento, mas finalmente decidi que ficar de mau humor com os amigos é melhor do que ficar de mau humor sem eles."
É impossível falar do Green e não citar as partes críticas que o autor coloca em sua estória, a cada capítulo uma crítica, seja ela social ou de outro tipo, é inserida no texto e antes que me perguntem, de uma forma natural. John! Creio que você acertou, mas não inovou.

Avaliação do conto: 4/5

3 Conto - O Santo Padroeiro dos Porcos: Lauren Myracle

Addie acabou de terminar seu relacionamento com Jeb. Ela tem que mostrar que está arrependida por ter traído seu namorado e ter ocasionado o término do namoro, por isso ela decidi se redimir enfrentando o passado e tentando se tornar uma pessoa melhor, mas é óbvio que nada sempre caminha da maneira como imaginamos. Quem diria que um porco e seu relacionamento de três minutos com Charlie poderiam atrapalhar tudo.

De todos os contos do livro esse é, sem dúvida nenhuma, o mais realista. 

A escrita de Lauren me fascinou e consegui ler o conto dela em exatos 20 minutos, o que me deixou assustado e feliz. Ela aborda o amor juvenil como tema principal e trabalha toda essa temática com a ajuda de uma protagonista irreverente e sarcástica. 
"- Cara - respondi. - Nem a chuva, nem a neve, nem geada, nem granizo fechará as portas da poderosa Starbucks.- Cara - replicou Dorrie -, esse é o lema dos Correios, não da Starbucks.- Mas, ao contrário dos Correios, a Starbucks fala sério. Estará aberta, garanto."
Ao longo do conto é possível notar o desenvolvimento de outros personagens e isso é realmente muito legal. Percebi também que a autora abordou alguns temas polêmicos no conto para fazer com que o leitor refletisse sobre tal assunto. Ótima tática!

Devo falar também sobre uma das melhores partes do conto, que é a parte em que Addie precisa arranjar um jeito de buscar o porco de sua amiga. Detalhe: Ela está prestes a se reconciliar com o namorado, e atrasada no serviço. Imagine só...
"- E eu achava que você ficaria feliz em saber que há um anjo tomando conta de você. Não é o que você queria?- Pare com essa coisa de anjo - falei. - Não estou brincando. Se o universo me deu você como anjo, mereço um reembolso."
Enfim, com reviravoltas e temas polêmicos, esse se revela o melhor conto do livro e também o mais verídico de todas as formas possíveis.

Foi isso pessoal, espero que tenham gostado. Até a próxima!

Leituras de Janeiro

Oi pessoal, tudo bem? Estou aqui hoje para contar para todos vocês os livros que eu li em Janeiro e compartilhar um pouco da minha opinião sobre cada obra. Vamos lá!

PS: Desculpe a demora, para postar. Minhas aulas começaram segunda-feira e tudo está muito puxado. Obrigado!



Livros Lidos em Janeiro:

1: Quem é você, Alasca? John Green



Esse livro me marcou de diversas formas e se consolidou o melhor livro que já li do Green. Com uma temática diferente, Quem é você, Alasca? Encanta todo tipo de leitor. Recomendo!

Resenha aqui!

2: Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban - J.K.Rowling



O que falar sobre Harry Potter? Sou um Potterhead fervoroso (mesmo só lendo os livros agora) e amei Prisioneiro de Azkaban, mas não poderia ser diferente, não é?

3: Maze Runner - Correr ou Morrer - James Dashner



Como todos sabem, eu já li Correr ou Morrer e adorei. James Dashner tem uma maneira única de narrar e faz com que o leitor entre totalmente em sua obra. Recomendo!

Resenha aqui!

4: O Projeto Rosie - Graeme Simsion



Apesar de não ter achado este livro algo maravilhoso eu me surpreendi com alguns detalhes que o autor inseriu na obra. Leia por sua conta!

Resenha aqui!


5: Deixe a Neve Cair - Vários autores


Um livro de contos que me encantou. Deixe a Neve Cair é um livro simples, e ao mesmo tempo, fascinante. Em breve resenha!

Esses foram os livros que eu li em Janeiro. Espero que tenham gostado!
Eu vivo lendo. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design